THE DELAGOA BAY COMPANY

Novembro 18, 2011

JOÃO ANTÓNIO RODRIGUES DE MORAIS – UMA VIDA DE DESPORTO EM MOÇAMBIQUE

Agradeço profundamente a João Morais e à sua filha Ana Sampaio, a disponibilização das informações, recortes e fotografias que seguem em baixo e num conjunto de posts que se seguirão, em que se fala não só do seu percurso desportivo mas também das fases de evolução dos desportos que praticou em Moçambique.

Em baixo, um resumo do seu percurso, dito na primeira pessoa, com algumas edições minúsculas minhas e algumas fotografias. No final, gradualmente inserirei as ligações para os diferentes desportos, de que destaco o rico espólio respeitante ao Karting em Moçambique, de que João Morais foi um dos pioneiros.

Este trabalho fica arquivado no índice à direita sob “Karting”, onde a presença de João Morais foi mais saliente.

JOÃO MORAIS, NA PRIMEIRA PESSOA

Nasci no dia 13 de Julho de 1935 em Anha, Viana do Castelo, em Portugal Continental.

Cheguei a Moçambique dia 6 de Janeiro de 1946 com 11 anos de idade. Era um domingo. Os meus pais procuraram em Moçambique a oportunidade de uma melhor vida e eu acompanhei-os nesse desafio.

Fiz a 3ª classe do ensino primário na escola Correia da Silva em Lourenço Marques.

A 4ª classe do ensino primário, fiz na escola Carvalho Araújo em Inhambane, em 1948.

Em 1950, regressei a Lourenço Marques, tendo em 1951 trabalhado nos “machimbombos”, até 1955.

Nesse mesmo ano -1955- ingressei na empresa industrial de tabacos “Fábrica Velosa”, como serralheiro mecânico, empresa onde estive trabalhei durante 21 anos… até Setembro de 1976, altura em que regressei definitivamente a Portugal.

Durante esses trinta inesquecíveis anos em Moçambique, pratiquei diversos desportos.

HÓQUEI EM PATINS

O cartão de patinador de João Morais da Associação de Patinagem de Lourenço Marques, época de 1953-1954.

Entre eles, o hóquei em patins pela “Casa do Funcionário”, mas infelizmente ao segundo jogo terminou o “Hóquei da Casa do Funcionário”.

Naquela altura, foi criada a “Taça de Moçambique” em hóquei e logo por azar, calhou-nos em sorteio o Grupo Desportivo Lourenço Marques”, que era nesse tempo a fina flor do hóquei. Faziam parte da equipa jogadores como; Garradas, R. Duarte, Gabriel, Adrião, Menezes e Lisboa. Nós éramos só cinco, ou seja; Aguiar, Russo, Pereira, Costa e eu o Morais, que nunca tinha pisado um ringue de hóquei, nem mesmo em treino.

Perdemos por 27-0.

No segundo jogo já não alinhei, mas também perdemos salvo o erro, por 17-0 e assim acabou o hóquei em patins para mim e também para a “Casa do Ferroviário”.

FUTEBOL

Depois veio o futebol. Como nessa altura eu trabalhava nos “Machimbombos” e o campo do 1º de Maio era logo ali na esquina, lá fui eu treinar para os juniores do Grupo Desportivo 1º de Maio. Estive ao lado de grandes jogadores como; Vicente Lucas da Fonseca e o irmão Matateu, este bem melhor que eu, daí eu ser dispensado tendo ido para o “São José de Inhambane” e depois para o “ Maritimo” onde estive cerca de um ano e meio e entrado em 5 ou 6 jogos.

A equipa de futebol em que o João Morais jogou. Para ver em maior detalhe, prima na imagem duas vezes com o rato do seu computador. Faltam os nomes, que, se souber, mande uma nota para aqui.

CICLISMO

O Ciclismo chamou-me entre 1955 até 1957, pelo “Sporting Clube de L.M.”, onde também encontrei grandes colegas tais como; Normando Magalhães e Amadeu Gouveia, entre tantos outros que de momento não me recordo, que muito me ajudaram.

João Morais sentado na sua bicicleta.

Éramos quatro corredores que representávamos o S.C.L.M., todos nascidos em Anha (actual freguesia de Vila Nova de Anha – Viana do Castelo). Eu, João Morais, Manuel Neiva, Manuel Barreto e o M. Enes (estes três já falecidos).

SERVIÇO MILITAR

Depois veio o serviço militar durante 18 meses na “Ilha da Xefina”, ou seja, na B.A.C. 2, onde consegui pela primeira vez dois primeiros lugares. Não em desporto, mas sim no regime militar ou seja, um na “Especialidade” e outro na “Escola de Cabos” o que na altura me trouxe grandes problemas com o então comandante do nosso quartel.

João chunguila no seu fato militar.

João Morais na Ilha da Grande Xefina, guardando a Pátria contra os...caranguejos.

João na Grande Xefina sentado em cima das peças de museu que defendiam a Pátria.

Pelo meio dos outros desportos, o João ainda fez um bocadinho de pesca desportiva. Aqui, entre colegas à entrada da Barra, em frente à ilha da Inhaca.

MOTOCICLISMO

Um ano (talvez) depois de ter acabado o serviço militar virei-me para o desporto motorizado. Motas…. A minha primeira mota era uma “Flloreti”, a segunda uma “Zundapp” e a terceira era própria para competição, uma “Gareli”.

Em Vila Luísa (actual Marracuene) João Morais fivou em 1º lugar na modalidade de motas com 49 centímetros cúbicos.

Tive muito boas prestações, entre elas a primeira prova em que entrei com a “Gareli” contra as “Pachanchos” (que foram preparadas em Braga para essa competição), fiquei em 1º lugar com um avanço de cerca de 3Km do 2º classificado. Prova disputada entre “Marracuene e Manhiça”.

MINI-RALIS

Entrei em dezenas de mini-ralis, ou seja, “A caça ao tesouro”, onde fiz parelha com o meu cunhado Simões (Alfredo Simões), a minha irmã Natália Simões e um grande amigo nosso, o Horácio, que era o cérebro intelectual da nossa equipa, tendo-nos levado a vencer mais de 20 provas.

Num rali, a colocar um dístico do Restaurante O Dragão, em Lourenço Marques.

Por volta de 1960 também isto terminou.

KARTING

Em 1964, comecei a construir o 1º karting (construi 4 kartings) e entrei nesse mesmo ano, no 1º campeonato de karting, quando já tinham decorrido as duas primeiras provas, tendo terminado em 2º lugar.

O 2º campeonato, correu-me muito bem porque em 12 provas, salvo erro, ganhei nove.

João Morais numa competição no autódromo em Lourenço Marques.

No 3º campeonato só corri 3 provas, onde tentei ajudar o meu colega de equipa, isto porque nessa altura viajei até Portugal por um período de cinco meses para conhecer a terra onde nasci.

O 4º campeonato não se chegou a realizar devido ao acidente que houve na prova de preparação para esse mesmo campeonato, tendo acabado aí o karting em Lourenço Marques.

Também para mim terminou aqui o desporto…

Em 1966 fui sócio fundador do Sport Lourenço Marques e Benfica com o nº 367.[nota: falta confirmar o ano]

Já em Portugal e ao serviço da empresa “Monte & Monte”, actual “Monte Adriano”, ainda entrei durante dois anos em provas de karting nos convívios de final de ano entre colegas de trabalho, mas aí já sentia o peso dos cabelos brancos na cabeça.

E são estas as recordações que tenho do meu passado desportivo, onde sempre fui influenciado pelos grandes amigos que em L.M. sempre tive e é isso que eu hoje recordo com enorme saudade. A grande amizade que havia entre todos nós e que eu nunca mais encontrei… No entanto, devo dizer que, embora tenha sido sempre influenciado pelos bons amigos que tive, houveram dois desportos que eu não pratiquei… o pára-quedismo, pelo amigo Robert Velosa, e a caça submarina por outro grande amigo, o Dick Velosa.

Não e NÃO….

(Fim)

Os troféus de uma vida desportiva rica.

João Morais com a neta, filha da Ana, em 2001.

LIGAÇÕES PARA POSTS DOS DIFERENTES DESPORTOS PRATICADOS POR JOÃO MORAIS

Karting –

Ralis –

Motas –

Ciclismo –

Anúncios

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: