THE DELAGOA BAY COMPANY

Novembro 5, 2010

A PISCINA MUNICIPAL DE COIMBRA, ANOS 60

Anos mais tarde, a piscina foi alvo de obras que aumentaram o seu comprimento para cinquenta metros e foram construídas duas piscinas ao lado, uma coberta com cimento e outra com lona.

Entre 1972 e 1977, nadei e treinei muitas vezes nessas piscinas, que tinha a particularidade de a água que a enchia vir de um poço no local. A água desse poço estava gelada e era colocada através de um tubo situado no meio da piscina. O resultado é que, nos dois extremos da piscina, a água podia estar a uns confortáveis 23 graus, mas no meio estava a 16 graus. Nadar ali nessas alturas era uma aventura.

Entre Fevereiro de 1975 e Setembro de 1977, vivi em Coimbra.

Já neste século, essa piscina foi demolida, para dar lugar a um centro comercial, tendo outra piscina sido construída no que fo durante muitos anos um parque de estacionamento para o vizinho estádio municipal.

Do outro lado do parque de estacionamento fica o Liceu Infanta Dona Maria, onde estudei entre 1975 e 1977 e fiz o 4º, o 5º e o 6º ano do liceu. Estava um pouco delapidado, mas serviu. Hoje é suposto ser chiquérrimo.

A piscina de Coimbra nos anos 50 do século passado.

Anúncios

10 comentários »

  1. Esta fotografis fez -me reviver muitos anos.
    Nadei lá muitas muitas vezes, lembro o Uriel, meu treinador e Enorme nadador da AAC e muitos mais.
    Obrigado.
    jcarlos

    Comentar por joao Carlos — Janeiro 5, 2011 @ 10:02 pm

  2. Lamento desiludir, mas esta foto não é dos anos 50. Nem sequer corresponde à realidade. Será montagem? Fui viver para a Solum no início de 1967, R. Carolina de Michaelis, prédio do meio, ao fundo. A praceta em frente ao Liceu Infanta Dª Maria ainda não existia. Só foi arranjada, como aparece na imagem, depois do 25 de 1974.

    Comentar por Soni Trindade — Fevereiro 16, 2011 @ 1:39 pm

    • Olá Soni e obrigado. Não estou nada desiludido, não se preocupe. Porque a imagem é correcta. Eu também vivi em Coimbra e na Rua Carolina Micaelis, onde estudei três anos no Liceu Infanta Dona Maria e treinei e competi nas piscinas de então, incluindo esta (daí ter num blogue quase exclusivamente sobre sobre Moçambique, uma secção sobre Coimbra, que …não fica lá :)). Em 1972, quando conheci Coimbra pela primeira vez, a então praça já estava assim. Sei que a piscina que se vê aqui era assim e foi mais tarde alterada e aumentada para 50 metros, creio que algures nos anos 60. Aceito que não se lembre, ou que se lembre de outra coisa qualquer, mas daí a dizer que a imagem não corresponde à realidade e ainda sugerir que possa ser uma montagem é um bocadinho forte. Pode ser que a foto date de meados dos anos 60, pois foi nessa altura que a Solum (se me lembro das conversas com o Dr. Mendes Silva, que esteve envolvido no projecto) foi construída. Fale com os seus amigos de Coimbra e confirme. Há muita gente que se lembra. Um abraço e volte sempre.

      Comentar por ABM — Fevereiro 16, 2011 @ 2:06 pm

      • Ai que saudades. Foi aqui que parti pela primeira vez a cabeça ao saltar da prancha. E foi aqui que aprendi a nadar e a competir. Fui treinado pelo saudoso Prof. Luis Lopes da Conceição.

        Comentar por Antonio Olayo — Junho 10, 2011 @ 9:19 pm

      • ABM, tem toda a razão! Andei 7 anos no Dona Maria, desde o (então) 1º ao 7º ano do liceu: ou seja, dos 11 aos 17… O 25 de Abril de 74 aconteceu no final do meu 7º ano, quando estava quase a sair para a faculdade. E o que garanto sem margem de dúvida é que a praça “Heróis do Ultramar” já existia desde o meu 5º ano (1972), porque me refugiava lá com colegas muitas vezes… A Solum (que bem podia ser chamada de “Bairro Mendes Silva”!, com toda a propriedade) já estava em franca expansão nessa altura. Passei muitos “furos” nos cafés das imediações, em plena malha urbana dessa recém nascida Solum (o actual Tamoeiro e o outro que ficava por trás e ainda existe). Dali mesmo – e tb por causa do enquadramento urbanístico da praça – partiu um célebre Rally TAP, lembro-me tão bem… era o tempo da grande Michelle Mouton, e ainda hoje parece que estou a ver o brilho fantástico dos 3 Alpine Renault, as estrelas da companhia, nesse tempo. Està certíssima! E o (a) Soni NÃO TEM RAZÃO.

        Comentar por Laura Ramos Lopes — Junho 11, 2011 @ 1:08 am

      • Laura, de vez em quando levo no focinho de alguém que acha que estou a inventar. Mas hoje este comentário é uma carícia. Os cantos que descreve foram os meus nos meus anos de Coimbra….de que guardo excelentes memórias.

        Comentar por ABM — Junho 13, 2011 @ 11:47 pm

    • Está correcta a data. A praceta em frente ao D. Maria foi arranjada antes do 25/04 com a estátua dos Heróis do Ultramar feita pelo Mestre Cabral Antunes o meu dolmen de combate serviu de modelo para que o Mestre fizesse a estátua com o menino aos ombros.

      Comentar por Antonio Olayo — Junho 10, 2011 @ 9:26 pm

      • Olá Soni se ainda leres esta minha resposta após estes tempo, mas só hoje vi este artigo.,

        Pelo teu nome e descrição do local onde viveste posso dizer-te que fui teu vizinho (morei no andar por baixo do teu), sou um grande amigo do teu irmão e andei contigo ao colo quando eras bebé. Fui para a Solum em 1972 e realmente a praça já estava arranjada com aquelas árvores antes do 25 de Abril de 1974, tendo realmente daí partido a primeira etapa do Rali TAP de 1973 (só que nessa altura a Michel Mouton ainda não participou em Portugal, como a Laura referiu, mas os Renault Alpine A110 deram um verdadeiro espectáculo). Saí da Solum no início dos anos 80 mas continuei a morar perto e a frequentar o Tamoeiro e depois o Piolho (nas traseiras) até ao final dos anos 80 (agora só lá vou esporadicamente para encontrar os meus amigos).
        Grandes tempos os anos 70 em que jogávamos à bola e andávamos de patins no meio da estrada pois os carros ainda eram poucos, sem falar nos bailes de garagem…
        Beijos e abraços a todos os que conviveram nessa altura comigo.

        Luís Santos

        Comentar por Luís Santos — Abril 12, 2013 @ 12:10 pm

  3. Sou natural de Coimbra donde sai em 1972,vivo em Ermesinde e chamo-me Álvaro Campeão tenho 66 anos e frequentei a Escola Brotero e aprendi a nadar na piscina que outrora se chamava Piscina do Calhabe agora sepultada sob o Dolce Vita e aprendi a nadar com o saudoso Luís Lopes da Conceição talvez no ano de 1960. Morei e ainda tenho residência no Bairro da Arregaça onde vou assiduamente.

    Comentar por Alvaro Campeão — Janeiro 28, 2014 @ 10:37 pm

  4. só sei que em 1966 já saltava da prancha mais pequena

    Comentar por Eduardo Rodrigues — Dezembro 19, 2015 @ 4:17 pm


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: