THE DELAGOA BAY COMPANY

Janeiro 4, 2012

OS CARTÕES DE ATLETA DE JOSÉ GUERREIRO MARTINS, ANOS 40 E 50

Fotografias gentilmente cedidas por José Guerreiro Martins.

 

1947-1949.

 

Não consigo ler o ano.

 

Este não consigo ler...

 

1951-1953.

Advertisements

2 comentários »

  1. Caro Tomané

    Quando fui Dirigente do Grupo Desportivo 1.º de Maio (1969-1972), e também preparador físico da equipa de futebol do clube, o Guerreiro foi também o treinador.

    Mas vou contar um caso curioso que aprendi com ele.num jogo do 1.º de Maio com o Desportivo.

    1970 – Lourenço Marques

    Jogo: 1.º de Maio – Desportivo de L.M.

    1.ª parte – O Antero, poveiro dos sete costados, dá um soco no defesa do Desportivo

    Apito. Cartão vermelho. Antero expulso.

    O sr Guerreiro, treinador:
    – Então para que foi aquilo ?

    Antero explica:
    – Chamou-me filha da p…!

    Intervalo. Tudo para o balneário.
    O treinador do 1.º de Maio, vai falar no caso Antero e chama a atenção de todos os jogadores:

    – Quero que vocês todos saibam de uma vez por todas, para que o caso Antero não se repita. Todos temos duas mães, uma a verdadeira que está em casa, que é intocável, e outra para ser usada nos campos de futebol.

    Antero voltou para a Póvoa de Varzim, de onde era natural, e o sr. Guerreiro vive hoje no Algarve, ligado à hotelaria.

    A este propósito não resisto a transcrever um artigo do Advogado, o Dr. Santana-Maia Leonardo:

    “…, não posso deixar de trazer à colação a defesa do saudoso Ramada Curto de um seu cliente acusado de ter chamado ‘filho da p…’ ao ofendido.

    Nas suas alegações, Ramada Curto começou por chamar a atenção do juiz para o facto de, muitas vezes, se utilizar essa expressão em termos elogiosos (“Aquele filho da p…é o melhor de todos”) ou carinhosos (“Dá cá um abraço, meu grande filho da p…”) tendo concluído as suas alegações da seguinte forma:

    “E até aposto que, neste momento, V.Ex.ª está a pensar o seguinte: ‘Olhem lá do que aquele filho da p… não se havia de lembrar para safar o seu cliente!…'”.

    Chegada a hora da sentença, o juiz vira-se para o réu e diz:

    O senhor vai absolvido mas agradeça ao filho da p… do seu advogado.”

    Com um abraço, Tomané, do
    joão boaventura

    Comentar por joão boaventura — Janeiro 4, 2012 @ 5:56 pm

    • Sr. Professor Boaventura,

      Deixou um sorriso na boca desta praa…. e obrigado pela histria. Que uma lio. Toman

      Comentar por Antonio Botelho de Melo — Janeiro 4, 2012 @ 6:06 pm


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: