THE DELAGOA BAY COMPANY

Novembro 25, 2011

DIÁLOGOS COM A HISTÓRIA: EUSÉBIO E HILÁRIO

Com vénia, e dada a sua importância, em seguida pode-se ler 1) a magnífica entrevista, conduzida por Pedro Candeias e Bruno Roseiro, ao Eusébio, publicada há uma semana na Revista Única, que acompanha o semanário Expresso de Lisboa, 2) no fim, os comentários do não menos grande Hilário, relacionados com afirmações feitas na entrevista concedida pelo Eusébio, feitas ao Expresso e A Bola e publicadas no dia 23 de Novembro de 2011.

A capa da revista Única, do Expresso, há uma semana.

página 41

Página 42

Página 43

Página 44.

Página 44 "A". O Rei.

Página 45.

Página 46.

Página 47.

Página 48.

Página 49 (última).

Hilário. Foto ASF em A Bola, com vénia.

HILÁRIO COMENTA

Cito o Expresso de 23 de Novembro de 2011:

Hilário da Conceição desmentiu as acusações de racismo no Sporting de Lourenço Marques, feitas por Eusébio em entrevista ao Expresso, na semana passada, e revelou que o jogador esteve muito perto de assinar pelo Sporting, quando já estava em Portugal.

O ex-companheiro do “Pantera Negra” diz, em entrevista ao jornal oficial do Sporting, que não percebe as declarações de Eusébio ao Expresso. “O Eusébio deve estar traumatizado por outras questões. Ele não foi tratado no Sporting com racismo. Ele é mais novo do que eu três anos, o que significa que quando representou o Sporting de Lourenço Marques já eu tinha lá estado e tinha sido muito bem tratado”, declara o antigo defesa-esquerdo internacional.

Hilário conta que ele foi “o primeiro preto” a chegar ao Sporting de Lourenço Marques, “um clube da alta sociedade moçambicana”, e que nunca teve qualquer problema com isso.

O ex-jogador do Sporting esclareceu também a história da chegada de Eusébio a Portugal, para ingressar no Benfica, porque “Eusébio conta mal a história”. Hilário revela que tentou trazer o “Pantera Negra” para o clube de Alvalade mas o então presidente do Sporting, Brás de Medeiros, só aceitava que a “fera” – como lhe chamava Hilário – viesse primeiro fazer testes.

Eusébio queria vir já com contrato assinado, pelo que o negócio não se realizou. Mais tarde, “o Bella Guttman falou de Eusébio ao presidente do Benfica, que recomendou logo a vinda do Eusébio por qualquer preço. Então, o Benfica chegou ao pé do Eusébio, deu-lhe dinheiro e este comprou logo um prédio e uma vivenda. A mãe do Eusébio assinou os documentos e lá veio ele para Portugal.”

Já em Portugal – depois de ter viajado com o nome de “Rute” -, Eusébio esteve a um passo de assinar pelo Sporting, contou Hilário. “O Sporting oferecia-lhe dez vez mais do que o Benfica, dava dinheiro à mãe, e o Eusébio, com esse dinheiro, podia devolver o dinheiro que o Benfica lhe deu e ainda ficaria com algum para viver. Depois de estar em Lisboa, falei com o Eusébio (para ser jogador do Sporting Clube de Portugal) e ele aceitou.”

Hilário, segundo o relato feito ao jornal do Sporting, dirigiu-se ao lar do Benfica onde estava hospedado Eusébio e trouxe-o consigo, mas os responsáveis do Sporting não conseguiram contatar a filial moçambicana de Lourenço Marques para que autorizasse a transferência.

Por isso, Hilário voltou a levar Eusébio para o lar do Benfica, apenas para pernoitar. Grande “ingenuidade” minha, admitiu: “No Benfica, já tinham dado pela falta dele e quando ele apareceu esconderam-no no Algarve, numa casa de férias do Domingos Claudino (antigo dirigente ‘encarnado’). O Benfica não queria que eu tivesse contactos com o Eusébio. O Benfica acaba por segurar o Eusébio pelo impasse do telefonema. Se tivéssemos conseguido entrar em contato com Moçambique, naquelas 24 horas ele teria sido jogador do Sporting.”

E ainda Hilário analisado e citado n’A Bola:

Após a entrevista de Eusébio na revista Única, do Expresso, em que o Pantera Negra afirmou não gostar do Sporting por ser «um clube de elite, da polícia e racista», surge agora a resposta de Hilário da Conceição, que levou Eusébio para o Sporting de Lourenço Marques.

«Fui o primeiro preto a jogar no Sporting de Lourenço Marques e sempre fui bem tratado. Ele não foi tratado no Sporting com racismo», afirma o antigo defesa-esquerdo dos leões e da Selecção Nacional em entrevista ao Jornal Sporting, que estará amanhã nas bancas.

O jornal afirma ainda que Hilário da Conceição «conta a história da vinda de Eusébio de Moçambique para Portugal continental, entre outros temas».

Anúncios

3 comentários »

  1. Meus caros, tenho uma história curiosa, envolvendo o Eusébio, que talvez apreciem e que aqui vai. A minha avó Josefa Augusta de Sousa, também avó dos vossos conhecidos “Marinho” Mário Jorge de Sousa Martins, do “Spit” João Carlos de Sousa e do José Pedro de Sousa Flores Cardoso, era uma apoiante incondicional do Sporting Clube de Moçambique (suspeito que aprovou o namoro do meu pai, Carlos Braga, com a minha mãe, por ser um óptimo basquetista do Sporting…). Em todos os jogos de futebol lá estava a assistir com os outros “madalas”, sentada na varanda da sede do clube, por tás de uma das balizas (que saudades tenho dos treinos de judo com o mestre Pedreira, que ali se faziam).
    Numa data solene qualquer, suponho que por terem ganho alguma competição, a minha avó convidou toda a equipa de futebol do Sporting, onde se integravam o Eusébio e o Spit, para um lanche em casa dela. Só posso imaginar a qualidade desse lanche, saido das mãos de uma transmontana, que fazia as alheiras (já africanizadas, pois eram, na maior parte, feitas com carne de caça e já tinham piri piri), as bôlas e os folares melhores do mundo.
    Aqui fica mais um registo histórico, que espero tenham apreciado. Será que o Eusébio ainda se lembra??

    Comentar por Carlos Manuel de Sousa Braga — Novembro 29, 2011 @ 3:17 pm

  2. Eusébio Puzzle Racismo Contos Transferência Muro
    Tenho lido alguns registos paralelos sobre a vinda do Eusébio para o Sporting CP/Benfica.
    Quando o Eusébio veio para Portugal, de avião, estive com o Otávio Sá (antigo guardas redes do SCP e irmão do Marcelo Sá, também Guarda redes do SCLM e meu vizinho na Machaquene/LM), e foi ele quem pagou a viagem do Eusébio para Portugal, no próprio aeroporto de LM. Ninguém, dos amigos ou familiares do Eusébio avançaram, com interesse material, em favor da vinda de Eusébio para o Benfica.
    Quanto à histório da “Rute”, julgo que pertence aos espaços perdidos do Puzzle.
    O Sr. Mateus (pai do nadador do SCLM; Manuel Mateus), era nessa altura o Presidente do SCLM, que foi com o Eusébio ao BNU, onde recebeu um cheque de 200 Contos (do SCP para o SCLM), que entregou ao Eusébio e ele foi para casa com o dito cheque no bolso (coisas dos bons tempos de África).
    Toda a gente sabe que o “Muro de Eusébio”, do antigo SCLM, é a prova provada, de ter sido o SCP a enviar Contos ao SCLM.
    Sobre o racismo no SCLM, é vermos os atletas de todas as raças que foram seus desportistas
    Existe um respeito que tenho pelo Eusébio, o facto de ter uma ligeira dislexia, aproveitada por muitos para fazerem chacota, sem saberem que o Gn. Ramalho Enes e o Dr. Cavaco Silva, também têm e o Solnado e o Saramago (os seus textos não eram aceites, nas escolas públicas, como em bom português, antes de ter o PN), tinham também uma percentagem acentuada.
    Viriato

    Comentar por Viriato da Silveira — Dezembro 31, 2011 @ 8:02 pm

  3. Ainda bem que ainda há um Hilário para colocar os pontos nos “i”. Nada do que o Hilário afirmou foi desmentido…

    Comentar por Joaquim Parente — Março 22, 2012 @ 11:35 am


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: