THE DELAGOA BAY COMPANY

Outubro 19, 2013

CARLOS WILSON, FERNANDO MATOS, MANUEL BRAGA, NEVES E TAFOY, BOXISTAS DE MOÇAMBIQUE, 1945

Muito grato a Raquel Braga, filha de Manuel Braga, que se deu à chatice de digitalizar e enviar cópias dos documentos em baixo, que foram recuperados.

Recorte de um jornal português não identificado, de 1945, dando notícias da chegada a Lisboa dos pugilistas moçambicanos.

Recorte de um jornal português não identificado, de 1945, dando notícias da chegada a Lisboa dos pugilistas moçambicanos Fernando Matos e Carlos Wilson, Júlio Neves, Manuel Braga e Jorge Tafoy. Aguardavam-nos Carlos Gomes, Xangai Justino Rodrigues e Jorge Larzen.

Segundo a Raquel Braga, filha de Manuel Braga, este fotografia foi tirada no ringue do Campo Pequeno, Portugal, em 1945.

Segundo a Raquel Braga, filha de Manuel Braga, esta fotografia foi tirada no ringue do Campo Pequeno, Portugal, em 1945. Supostamente são os boxistas de Moçambique mas não sei onde pus a legenda. Deixo aqui uma grelha e quem puder ajudar, por favor escreva para aqui com detalhes. Da esquerda: B1, B2, B3, B4, B5, B6 e B7. Ah já encontrei. A Raquel escreveu: “contando da esquerda para a direita: Jorge Táfoi, Fernando Matos, Xangai, a pessoa a seguir ou é o manager Palma Moura ou Carlos Gomes estou em duvida de seguida Carlos Wilson, Manuel Carvalho Braga e Júlio Neves, a foto foi tirada no ringue do Campo Pequeno em Lisboa”.

Março 18, 2013

CAIXA DE FÓSFOROS DO GRUPO DESPORTIVO LOURENÇO MARQUES

Filed under: 1940 anos, Caixa de fósforos do GDLM — ABM @ 7:47 pm
Face de caixa de fósforos do Grupo Desportivo Lourenço Marques, creio que produzidos em Macau.

Face de caixa de fósforos do Grupo Desportivo Lourenço Marques, creio que produzidos em Macau.

CAIXA DE FÓSFOROS DO GRUPO DESPORTIVO 1º DE MAIO DE LOURENÇO MARQUES

Filed under: 1940 anos, Caixa de fósforos do 1º de Maio — ABM @ 7:41 pm
Face de caixa de fósforos do Grupo Desportivo 1º de Maio, um clube histórico de Lourenço Marques.

Face de caixa de fósforos do Grupo Desportivo 1º de Maio, um clube histórico de Lourenço Marques.

Outubro 7, 2012

O GRUPO DESPORTIVO 1º DE MAIO NO XAI-XAI, 1946

Filed under: 1940 anos, 1º de Maio no Xai Xai 1946 — ABM @ 9:09 pm

Fotografia de Carla Pinhal, restaurada.

Para ver a foto em tamanho gigante, prima na imagem com o rato do computador.

 

“O Grupo Desportivo 1º de Maio no Xai Xai 1946”. O pai da Carla -Armindo Pinhal – está algures no meio do grupo…

A EQUIPA DE CICLISMO DO FERROVIÁRIO EM LOURENÇO MARQUES, OUTUBRO DE 1947

Fotografia de Carla Pinhal, restaurada.

 

A equipa de ciclismo do Ferroviário que se classificou em segundo lugar, 14-10-1947 . Da esquerda para a direita: o 1º é o Pires, o 4º é o Pedro Mendonça e o 5º o Armindo Pinhal

A EQUIPA DE FUTEBOL DO ARSENAL NA NAMAACHA, ANOS 1940

Filed under: 1940 anos, Armindo Pinhal, Equipa do Arsenal, Júlio Queiroz, Picolo — ABM @ 8:41 pm

Fotografia de Carla Pinhal, restaurada.

 

Legenda “Arsenal na Namaacha, empatamos por 3-3”. Deve ter sido na 2ª metade da década de 1940. Da esquerda para a direita:
Fila de baixo – o 2º é o Julio Queiroz (?) e o 3º é o Picolo (?)
Fila de cima – o 5º é o Armindo Pinhal

Agosto 31, 2012

EQUIPA DE FUTEBOL DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 1940

Filed under: 1940 anos, Armindo Pinhal, FUTEBOL MOÇAMBIQUE — ABM @ 5:38 pm

Fotografia gentilmente enviada por Carla Pinhal, filha de Armindo Pinhal, restaurada.

 

Foto sem legenda. Deve ter sido tirada na 2ª metade da década de 40. Da esquerda para a direita na fila de cima o 6º é o Armindo Pinhal. Se alguém souber mais detalhes, por favor escreva uma nota para aqui.

JOGO DE FUTEBOL EM XINAVANE, 16 DE OUTUBRO DE 1949

Filed under: 1940 anos, Alípio Roxo, Armindo Pinhal, FUTEBOL MOÇAMBIQUE — ABM @ 5:29 pm

Fotografia gentilmente enviada por Carla Pinhal, filha de Armindo Pinhal, restaurada.

 

A legenda desta fotografia: “Arsenal em Xinavane, empatámos por 3-3, 16-10-1949”. Da esquerda para a direita: Fila de cima – o 7º é o Armindo Pinhal Fila de baixo – o 2º é o Alípio Roxo

A EQUIPA DE FUTEBOL DOS SOLTEIROS EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1940

Fotografia gentilmente enviada por Carla Pinhal, filha de Armindo Pinhal, restaurada.

 

Deve ter sido na 2ª metade da década de 40. Tinha a legenda “A equipa dos solteiros que perdeu por 1-0”. De pé, da esquerda: Fila de cima – Carlos Pinhal ( tio da Carla), P2, P3, P4, P5, P6 e P7. De joelhos: J1, J2, J3, Armindo Pinhal e J5.

EQUIPA DE FUTEBOL EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1940

Filed under: 1940 anos, Alípio Roxo, Armindo Pinhal, FUTEBOL MOÇAMBIQUE — ABM @ 4:41 pm

Fotografia gentilmente enviada por Carla Pinhal, filha de Armindo Pinhal, restaurada.

 

A foto Não tinha qualquer legenda, deve ter sido na segunda metade da década de 1940. Da esquerda para a direita:
Fila de cima, da esquerda: P1, P2, P3, P4, P5, P6, P7, Armindo Pinhal e Picolo (este sem certezas). De joelhos: Alípio Roxo, J2, J3, J4, e J5.

COSTA PEREIRA E ARMINDO PINHAL EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1940

Filed under: 1940 anos, Armindo Pinhal, Costa Pereira — ABM @ 4:32 pm

Fotografia gentilmente enviada por Carla Pinhal, filha de Armindo Pinhal, restaurada.

 

Da esquerda para a direita, P1, Costa Pereira (nº 85), P3, P4 e Armindo Pinhal (nº 73).

EQUIPA DE FUTEBOL EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1940

Filed under: 1940 anos, Armindo Pinhal, Costa Pereira, FUTEBOL MOÇAMBIQUE, Liua — ABM @ 4:24 pm

Fotografia gentilmente enviada por Carla Pinhal, filha de Armindo Pinhal, restaurada.

 

A fotografia não tinha qualquer legenda, deve ter sido tirada na segunda metade da década de 40. De pé, da esquerda: P1, P2, P3, P4, P5, Armindo Pinhal (pai da Carla), P7 e Liua. De joelhos: J1, Reis, Costa Pereira, J4 e J5. Se conhecer algum dos elementos com nomes em falta, por favor envie uma nota para aqui.

Maio 22, 2012

CARTÃO DE SÓCIO DO GRUPO DESPORTIVO LOURENÇO MARQUES, 1949

Filed under: 1940 anos, Cartão de Sócio do GDLM 1949 — ABM @ 8:53 am

Documento gentilmente cedido por D. Suzette Malosso.

 

Capa de cartão de Sócio do GDLM, 1949.

 

Interior do cartão.

Abril 18, 2012

A PRIMEIRA REGATA INTER-CLUBES DE POLANAS EM LOURENÇO MARQUES, 1945

Fotografia generosamente cedida pela Bebé Amaro Morais, mulher do Eduardo Nunes de Morais.

Aspecto da primeira Regata Inter Clubes de Polanas, 28 de Maio de 1945. Diz a Bebé: "Em 1945...eu tinha 5 anos, mas o meu marido já tinha 14 e tinha-se iniciado a velejar na Catembe, na Mocidade Portuguesa. Naquele tempo, não havia ainda, snipes nem vauriens...só polanas como eram assim chamados. Esta regata foi entre a Catembe e o Porto de Lourenço Marques, que se vê ao fundo.. " Para ver a foto em tamanho maior, prima na imagem duas vezes com o rato do seu computador.

Março 12, 2012

A EQUIPA DE NATAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE WITSWATERSRAND NA INAUGURAÇÃO DA PISCINA DO DESPORTIVO EM LOURENÇO MARQUES, 1949

Fotografia muito gentilmente enviada da África do Sul pelo meu colega da natação Pierre Jeanrenaud, que lhe foi enviada pela sua mãe, Maria de Lourdes Correa de Sousa Neves, filha do Dr. António de Sousa Correa Neves, que foi Presidente do Grupo Desportivo Lourenço Marques.

A equipa de nadadores sul-africanos, estudantes da Universidade de Witswatersrand em Joanesburgo, que se deslocaram a Lourenço Marques para a inauguração da piscina do Desportivo (então com dimensões olímpicas - 33.3 metros), no dia 24 de Julho de 1949.

A EQUIPA DE NATAÇÃO DO DESPORTIVO DESFILA EM LOURENÇO MARQUES, 1948

Fotografia muito gentilmente enviada da África do Sul pelo meu colega da natação Pierre Jeanrenaud, que lhe foi enviada pela sua mãe, Maria de Lourdes Correa de Sousa Neves, filha do Dr. António de Sousa Correa Neves, que foi Presidente do Grupo Desportivo Lourenço Marques.

A equipa de natação do Grupo Desportivo Lourenço Marques (hoje Grupo Desportivo de Maputo) à direita, durante um festivel no Estádio Paulino dos Santos Gil em Lourenço Marques, 1948. De notar o atleta cheio de medalhas à esquerda, a falar no microfone. Parece que é o José Bento mas não tenho a certeza, se alguém souber por favor envie uma nota para aqui. A mãe do Pierre, cujo pai, o Dr. Sousa Neves, na altura era o Presidente do Desportivo, é a bonita jovem de branco, segunda a contar da direita na fila da frente.

Janeiro 9, 2012

ANTÓNIO DE SOUSA NEVES, FERNANDO E MÁRIO LAGE E JOSÉ MANUEL MADEIRA LEITÃO, ATLETISMO, 1947

Foto gentilmente cedida por António de Sousa Mendes e Pierre Yves Jeanrenaud, respectivamente filho e neto do Dr. Sousa Neves, presidente do GDLM em 1948-49.

António de Sousa Mendes comentou: “a nossa era uma equipa invencível. Nos torneios, nós costumávamos assegurar pelo menos as três primeiras posições. No primeiro ano eu venci os 83 metros barreiras e a seguir passei para a categoria de séniores. Na final dos 110 metros barreiras, na última barreira eu estava à frente dos meus concorrentes, composto pelos melhores corredores da cidade. Eu estava tão delirante e surpreendido que…tropecei na barreira. É a vida. Mas ganhei no salto em altura e na estafeta 4×100 metros.”

 

A equipa de Barreiras do Desportivo LM em 1947. De pé, da esquerda: José Manuel Madeira Leitão e Fernando Lage. De joelhos: António de Sousa Neves e Mário Lage. Para ver esta fotografia em tamanho máximo, prima na imagem duas vezes com o rato do seu computador.

 

 

ANTÓNIO CORREA DE SOUSA NEVES, PRESIDENTE DO GRUPO DESPORTIVO LOURENÇO MARQUES, 1948

Foto gentilmente cedida por António de Sousa Neves e Pierre Yves Jeanrenaud, respectivamente filho e neto do Dr. Sousa Neves.

Em Lourenço Marques, o Dr. Sousa Neves foi advogado e político.

Num momento crucial de edificação do que é hoje o Desportivo, o Dr. Sousa Neves assumiu a direcção do Clube, levando a bom termo a construção da sua piscina, inaugurada em 24 de Julho de 1949.

O Dr. Sousa Neves, Presidente do Desportivo, aqui em 1948.

Janeiro 7, 2012

ANTÓNIO SALDANHA DE SOUSA NEVES, ATLETA DO DESPORTIVO, 1949

Fotografia gentilmente cedida por António Saldanha de Sousa Neves via o seu sobrinho e meu amigo Pierre Jeanrenaud.

O seu pai foi Presidente do Desportivo LM em 1948-49, quando foi construída a piscina do Clube.

Praticou atletismo por isso esta inserção estrá indexada no atletismo.

A piscina do Desportivo foi inaugurada no dia 34 de Julho de 1949. Foi paga com contribuições dos sócios do Clube e pela sua Rifa.

 

António de Sousa Neves.

 

O Cartão de Sócio-Atleta do Desportivo de António Saldanha de Sousa Neves, 1949.

Janeiro 4, 2012

OS CARTÕES DE ATLETA DE JOSÉ GUERREIRO MARTINS, ANOS 40 E 50

Fotografias gentilmente cedidas por José Guerreiro Martins.

 

1947-1949.

 

Não consigo ler o ano.

 

Este não consigo ler...

 

1951-1953.

Janeiro 3, 2012

JÚLIO NUNES, PAI DE ARMANDO NUNES, TIRA O BREVET NA BEIRA, ANOS 1940

Foto de Armando Nunes, que nadou e fez vela na Beira.

 

Júlio Nunes junto to teco-teco.

Janeiro 2, 2012

RUI NOVAIS LEITE MONTEIRO: CELEBRANDO UMA VIDA

Rui Novais Leite Monteiro, falecido em 30.12.2011, aqui em 2005.

O nome de Rui Novais Leite Monteiro, que faleceu na passada sexta-feira aos 90 anos de idade, ficará para sempre associado à história da navegação aérea em Moçambique, em particular ao Aero Clube de Moçambique, de que foi um dos mais activos participantes. O seu apelido perdura em Moçambique hoje através do seu filho, Rui Monteiro.

Se o exmo. Leitor quiser saber mais sobre quem ele foi e o que fez, recomendo a consulta ao excelente blogue Voando em Moçambique, magnificamente mantido pela Sra. D. Luísa Hinga e Sr. José Vilhena, de quem copiei hoje uma excelente nota biográfica e duas fotografias, que reproduzo em seguida, com alguma edição minha e informação adicional referida pelo Sr. Coronel Manuel Bernardo numa nota que escreveu a 31.12.2011 no inigualável Macua Blogs.

Os rapazes do Aero Clube de Moçambique. Da esquerda: Jaime Fajardo, Paulo Cunha, John Murray, Artur Cardoso, Rui Monteiro e Rui Lacueva.

Rui Novais Leite Monteiro nasceu a 22 de Junho de 1921 em Moçambique e desde sempre ali residiu. Decano dos pilotos aviadores privados em Portugal à altura do seu falecimento, possuía mais de 3.500 horas de voo e 14.000 aterragens na sua longa carreira de piloto e de instrutor.

Vindo de Moçambique, onde nascera, em Portugal treinou e voou pela primeira vez a 09 de Setembro de 1939, desde logo a solo, num “pairador” Schulgleiter lançado por cabos elásticos no Monte Maria Dias (Algueirão-Sintra), na então Escola de Aviação Bartolomeu de Gusmão promovida pela Mocidade Portuguesa em parceria com o Aero Clube de Portugal.

Participou num curso com dezoito alunos e uma duração de quinze dias, dirigido pelo Dr. João Pinto Coelho e sendo seu instrutor o alemão Schurke (campeão do Mundo de Voo à Vela). O voo de Rui Monteiro teve a duração de 17 segundos. Foi brevetado como piloto privado em 1940 no Aero Clube de Braga, campo de aviação de Palmeira, tendo efectuado o seu primeiro voo a solo a 3 de Dezembro de 1939 num pequeno monomotor Taylor Cub J-2 de 40 cavalos, “CS-AAU”.

Foram seus instrutores Roberto Sameiro e Esteves de Aguiar, num curso igualmente promovido pela Mocidade Portuguesa, a título gracioso, mas com o compromisso de entrar como piloto miliciano da então Aeronáutica Militar. Foram seus colegas o Cte. Amado da Cunha (TAP), Manuel Cardoso, José Manuel Soares e Artur Zanha.

Regressado a Moçambique, aprendeu com os Comandantes Luís Branco e Jorge Veloso o voo nocturno, com o Coronel Armando Vieira os multimotores, com Artur Lacueva a acrobacia e com Júlio Lázaro a radiotelefonia.

Foi sócio, instrutor e presidente do Aero Clube de Moçambique (com sede em Lourenço Marques), instrutor e director das Escolas de Pilotagem dos Aero Clubes de Gaza (Xai-Xai), Inhambane e Vila Trigo de Morais. Pelas suas mãos passaram várias gerações de pilotos ali formados. Até há poucos anos, mantinha válida a sua licença de piloto privado, sendo o mais velho piloto Português ainda no activo.

Na então Lourenço Marques, colaborou activa e decisivamente na construção de 4.000 casas populares no bairro da Machava e também na Coop, durante 17 anos, tendo oferecido uma escola primária, considerada como das mais lindas da cidade e que foi construída nesse bairro. Durante a sua carreira profissional, esteve ligado a cerca de quarenta empresas.

O Coronel Manuel Bernardo, que o conheceu bem, referiu: “Rui Monteiro era um homem de raras qualidades de humildade, coragem e abnegação ao serviço dos outros, em todas as circunstâncias.”

Aquando da Independência, deixou Moçambique, tendo ir viver para a Linha do Estoril, em Portugal. Todo o seu património foi posteriormente nacionalizado.

Apesar dos vários convites que lhe foram posteriormente feitos, nunca mais regressou a Moçambique.

Da esquerda: Artur Cardoso, Marques Pinto, Dias, Férias, Pereira, Telmo Pereira e Rui Monteiro.

Em Portugal, pertenceu aos quadros directivos do Aero Clube de Portugal, onde foi Presidente do Conselho Fiscal, Vice-Presidente da Direcção e Presidente da Assembleia Geral respectivamente, clube que lhe atribuiu vários diplomas de honra. A Federação Aeronáutica Internacional (FAI) concedeu-lhe em 1990 o diploma Paul Tissandier, a Ordem dos Cavaleiros de Colombo e distinguiu-o com uma cruz por salvamento num desastre aéreo, com risco da própria vida.

Ficaram célebres os voos acrobáticos deste grande piloto Moçambicano, participante activo em todos os festivais aéreos que por todo o território de Moçambique se realizaram, tendo efectuado o seu último voo no dia 18 de Junho de 2006, com 85 anos de idade.

Membro activo das Forças Aéreas Voluntárias em Moçambique, foi um dos seus fundadores naquela então província portuguesa, durante os dez anos que durou a guerra que culminou com a Independência em 1975, tomando parte em inúmeros voos de busca e salvamento, transporte de feridos e de mantimentos, e principalmente em numerosos voos de Correio Aéreo.

Uma credencial de Rui Monteiro Pai, anos 1960.

Foi correspondente durante vários anos da Revista do Ar, onde publicou vários artigos sobre a Aviação em Moçambique.

Sobre Rui Monteiro pai, Fernando Lopes Subtil escreveu: “Uma grande perda para todos aqueles que como eu tiveram a sorte de terem sido seus alunos e amigos durante mais de 50 anos, uma grande perda para todos os que de uma forma ou de outra estiveram ligados ao Aeroclube de Moçambique e de Gaza, os meus sentimentos aos filhos e restante familia, um grande abraço ao Rui monteiro filho.”

Carmo Jardim escreveu: “Conheci-o muito bem tinha por ele o maior respeito como piloto e também como instrutor. À Família amiga um grande beijinho especial.”

Rui Monteiro Pai era casado com D. Aurita. Deixa cinco filhos (Ana Maria, Rogério, Deolinda, Maria José (Zé) e Rui jnr) e vários netos.

Junto-me a todos apresentando à sua Família as minhas condolências e celebro a memória de um homem que teve uma vida verdadeiramente excepcional.

Janeiro 1, 2012

ABEL BETTENCOURT CARDOSO CONDECORA JÚLIO CERNADAS PEREIRA, ANOS 1940

Foto de Marisa Cardoso.

 

Júlio Cernadas Pereira sendo condecorado por Abel Bettencourt Cardoso, na altura presidente do Sporting Clube de Lourenço Marques. Anos 1940.

Dezembro 25, 2011

ALBERTO DE MORAIS VALLE E O PAINEL ARTÍSTICO DO DESPORTIVO

O complexo do Grupo Desportivo Lourenço Marques. A piscina foi inaugurada a 24 de Julho de 1949. Esta foto data do início dos anos 1960, antes das terraplanagens feitas a poente. O painel executado por Morais Valle encontra-se à entrada do Clube. Para ver esta fotografia em tamanho maior, prima na imagem duas vezes com o rato do seu computador.

O painel artístico concebido e feito por Morais Valle , lado esquerdo.

O painel artístico do Desportivo, lado direito.

Graças a Isabel do Valle, neta Alberto de Morais Valle, “descobri” ontem que este artista foi o autor do bonito painel que desde meados de 1949 decora a entrada do actual Grupo Desportivo de Maputo. E pelo qual passei milhares de vezes sem nunca saber quem os tinha feito.

Alberto de Morais Valle.

Alberto de Morais Vale nasceu em Belém, Portugal, no dia 20 de Junho de 1901. Tendo ficado órfão dos pais, com 8 anos foi para a Casa Pia com o irmão. Aos 15 anos, inscreve-se na Escola de Belas Artes e Liceu Gil Vicente. Três anos depois, em 1919, matricula-se no curso de escultura, tendo como colegas nomes que mais tarde se tornariam muito conhecidos. Em 1923 começa a dar aulas na Casa Pia, onde ainda vivia na altura. Em seguida deu aulas um pouco por toda a parte. Em 1926 casou com Clarinda, com quem teve Lia (1927), Cristina (1930) e Rui (1934).

Entre 1929 e 1944 leccionou principalmente na zona das Caldas da Raínha.

Escultura de AMV.

Uma escultura de AMV, premiada numa exposição levada a cabo na Sociedade Nacional das Belas-Artes.

AMV com a filha Lia, uma dos seus três filhos, aqui em Óbidos, 1937.

Em 1944 decidiu ir viver para Lourenço Marques.

Do livro sobre AMV: a ida para Lourenço Marques em 1945.

A permanência em Lourenço Marques. Excerto do livro de Isabel do Valle sobre o seu avô.

Desenho de uma mulher, feito em Lourenço Marques por AMV.

Mais sobre a vida de AMV em Lourenço Marques.

Foto tirada durante uma exposição em Lourenço Marques.

O segundo da esquerda em baixo, AMV com colegas da Escola Sá da Bandeira em Lourenço Marques.

Os Valle durante uma visita ao Jardim Zoológico de Lourenço Marques, 1954. Já doente, AMV regressaria à então Metrópole, onde faleceria em 6 de Outubro de 1955, na cidade do Porto.

Notícia, num jornal de Lourenço Marques, dando conta do falecimento de AMV em Portugal, mencionando o seu contributo no Núcleo de Arte e na Escola Industrial.

Dezembro 4, 2011

DIA DA INAUGURAÇÃO DA PISCINA DO DESPORTIVO EM LOURENÇO MARQUES, 24 DE JULHO DE 1949

Muito grato ao Pierre Jeanrenaud pelo envio da fotografia em baixo, onde (à direita) se pode ver a sua mãe. Creio que o seu avô materno teve que ver com a sua construção mas vou esperar pela informação.

Para ver esta foto em tamanho maior, prima na imagem em baixo duas vezes com o rato do seu computador.

Atletas do Grupo Desporitvo Lourenço Marques no dia 24 de Julho de 1949, um domingo. A mãe do Pierre é a jovem à direita na foto. Faltam os nomes dos restantes atletas, se alguém souber por favor envie uma nota para aqui.

Older Posts »

Create a free website or blog at WordPress.com.