THE DELAGOA BAY COMPANY

Janeiro 9, 2012

SÉRGIO CRUZ, A ESTRELA DE MANICA, CAMPEÃO DE TÉNIS

Filed under: 1970 anos, 1980 anos, 2010 anos, Sérgio Cruz, TÉNIS DE MOÇAMBIQUE — ABM @ 10:41 pm

 

Nasceu em 31 de Agosto de 1954 na então bucólica Vila Manica, entre os mais belos cenários naturais que África pode proporcionar. E cresceu para se tornar num grande campeão de ténis, em Portugal, onde foi o nº1 entre 1978 e 1981, e internacionalmente. Sem dúvida um dos melhores senão o melhor tenista que Moçambique e Portugal tiveram até hoje.  Hoje com 57 anos, Sérgio Cruz é um conceituado treinador e consultor de ténis, baseado na Suíça, tendo treinado entre outros, Jim Courier, e trabalhado com Pete Sampras.

Mas não esqueceu nunca a sua terra natal e os seus encantos.

Aqui, a ligação ao seu sítio profissional na internet.

O jovem Sérgio em Manica.

 

O jovem futuro campeão posa com o seu melhor amigo.

 

Já adolescente, no court.

 

O campeão, durante um jogo.

 

Uma edição especial de uma raquete da Donnay. Se o exmo. Leitor olhar com cuidado, verá o nome do nosso campeão, "S.Cruz", inscrito.

 

 

Outubro 27, 2011

ANTÓNIO AMARO CARDOSO, DESPORTISTA DE MOÇAMBIQUE

Filed under: 1970 anos, 1980 anos, Cardoso (Benfica LM), FUTEBOL MOÇAMBIQUE — ABM @ 6:55 pm

Muito grato à Maria Leonor Cardoso pela disponibilização das fotografias aqui contidas.

O António Cardoso era mais conhecido pela sua excelência no futebol, de que se destaca os seus anos no Benfica de Lourenço Marques, no entanto praticou outros desportos em Moçambique. Para efeitos de indexação neste blogue, as suas fotos estarão sempre associadas ao seu nome (“Cardoso – Benfica LM”) na área de futebol.

Para ver estas fotografias em tamanho gigante, por favr prima nas imagens duas vezes com o rato do seu computador.

O cartão de atleta do António Amaro Cardoso, 1974-1975.

 

António Cardoso com a Maria Leonor, ainda em Lourenço Marques.

 

O Eric Cardoso, filho do António e da Maria Leonor, na fase pós-mufana (ele hoje tem para aí 31 anos de idade).

Setembro 21, 2011

NOVO LIVRO SOBRE TRINTA E UM GRANDES DO FUTEBOL DE MOÇAMBIQUE, DE PAOLA ROLLETTA, LANÇADO NO DIA 15 DE SETEMBRO

A capa do livro "Finta Finta", formalmente lançado em Maputo no passado dia 15 de Setembro, com os patrocínios do Banco Comercial de Investimentos e da empresa de comunicações Vodacom.

Para quem seguiu e segue o futebol em Moçambique, ter e ler esta obra, a cuja confecção acompanhei em parte, é quase obrigatório.

Decalco de uma nota de imprensa (que como não podia deixar de ser martelei):

No livro finta finta, publicado pela Texto Editores e prefaciado pelo escritor moçambicano João Paulo Borges Coelho [vencedor do Prémio Leya há um ano com “O Olho de Hertzog”] Paola Rolletta traça a história do futebol moçambicano através de trinta e um retratos de jogadores e técnicos que levantaram alto o nome de Moçambique em todo o mundo, desde a década de 50 até hoje.

finta finta é principalmente uma homenagem a todos os jogadores e técnicos moçambicanos, famosos e anónimos, sonhadores e fazedores da história do futebol e da nação moçambicana. Os trinta e um retratos servem de amostra de quanto Moçambique tem contribuído para o desenvolvimento do futebol mundial, desde Costa Pereira até Dominguez, passando por Matateu, Mário Coluna, Eusébio, Abel Miglietti, Shéu, Calton Banze, Tico Tico…, entre outros «príncipes da bola», nas palavras de João Paulo Borges Coelho.

A maior parte dos grandes abordados nesta obra com 224 páginas repeltas de dados e de fotografias.

Apesar do seu papel, no dia-a-dia da sociedade moçambicana, o futebol nunca teve o lugar que merece na história, mas o futebol é história. Como já bem dizia o poeta José Craveirinha, através de uma simples bola, da forma de jogar, e organizar o próprio jogo, se pode conhecer até a história de um povo.

Paola Rolletta, jornalista italiana, vive em Moçambique, onde trabalha como freelancer para diversos órgãos de comunicação nacionais e internacionais. Muitos portugueses se recordarão das suas peças na RTP enquanto correspodente em Roma.  O futebol é uma das suas grandes paixões e como não tem talento no relvado, diverte-se a escrever sobre ele.

Paolla Rolletta, no centro, acaricia o saudoso Sr. Malangatana.

O livro, com 224 páginas, em edição bilingue em Português e em Inglês, reúne um grande número de imagens e informações históricas. Os textos foram editados por Gil Filipe e Margarida Donas Botto. As fichas técnicas foram elaboradas por Cloé Ribas. A tradução para o Inglês é de Paul Fauvet. O projecto gráfico foi desenvolvido por Luciana Hees. A revisão da obra do lado da Texto Editores esteve a cargo do meu caro Paulo Pires Teixeira. Ou seja, um elenco de luxo para um tema de luxo.

O livro já está à venda em Moçambique por vinte e poucos euros.. Agora só falta chatear alguém para a obra ser vendida em Portugal e adjacências também.

Para mais informações:

Texto Editores, Lda, telefone: 258 21499071; celulares: 258 823261460 ou 258 843261460; fax: 258 21498648; e-mail: info@me.co.mz; ou no endereço postal: Av. Julius Nyerere, Nº 46, r/c em Maputo, Moçambique.

Julho 14, 2011

O GRANDE DAVE ADKINS – UM AMERICANO NO BASQUET MOÇAMBICANO, ANOS 70 – EM 2011

Muito agradecido a Dave Adkins e ao Rogério Carreira pelas fotografias que aqui seguem.

 

Dave Adkins como muitos dos exmos leitores se recordarão dele, nos anos 70.

No seu excelente repositório de informação, o Rogério Carreira caracteriza numa linha a passagem do Norte-Americano Dave Adkins por Moçambique no princípio dos anos 70: “o Norte Americano Dave Adkins foi o treinador do Sporting no tempo de Mário Albuquerque, Nelson Serra, Rui Pinheiro, que ajudou a vencer em Luanda o Campeonato Nacional em 1973, com uma exibição de luxo frente ao Sport Lisboa e Benfica. Treinou também o Benfica , a Académica e o Desportivo.”

Mas há muito mais a dizer, e tive a sorte de a semana, após o Dave ter enviado uma sentida mensagem de condolências pelo falecimento de Adão Ribeiro, essa outra grande figura do basquet moçambicano e que conhecera bem, de estabelecer contacto com ele e pedir mais umas informações.

Dave Adkins jogou basquet desde jovem. logo na universidade (Cornell), cuja equipa de basquet integrou.

Em 1971 vai para a então Lourenço Marques, onde esteve no centro da evolução do basquet moçambicano até meados de 1974.

Nas suas palavras, traduzidas por mim (se bem que o Dave entenda bem e escreva razoavelmente português):

Eu treinei a Académica (Baganha, Gui, Quim Neves, Inc.) em 1972. Nesse ano ainda joguei algumas vezes como treinador-jogador, mas na altura não já estava na melhor forma física. Perdemos o campeonato provincial por um ponto contra o Sporting.

Em 1973 tive o privilégio de treinar a equipa veterana do Sporting de Lourenço Marques (Mário, Nelson, Luis A., Terry J., Ramão, Rui, Vitor, Simango, Tomané) e de os levar à final do campenato nacional de basquet, que vencemos ao derrotar o Benfica de Lisboa em Luanda por 102-77.

Em 1974 treinei a equipa de basquet do Desportivo (Lima e Cia.)

 Mais tarde treinei a equipa de basquet Hobart Devils, na liga profissionbal de basquet australiana, entre 1985-1989, a NBL durante três anos onde se fez um bom progresso com uma equipa que tradicionalmente tinha sido relativamente fraca. 

Em seguida, trabalhei durante dez anos como agente de atletas profissionais de basquet no estrangeiro, tendo colocado atletas na Austrália, Nova Zelândia, Japão e Europa.

Neste momento estou reformado e em vias de mudar-me, com a minha mulher Geneva, que conheci em Lourenço Marques onde ela trabalhava no consulado americano local, da cidade de Des Moines, no Estado de Iowa, para a cidade de Corpus Christi, no Texas.

Gostava de referir que os três anos que passei em Lourenço Marques e os contactos que tenho vindo a manter com a malta (sic) constituem pontos altos da minha vida pessoal e profissional. É sempre um enorme prazer contactar com antigos jogadores e treinadores do basquet de Lourenço Marques.

Quem quiser escrever uma nota ao Dave que escreva uma mensagem para aqui ou mande uma nota pedir o seu endereço de correio electrónico

1961. Dave em baixo à direita, na selecção de basquet do Midwest da NCAA, a liga americana de basquet universitário.

 

Dave Adkins em 1962 dá uma coça no seu adversário de Grinnell.

 

A equipa de basquet da Académica LM no tempo de Dave.

 

1972. As estrelas americanas numa digressão por Moçambique e Angola.

 

1973. O Sporting de Lourenço Marques atinge o zénite ao ganhar o campeonato nacional.

 

1973. Durante a primeira ronda do Campeonato Nacional de basquet em Luanda.

 

Luanda, 1973. Em apoteose, Dave é levado aos ombros da sua equipa - campeões nacionais.

 

Dave e Geneva passeiam em Joanesburgo, África do Sul, no dia...24 de Abril de 1974. No dia seguinte, um golpe militar em Lisboa prenunciou o fim da presença colonial portuguesa em África.

 

1979. Dave na Austrália.

 

1980. Dave, à direita, com dois craques do basquet australiano.

 

1987. Ainda na Austrália, Dave, à direita, com os Hobbart Devils, que pela primeira vez ganharam mais jogos do que os que perderam.

 

1996. Dave Adkins como agente de estrelas do basquet, aqui com alguns dos basquetebolistas que representou.

 

Em 1999, Dave Adkins publicou um livro sobre a sua carreira associada ao basquet. O livro pode ser comprado na Amazon, bastando ir ao sítio da Amazon na internet e colocar o nome dele ou o nome do livro.

 

Um comentário de Dave Adkins sobre a colocação de uma estrela do basquet americano.

 

Dave em 2005

 

Dave com a sua mulher Geneva em casa no Estado de Iowa, 2010. Em breve vão-se mudar para o Texas, onde o clima é mais....africano. Dave e Geneva copnheceram-se em Lourenço Marques, onde Geneva trabalhava no Consulado norte-americano local.

 

 

Junho 22, 2011

JOSÉ GULHERME VALLERA GOMES PEPE

Filed under: 1980 anos, ANDEBOL, José Pepe — ABM @ 4:48 pm

Foto do José Pepe.

Pepe viveu sempre em Moçambique mas teve um curto período de “purgatório lusitano” na alentejana Beja, onde jogou Andebol. Em baixo, o seu cartão de federado de 1981-1982.

O cartão de federado de José Pepe, época 1981-1982.

 

José Pepe dá baile no Liceu de Beja.

Junho 10, 2011

A EQUIPA DE FUTEBOL DE SALÃO DA PIONEER, 1980-1981

Filed under: 1980 anos, Equipa Pioneer, FUTEBOL DE SALÃO, Rogério Carreira — ABM @ 3:24 pm

Foto gentilmente enviada pelo Rogério Carreira.

Faltam os nomes.

 

A equipa da Pioneer no torneio da Celcat, na Parede, 1980-1981.

A EQUIPA DE FUTEBOL DE SALÃO DA PIONEER, 1984

Filed under: 1980 anos, Equipa Pioneer, FUTEBOL DE SALÃO, Rogério Carreira — ABM @ 3:16 pm

Foto gentilmente enviada pelo Rogério Carreira.

Faltam os nomes

A equipa da Pioneer, classificada em 3º lugar no torneio da Tabaqueira, 1984.

Maio 19, 2011

ROMÃO FÉLIX MANUEL NO DESPORTIVO, ANOS 50

Filed under: 1950 anos, 1980 anos, 2000 anos, Eusébio da Silva Ferreira — ABM @ 11:18 pm

Fotos de Romão Félix Manuel.

Uma nota  pessoal. Falei hoje com Romão Félix, que, para minha supresa, me disse que era amigo do meu pai e que andou comigo ao colo quando eu era mufana. Ainda maior surpresa por descobrir que ele foi atleta do Desportivo (!) o meu clube de eleição até aos 15 anos. O que se segue são algumas fotos dos tempos do Desportivo e outras mais recentes.

Aqui, uma homenagem ao criador da figura do Parafuso, que marcou uma era.

E jogou pelo Desportivo.

A equipa de basquet de Infantis do Desportivo, 1951. Na imagem, de pe´da esquerda: Tavares, Helpídio, Cidrais, Toneca e Romão Félix Manuel. De joelhos: António Jorge, Varito, Freddy, Guilherme e Mandioca. Ou muito me engano ou alguns destes nomes,,,, deram em campeões.

1952, no campo de futebol do Desportivo em Lourenço Marques. Romão Félix Manuel recebe uma medalha da mão do jornalista Paula, num torneio patrocinado pelo Lourenço Marques Guardian. Ao fundo, do lado esquerdo, vê-se o Hotel Girassol.

Romão Félix Manuel na pele de um personagem que ele criou, o Parafuso.

Romão com duas figuras conhecidas (?) made in Moçambique. À sua esquerda António Calvário. À sua direita....the King!

Romão com um senhor que acho que vivia no Porto há uns anos.

Maio 13, 2011

ROGÉRIO CARREIRA – ESBOÇO DO SEU PERCURSO DESPORTIVO

Rogério Carreira em Maxixe: o melhor marcador.

(O que se segue foi copiado e editado a partir do magnífico sítio, Roger Tutinegra cuja página, com nada menos que 171 fotografias, pode ser vista premindo AQUI).

ROGÉRIO CARREIRA NASCEU EM LOURENÇO MARQUES NO DIA 14 DE JUNHO DE 1955.

O PRIMEIRO CLUBE EM QUE INGRESSOU FOI O GRUPO DESPORTIVO LOURENÇO MARQUES (HOJE GDM), NAS ESCOLAS  DE FUTEBOL, TENDO SIDO TREINADO POR PERDIGÃO.

Rogério criança em Lourenço Marques.

NO ANO SEGUINTE, OPTOU PELA PRÁTICA DO FUTEBOL NA ACADÉMICA, AINDA NOS ESCALÕES JOVENS, TENDO SIDO TREINADO POR PÉRIDES.

NA ALTURA FOI VÁRIAS VEZES JOGAR AO ESTÁDIO SALAZAR, ANTES DOS JOGOS DOS CLUBES DE PORTUGAL, BENFICA, SPORTING, PORTO.

Jogando mini-basquet na Escola Primária Rebelo da Silva (hoje a Escola 3 de Fevereiro em Maputo). O Rogério é o segundo a seguir ao que tem a bola.

A SUA IDA PARA A ÁFRICA DO SUL PARA ESTUDAR CONSTITUIU UMA NOVA ETAPA DESPORTIVA. ALI, JOGOU NOS CAMPEONATOS DISTRITAIS EM KLERKSDORP PELO KLERSDORP UNIDOS CLUB, TENDO SIDO CAMPEÃO PROVINCIAL DO TRANSVAAL. NO LICEU QUE FREQUENTOU, FOI SEMPRE MEMBRO DA SELECÇÃO, TENDO JOGADO VÁRIAS VEZES CONTRA OUTRAS SELECÇÕES ESCOLARES DA PROVINCIA DE KLERSDORP.

Rogério numa equipa de futebol de salão.

DE REGRESSO A MOÇAMBIQUE, FOI, POR OBRIGAÇÕES PROFISSIONAIS DO SEU PAI, VIVER PARA A CIDADE DE MAXIXE, TENDO ALI JOGADO NOS JUNIORES E SENIORES PELO GRUPO DESPORTIVO DA MAXIXE, CONHECIDO POR FERRÃO, E PARTICIPOU EM TODAS AS SELECÇÕES, JOGANDO CONTRA AS SELECÇÕES DO XAI XAI, DE LOURENÇO MARQUES , DA BEIRA E DE VILANCULOS.

Os campeões de Inhambane, 1972

NESSA ALTURA, TEVE DOIS CONVITES, UM DO SPORTING DE PORTUGAL E OUTRO DO FUTEBOL CLUBE DO PORTO, AINDA COMO JUNIOR. A PROPOSTA, FEITA AO SEU PAI, ERA QUE JOGARIA E ESTUDARIA, FICANDO A VIVER NOS RESPECTIVOS LARES. MAS NÃO FOI.

Os campões do Limpopo em futebol de salão, 1972

EM 1970, NUMA DAS VEZES EM QUE O SPORTING DE DAMAS, NELSON, PERES, ALEXANDRE BAPTISTA, HILÁRIO, YAZALDE E COMPANHIA VIERAM A MOÇAMBIQUE, FOI CONVIDADO A IR TREINAR COM ELES AO ESTÁDIO SALAZAR.

Rogério na equipa de futebol de salão da TEAL Discos, anos 70.

FEZ DOIS TREINOS COM ELES. GOSTARAM E FOI NESSA ALTURA QUE PROPUSERAM FAZER UM CONTRATO (AINDA TINHA IDADE DE JUNIOR). NÃO ACEITOU POR CRIANCICE E PROVAVELMENTE MAIS UMA VEZ GOROU-SE UMA BOA OPORTUNIDADE DE CONTINUAR A CARREIRA DESPORTIVA EM PORTUGAL.

O Rogério com os pais em Inhambane, anos 70.

O SELECIONADOR DE JUNIORES ERA JOAQUIM RIBEITO, O CONHECIDO MAKAY, E EM SENIORES ERA JOÃO PAULETA.

NO FERRÃO JUNIORES TEVE COMO SEU TREINADOR SALIMO, E NOS SENIORES JORGE CASTRO.

Os campeões de futebol. Desportivo da Maxixe, época 1972-1973.

FOI O MELHOR MARCADOR DE JUNIORES DA EQUIPA E SUBIU A SÉNIORES AINDA COM IDADE DE JUNIORES E LOGO AÍ NO CAMPEONATO DISTRITAL DE SENIORES FOI TAMBÉM MELHOR MARCADOR DO CAMPEONATO.

Rogério em Maputo, contra o Atlético.

EM 1974, NO 1º CAMPEONATO NACIONAL DE MOÇAMBIQUE (MOÇAMBOLA) E EM REPRESENTAÇÃO DO FERRÃO, DEU NAS VISTAS EM JOGOS COM EQUIPAS DA CAPITAL, (ATLÉTICO, 1º DE MAIO E DESPORTIVO) E AINDA NESSE ANO FOI CONTRATADO PELO GRUPO DESPORTIVO LOURENÇO MARQUES AINDA COM 19 ANOS, TENDO COMO TREINADOR JOÃO ALBASINI E MAIS TARDE SERAFIM BAPTISTA, TENDO JOGADO ATÉ 1976/77, APESAR DE UMA GRAVE LESÃO MUSCULAR LHE TER ESTRAGADO A ÚLTIMA ÉPOCA EM MOÇAMBIQUE, ÉPOCA ESSA EM QUE O DESPORTIVO FOI CAMPEÃO NACIONAL.

Num encontro entre o Sporting e o Desportivo, 1975. O Rogério é o jogador à esquerda.

FEZ NO ENTANTO UM INTERREGNO EM 1975 PARA IR À ÁFRICA DO SUL (JOHANNESBURG) PARA UM ESTÁGIO NO CLUBE PORTUGUÊS LUSITANO FUTEBOL CLUBE, LEVADO PELO EX-SPORTINGUISTA O FAMOSO ARMANDO COELHO.

A EXIBIÇÃO AGRADOU E QUISERAM PROPOR-LHE UM CONTRATO, MAS MAS MAIS UMA VEZ DECLINOU UM EXCELENTE CONTRATO E SEGURAMENTE UMA MELHORIA DE VIDA, POR RAZÕES PESSOAIS.

A Selecção do Vasco da Gama, 1972.

NO DIA 5 DE MAIO DE 1977 EMBARCOU PARA PORTUGAL, PAÍS ONDE NUNCA TINHA ESTADO.

Rogério na Praça do Comércio em Lisboa, 1977.

DEDICOU-SE ENTÃO AO FUTEBOL DE SALÃO, DESPORTO QUE AINDA HOJE JOGA ENTRE AMIGOS, APESAR DE TER SIDO CONVIDADO PARA DAR CONTINUIDADE À CARREIRA FUTEBOLÍSTICA NO LOUROSA, NO VASCO DA GAMA DE SINES, NO SACAVANENSE, TODOS CLUBES DE 2ª DIVISÃO NACIONAL, NA ALTURA TENDO-SE PERDIDO UM JOVEM DE FUTURO COM APENAS 22/23 ANOS.

A equipa de Júniores do Desportivo da Maxixe, 1972.

ATALHE-SE QUE EM MOÇAMBIQUE JOGOU SEMPRE PARALELAMENTE FUTEBOL DE SALÃO, TENDO-SE NOTABILIZADO NAS EQUIPAS DO RANGERS, ASAS, ÂNCORAS, CINEARTE, SODECO, PTL E TEAL DISCOS. EM PORTUGAL JOGOU NAS EQUIPAS DA PIONEER, SPORTIVA, SALÃO EUROPA, JOMA, ETC…

Rogério com o filho Rogério Paulo, anos 80.

A GERAÇÃO DE JOGADORES DE QUE FAZ PARTE O ROGÉRIO FICOU COM A CARREIRA DESPORTIVA AFECTADA DEVIDO AO 25 DE ABRIL, JÁ QUE QUASE TODOS TIVERAM QUE INTERROMPER, NA SUA TERRA, AS SUAS CARREIRAS, QUE IAM NO INICIO, E ESTAVAM A CIMENTÁ-LAS, PARA SE DESLOCAREM PARA A ÁFRICA DO SUL , PORTUGAL, BRASIL COM AS SUAS FAMILIAS AINDA COM 20/25 ANOS, NÃO TENDO AÍ CONDIÇÕES PARA DAR CONTINUIDADE ÀS SUAS VIDAS DESPORTIVAS. NO FUNDO TUDO ISTO ACONTECEU ATÉ AOS SEUS 23 ANOS, IDADE COM QUE ROGÉRIO CHEGOU A PORTUGAL … O QUE TERIA SIDO SE OS EVENTOS NÃO TIVESSEM DECORRIDO ASSIM.

Rogério com duas filhas.

Rogério e a geração seguinte dos Carreiras.

As filhas Carreira.

Rogério e o neto "Carreirinha".

Rogério ladeado por The King e a sua mulher Lolita.

Abril 2, 2011

JOSÉ SACADURA E AMIGOS, ANOS 50 E 80

Fotos de José Sacadura.

Nos cerca de seis anos em que viveu na Beira, em Moçambique, José Sacadura foi professor de ginástica, treinador de natação e Seleccionador de Moçambique. O seu currículo em Portugal é extenso.

No corredor da piscina grande do Algés e Dafundo, anos 50: Justino Garrido, José Sacadura, Artur Gil, Avelino Pereira e (?).

Nos campeonatos nacionais de natação em Aveiro, 1957. José Sacadura no pódio para receber o 1º lugar nos 1500 metros livres. Não sei os nomes dos jovens que ficaram em 2º e 3º lugar.

Hermano Patrone e José Sacadura.

José Sacadura em 1987, com o Sr. Rodrigues, árbitiro, na cidade do Porto.

Março 31, 2011

MANUEL PRATA DIAS, GRANDE DO TÉNIS E DESPORTO DE MOÇAMBIQUE

Fotos muito gentilmente enviadas por Ariana Dias.

No dia 11 de Fevereiro deste ano, o Prof. Rui Baptista escreveu um texto recordando o Prof. Manuel Prata Dias, que pode ser lido premindo AQUI. Na sequência dessa nota, uma neta do Prof. Prata Dias, Ariana Dias, muito gentilmente contactou aqui a casa e subsequentemente facultou as excelentes fotos que em baixo se mostram, do que foi uma figura ímpar do ténis e do desporto de Moçambique antes da Independência.

Manuel Prata Dias no meio que o celebrizou em Moçambique: num court de ténis.

Manuel Prata Dias, de cartola, quando se casou com Teresa em Lourenço Marques.

No recato brasileiro, Manuel Prata Dias creio que com a mulher e uma neta.

Prata Dias creio que com uma neta, no Brasil.

Uma pequena foto de Prata Dias em Lourenço Marques.

DELEGAÇÃO PORTUGUESA NOS JOGOS OLÍMPICOS

Foto gentilmente enviada por José Branco.

 

Uma pequena foto de jornal da delegação que representou Portugal nos Jogos Olímpicos de Moscovo em 1980. Apesar de não se ver bem (se alguém tiver melhor por favor envie para aqui) aqui estão alguns nomes conhecidos de Moçambique: José Branco, Rui Abreu, Eurico Perdigão, José Sacadura. E o grande nadador Paulo Frishknecht.

 

Março 24, 2011

CURRÍCULO DO PROF. JOÃO CORREIA BOAVENTURA

Documento “raptado” do excelente sítio dos ex- Liceu António Enes.

Merece leitura atenta.

Então aqui vai:

Prof. João Correia Boaventura, Educação Física

Nasceu em Lisboa, em 1 de Outubro de 1924, no Bairro de Santa Catarina.

Emigrante aos 4 anos de idade para Vigo e depois para Madrid, onde estudou até ao 2º ano dos liceus, em 1936, ano em que eclodiu a Guerra Civil Espanhola, pelo que teve de deslocar-se a Alicante para embarcar no Contratorpedeiro Douro, destinado a transportar refugiados portugueses e brasileiros para Lisboa.

Frequentou os Liceus: Secção do João de Castro (situado no local onde hoje está o Centro Cultural de Belém), Passos Manuel, Secção do Passos Manuel (Carmo) e Gil Vicente.

Funcionário do Instituto Nacional de Estatística e do Comando-Geral da PSP (1945-1957).

Como trabalhador-estudante, licenciou-se em Educação Física e frequentou o Curso de Sociologia no ISCTE, faltando uma cadeira para a licenciatura.

Funções desempenhadas

A – Em Moçambique (Lourenço Marques):

1 – Professor de Educação Física no Liceu António Enes (1958-1975)
2 – Director do Centro de Documentação e Informação do Conselho Provincial de Educação Física de Moçambique (1968-1975)
3 – Professor da Escola de Educação Física de Lourenço Marques para as cadeiras de “Doutrina, Legislação e Orgânica”, “História da Educação Física”, “Educação Física Comparada”, “Deontologia”, e “Administração e Organização da Educação Física” (1969-1975)
4 – Inspector do Centro de Medicina Desportiva de Lourenço Marques (1966-1969)
5 – Director e Prelector do Curso de Treinadores e Árbitros de Futebol de Moçambique (1969)
6 – Delegado de Moçambique para o “Clearing House” (Bruxelas) (1969-1975)
7 – Prelector nos seguintes eventos:
7.1 – Colóquio de Arbitragem de Hóquei em Patins (1969)
7.2 – Colóquio sobre Futebol, organizado pela Associação Provincial de Futebol de Moçambique (1974)
7.3 – Curso Provincial de Treinadores de Futebol (1974)
7.4 – Curso de Educação Física para o Ensino Primário (1970)
8 – Dirigente do Grupo Desportivo 1.º de Maio (1969-1972)
9 – Preparador físico da equipa de Futebol do Grupo Desportivo 1º de Maio (1969-1972)
10. Preparador físico da Selecção Provincial de Futebol de Moçambique (1972)
11 – Membro das seguintes organizações:
11.1 – Comissão de Inauguração do Estádio Salazar (Serviços de Imprensa) (1968)
11.2 – Comissão para a elaboração do novo Diploma Legislativo do Desporto em Moçambique (1969)
11.2 – Comissão Organizadora do I Simpósio de Investigação Aplicada à Educação Física e Desportos (1970)
11.3 – Comissão Organizadora dos V Jogos Desportivos Luso-Brasileiros (1972)
11.4 – Comissão Instaladora dos Centros de Medicina Desportiva de Moçambique (1972-1973)
11.5 – Grupo de Estudos e Trabalho para Aperfeiçoamento do Ensino, na Inspecção Provincial de Educação de Moçambique (1973)
11.6 – Comissão Organizadora do VII Campeonato Mundial de Vela da Classe Vaurien (1973)
11.7 – Comissão Organizadora do Comité Olímpico Moçambicano, e sua filiação no CIO (1974)
11.8 – Comissão Central da Organização das Federações Desportivas Moçambicanas, e filiações nas respectivas Federações Internacionais (1974)
11.9 – Comissão Organizadora do Festival da Independência de Moçambique (1974-1975)
12 – Organizador do Festival da Independência de Moçambique, e da “Chama da Unidade”
13 – Secretário do 1º Curso de Introdução à Medicina Desportiva, na Universidade de Lourenço Marques (1974)
14 – Presidente do Conselho Provincial de Educação Física de Moçambique (1974-1975)
15 – Indigitado para Subsecretário de Estado para a Educação Física e Desportos, pela Assembleia Magna dos Professores de Educação Física, a pedido do Governo de Transição de Moçambique
16 – Director e colaborador da revista “Educação e Movimento” (1974-1975).

B – Em Portugal

1 – Serviço Militar como Oficial Miliciano em Caçadores 1, em Portalegre (1945-1948)
2 – Preparador das equipas Militares de Caçadores 1 (Portalegre) em Corta-Mato, Futebol e Voleibol (1947)
3 – Organizador do Campeonato de Voleibol da Cidade de Portalegre (1948)
4 – Fundador da Associação Distrital de Voleibol de Portalegre (1948)
5 – Professor de Educação Física na Escola Secundária de Camões (1957-1958, e 1975-1993), na Escola do Magistério Primário de Lisboa (1957-1958) e no Colégio Frei Luís de Sousa (Almada) (1957)
6 – Preparador físico da equipa de Hóquei em Patins do Clube Atlético Campo de Ourique (1957-1958)
7 – Impulsionador da realização do Congresso da Associação Internacional de História da Educação Física e do Desporto, em Lisboa, como membro fundador desta (1980)
8 – Director do Centro de Documentação e Informação da Direcção-Geral dos Desportos (1975-1981)
9 – Delegado do “Clearing House” (Bruxelas) (1975-1980)
10 – Delegado do “International Sports and Physical Education Data System (University of California) (1977-1980)
11 – Membro da Comissão de Estudos da Violência e Medidas de Segurança nos Recintos Desportivos (1977-1980)
12 – Membro do Departamento de Formação Desportiva do Sporting Club de Portugal (1980-1983)
13 – Prelector no Curso de Treinadores de “Taekwon-do” (1982)
14 – Vice-Presidente do Conselho Directivo da Escola Secundária de Camões (1983-1984)
15 – Presidente da Comissão Organizadora do Museu Nacional do Desporto (1980) e (1985)
16 – Membro do Grupo de Trabalho para a elaboração do Diploma Legislativo sobre as relações entre o Estado e o Associativismo (1984)
17 – Coordenador do Atlas Desportivo Nacional (1986)
18 – Participou no Encontro Autarcas do Desporto, em Coimbra (1987)
19 – Membro do Grupo de Trabalho sobre o Desporto Profissional (1986-1988)
20 – Participou no Forum Horizonte, Oeiras (1988)
21 – Delegado à VII Reunião da Comissão Mista Permanente de Cooperação Caboverdiana, Mindelo (1988)
22 – Delegado à VIII Reunião da Comissão Mista Permanente de Cooperação Luso-Sãotomense (S. Tomé) (1988)
23 – Subdirector-Geral dos Desportos (1988-1993)
24 – Membro do Grupo de Trabalho para a elaboração de um Programa de Formação de Treinadores para os Países Africanos, em Londres (1989-1990)
25 – Membro da Comissão de Acompanhamento, Avaliação e Auditoria do Orçamento do Ministério da Educação (1990)
26 – Prelector da cadeira de Sociologia do Direito Desportivo no Curso de Pós-Graduação em Direito Desportivo, na Universidade Lusíada, em Lisboa e no Porto, no ano escolar 1995-1996

C – Participação em Reuniões Internacionais

1 – Congresso Internacional das Ciências da Actividade Física, no Québec (Canadá) (1976)
2 – Congresso Internacional do Council on Health, Physical Education and Recreation (ICHPER) na Cidade do México (1976)
3 – Reunião do Conselho da Europa sobre Desporto e Autarquia, em Madrid (1978)
4 – Congresso Científico Olímpico, no Oregon (USA) (1984)
5 – I Seminário sobre Desporto e Autarquia, na Fundação Gulbenkian (1985)
6 – II Seminário sobre a Sociedade e as Forças Armadas, em Lisboa (1985)
7 – Jornadas de História Contemporânea de Portugal, na Fundação Gulbenkian (1985)
8 – I Encontro Mundial de Directores de Museus de Desporto, organizado pelo CIO ,em Lausana (1986)
9 – I Conferência Ibero-Americana sobre o Desporto e a Educação Física, em Madrid (1986)
10 – Seminário sobre Equipamentos Desportivos, na Fundação Gulbenkian (1986)
11 – 5.ª Reunião Intergovernamental para a Educação Física e o Desporto, na UNESCO (Paris), (1986)
12 – Colóquio sobre o Estado Novo, na Fundação Gulbenkian (1986)
13 – Seminário do Comité Internacional para a História do Desporto, da UNESCO, em Kobe (Japão) (1986)
14 – II Conferência Ibero-Americana do Desporto para Todos, em S. Carlos de Bariloche (Argentina) (1986)
15 – Membro para a criação e elaboração dos Estatutos da Federação Pan-Americana do Desporto para Todos, em S. Juan de Bariloche (Argentina) (1986)
16 – Seminário sobre Desporto para Todos, em Montevideo (Uruguai) (1986)
17 – Sessão da criação da Academia Olímpica Portuguesa, em Troia, (1987)
18 – 8ª Conferência Desportiva Europeia, em Atenas (1987)
19 – I Sessão da Academia Olímpica Portuguesa, em Vila Real (1988)
20 – II Sessão da Academia Olímpica Portuguesa, em Santarém (1989)
21 – Semana do Desporto e Cultura, em Macau (1989)
22 – Seminário Internacional sobre Planear o Futuro do Desporto, em Lahti (Finlândia) (1990)
23 – III Sessão da Academia Olímpica Portuguesa, em Albufeira (1990)
24 – Seminário Europeu sobre Informação Desportiva, em Madrid (1992)
25 – Elaborador do documento I Jeux Communautaires de la Jeunesse para a Commission des Communautés Européennes (1993)
26 – Delegado de Portugal à reunião sobre The implications of European Community Directives on Sports, Luxemburgo (1993)

D – No âmbito da Violência Associada ao Desporto:

Colaborador nas seguintes instituições:

1 – Comissão de Estudos da Violência e Medidas de Segurança nos Recintos Desportivos, Lisboa (1977-1980)
2 – Grupo de Investigação Científica da Associação Internacional para a Luta contra a Violência Associada ao Desporto (Bruxelas) (1977-1980)
3 – Grupo de Trabalho para a Formação da Fundação Internacional Rita de Backer-Van Ocken para a Luta contra a Violência Associada ao Desporto, e redacção dos respectivos Estatutos (Bruxelas) (1980)
4 – Grupo de Trabalho para a redacção da Convenção Europeia sobre a Violência e os Excessos dos Espectadores durante as Manifestações Desportivas, e em especial nos Jogos de Futebol Conselho da Europa (Estrasburgo) (1985)
5 – Conferência dos Ministros Europeus Responsáveis pelo Desporto, para aprovação do texto da Convenção Europeia sobre a Violência e os Excessos dos Espectadores durante as Manifestações Desportivas, e em especial nos Jogos de Futebol, no Conselho da Europa (Estraburgo) (1985)
6 – Comité Permanente da Convenção Europeia sobre a Violência (Estrasburgo)(1985-1993)
7 – Groupe de Travail sur la Securité dans les Stades, no Conselho da Europa, (Estrasburgo) (1986)
8 – European Congress on Violence Control in the World of Sports (Atenas) (1989)
9 – Seminário Internacional sobre o Espírito Desportivo, (Oeiras) (1989)
10 – Semana da Ética Desportiva, (Peniche) (1989)
11 – Coordenador da Campanha Nacional da Ética (1991)
12 – Seminaire sur les Attitudes des Jeunes et l’Éthique (Reiquejavique) (Islândia) (1991)
13 – 3rd Meeting on European Fair Play Initiatives (Frankfurt) (1991)
14 – Groupo de Travail sur l’Éthique du Sport et les Jeunes, no Conselho da Europa (Estrasburgo) (1991-1992)
15 – Semana de la Ética Deportiva, (Madrid) (1992)
16 – Jornadas Deporte sin Violencia, (Barcelona) (1995)
17 – Forum sobre a Prevenção da Violência Associada ao Desporto, no CCB (1998)
18 – III Jornadas de Sociologia do Desporto, em Lisboa (1999)

E – Membro das seguintes instituições:

1 – Sócio fundador da Sociedade de Língua Portuguesa(1950)
2 – Sócio fundador da International Society for the History of Physical Education and Sport (1969)
3 – North American Society for Sport History, desde 1974
4 – Philosophic Society for the Study of Sport, desde 1976
5 – Sócio fundador da International Society for Comparative Physical Education and Sport (1979)
6 –Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (ISCTE), desde 1980
7 – Association for the Study of Play, desde 1981
8 – International Sociology of Sport Association, desde 1984
9 – The North American Society for the Sociology of Sport, desde 1984
10 – Australian Society for Sports History, desde 1985
11 – Centro de Investigação e Estudos de Sociologia, desde1986
12 – Academia Olímpica Portuguesa, desde 1988
13 – International Society of Olympic Historians, desde 1993
14 – Association of Sports Historians, desde 1998
15 – Sócio fundador da Sociedade Portuguesa de Psicologia Desportiva
16 – Sócio fundador da Sociedade Portuguesa de Educação Física

F – Trabalhos publicados

1 – Direito Desportivo. Subsídios para um Código Penal Desportivo, ed. DGEFDSE, Lisboa, 1958
2 – A Educação Física nos Trópicos (policopiado), trabalho apresentado no Congresso Luso-Brasileiro, em Luanda , 1966
3 – O Direito Desportivo e a Unidade Luso-Brasileira, (policopiado), trabalho apresentado no Congresso Luso-Brasileiro, em Luanda , 1966
4 – A Educação Física como meio de Aculturação (policopiado), trabalho apresentado no Congresso Luso-Brasileiro, em Luanda, 1966
5 – Inúmeros artigos no Notícias de Lourenço Marques, desde 1966 até 1974.
6 – A família como lugar de (re)produção da força de trabalho e do capital (policopiado), Lisboa, 1982
7 – O conceito de Estado em Karl Marx, Émile Durkhei, e Max Weber (policopiado), em colaboração com Carlos Monteiro, Hélia Lisboa et al., Lisboa, 1983
8 – A teoria da crise urbana, segundo Castells aplicada ao caso português, em especial ao equipamento social desportivo (policopiado), Lisboa, 1984
9 – A actividade física nas instituições civis e militares (policopiado), Lisboa, 1984
10 – O associativismo desportivo face à administração (policopiado), Lisboa, 1984
11 – O Desporto e o Salazarismo, in Relatório do Seminário Desporto e Autarquias, realizado na Fundação Gulbenkian, 1985
12 – O sufragismo feminino, antes, durante e depois da 1.ª República, à luz das constituições e das leis eleitorais (policopiado), em colaboração com Carlos Branquinho, Lisboa, 1985
13 – Algumas reflexões sobre a Escola de Frankfurt (policopiado), em colaboração com Carlos Branquinho, Hélia Lisboa e João Codina, Lisboa, 1985
14 – Corporativism in Portuguese Sport during Salazar’s Dictatorship, apresentado no ICOSH Seminar – Civilization Sport History, Kobe (Japão), 1986
15 – O Direito Desportivo na Vigência do Estado Novo (policopiado), apresentado no Colóquio sobre o Estado Novo. Das Origens ao fim da Autarcia. 1926-1959, na Fundação Gulbenkian, 1986
16 – Estudo sobre as Artes Marciais Orientais e as Organizações Não-Governamentais Mundiais, Internacionais, Continentais e Nacionais (policopiado), estudo solicitado pelo Conselho Superior do Desporto,1995
17 – Le Sport et les Jeunes, apresentado no Conseil de l’Europe, Strasbourg, 1995

RUI PRATA RIBEIRO E ABM, ANOS 80

Jovem de Nampula, nadou depois em Coimbra, onde ainda vive.

A foto, tirada nos anos 80, numa visita minha à cidade.

Rui Prata Ribeiro e ABM, Abril de 1982. Em casa do Dr. Cabrita.

CLÓ BOTELHO DE MELO E AMIGOS

Cló com Dulce Gouveia, Leonel Gomes, Lídia Gouveia, Victor Cerqueira e (não identificável).

Com a Lídia Gouveia no Desportivo LM.

Almoço da praxe num restaurante chinês, com Dulce Gouveia e Eurico Perdigão.

Com Dulce Gouveia e Olímpia Ótão.

Com Olímpia Ótão no Portugal dos Pequenos, em Coimbra, Portugal.

Com Ana Paula Pinto e as suas duas irmãs, na pista 8 a Teresa e na pista 9 a Maria José. Na piscina do Desportivo LM.

Durante uma prova de natação.

Com os colegas do curso de Educação Física, em Lourenço Marques.

Com Dulce Gouveia e Suzana Abreu.

Com Celeste Otão.

Março 3, 2011

ABM COM CARLA ABREU EM COIMBRA, 1980

Carla Abreu é a irmã mais velha do nadador Rui Abreu, o melhor nadador de Moçambique até esta data.

António Botelho de Melo e Carla Abreu em Coimbra, na então sede do Clube Académico de Coimbra, 1980.

Fevereiro 10, 2011

AMADEU PEIXE: UMA VIDA, PARTE 2 DE 2

Estas fotos foram gentilmente enviadas por Michele Didier, filha do grande Amadeu Peixe.

A parte 1 desta apresentação vem atrás (fotos 1 a 20).

Foto 21. Foto histórica: Amadeu Peixe à esquerda, Rui Quadros à direita. Os dois búfalos naquele dia tiveram mesmo azar.

Foto 22. O Gungu, leãozinho bebé de Amadeu, a chuchar. A assistir atentamente, o cão e o macaco.

Foto 22A. Um búfalo posa com Amadeu Peixe.

Foto 23. A família Peixe na cidade. Michele ao colo de Amadeu.

Os Peixinhos no mato. Um brinca com o leão, o outro com o leopardo.

Foto 25. Michele no mato discute o futuro da nação. Na verdade, Amadeu deambulou para uma zona onde, na tribo que se vê na imagem, nunca tinham visto uma criança de raça branca tão pequena. Então o pessoal vinha todo ver Michele e apalpá-la para ver se ela era mesmo de verdade.

Foto. 26. A família posa com um elefante.

Foto 27. Depois de uma caçada, foto com o leopardo.

Foto 28. Amadeu com o seu troféu mais valioso: Michele.

Foto 29. Anos mais tarde, Amadeu, à esquerda, com a família.

Foto 30. Michele com o pai, Amadeu.

Foto 31. Amadeu ao centro, à esquerda Michele, à direita o Cláudio, o filho Nº 5 de Amadeu.

Foto 32. Amadeu com o Mauro Henrique, marido da Michele, e o seu neto Eric, foto tirada circa 2005, em Itaguai, Rio de Janeiro.

Foto 33. Amadeu com um miúdo após uma pequena caçada na Fazenda Bariloche, no Brasil, propriedade do seu amigo Carlos Henriques, que também era dono da Fazenda Resgate, onde Amadeu eventualmente faleceu. Na fazenda Resgate, que é suposto ser um paraíso, viveram nos tempos idos muitos escravos trazidos de...Moçambique.

Foto 34. Amadeu à esquerda com a filha Michele e a Fernanda, avó materna da Vanessa, irmã da Michele (enfim, long story). Aqui junto do Cristo do Corcovado, que para variar deve estar atrás de quem tirou a fotografia.

Foto 35. Amadeu em pose, em Itaguai, no Brasil. Uns anos mais tarde, foi viver para a Fazenda Resgate.

Foto 36. Na Fazenda Resgate, no Brasil, junto dum sítio chamado Bananal, na fronteira entre os estados do Rio de Janeiro e de São Paulo. A praticar o arco e flecha.

Foto 37. Amadeu atira ao alvo na Fazenda Resgate.

Para ler o livro que Amadeu escreveu sobre a sua vida, veja a ligação em baixo.

Para descarregar e ler o livro de Amadeu Peixe, procure aqui:

www.michelepeixe.com/amadeupeixe

Janeiro 24, 2011

OA CAMPEÕES DE FUTEBOL DE MOÇAMBIQUE, 1922-2010

Eia uma lista dos campeões de futebol de Moçambique, que fui buscar ao sítio  http://www.rsssf.com/tablesm/mozchamp.html

CAMPEÕES DISTRITAIS DE LOURENÇO MARQUES

1922 Sporting Clube de Lourenço Marques
1923 Atlético
1924 Clube Indo-Português
1925 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1926 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1927 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1928 Atlético
1929 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1930 Sporting Clube de Lourenço Marques
1931 Ferroviário (Lourenço Marques)
1932 Ferroviário (Lourenço Marques)
1933 Sporting Clube de Lourenço Marques
1934 Ferroviário (Lourenço Marques)
1935 Ferroviário (Lourenço Marques)
1936 Ferroviário (Lourenço Marques)
1937 Grupo Desportivo de Lourenço Marques
1938 Sporting Clube de Lourenço Marques
1939 Ferroviário (Lourenço Marques)
1940 Sporting Clube de Lourenço Marques
1941 não atribuído devido ao Maio Affair
1942 Ferroviário (Lourenço Marques)
1943 Sporting Clube de Lourenço Marques
1944 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1945 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1946 Grupo Desportivo de Lourenço Marques
1947 Ferroviário (Lourenço Marques)
1948 Sporting Clube de Lourenço Marques
1949 Ferroviário (Lourenço Marques)
1950 Ferroviário (Lourenço Marques)
1951 Ferroviário (Lourenço Marques)
1952 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1953 Sporting Clube Lourenço Marques
1954 Ferroviário (Lourenço Marques)
1955 Ferroviário (Lourenço Marques)
1956 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1957 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1958 Ferroviário (Lourenço Marques)
1959 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1960 Sporting Clube Lourenço Marques
1961 não atribuído devido ao Daniels Affair

CAMPEÕES DE MOÇAMBIQUE (ANTES DA INDEPENDÊNCIA

1956 Ferroviário (Lourenço Marques)
1957 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1958 Ferroviário (Beira)
1959 Sporting Clube de Nampula empate 1-1 [2-1 pen] Desportivo
1960 Sporting Clube de Lourenço Marques
1961 Ferroviário (Lourenço Marques)
1962 Sporting Clube de Lourenço Marques
1963 Ferroviário (Lourenço Marques)
1964 Grupo Desportivo Lourenço Marques
1965 não terminou
1966 Ferroviário (Lourenço Marques)
1967 Ferroviário (Lourenço Marques)
1968 Ferroviário (Lourenço Marques)
1969 Textáfrica (Vila Pery)
1970 Ferroviário (Lourenço Marques)
1971 Textáfrica (Vila Pery)
1972 Ferroviário (Lourenço Marques)
1973 Textáfrica (Vila Pery)
1974 Ferroviário (Beira)

CAMPEÕES DE MOÇAMBIQUE (DEPOIS DA INDEPENDÊNCIA)

1975 (Não houve campeonato)
1976 Textáfrica (Chimoio)
1977 Grupo Desportivo (Maputo)
1978 Grupo Desportivo (Maputo)
1979 Costa do Sol (Maputo)
1980 Costa do Sol (Maputo)
1981 Têxtil Pungué (Beira)
1982 Ferroviário (Maputo)
1983 Grupo Desportivo (Maputo)
1984 Maxaquene (Maputo)
1985 Maxaquene (Maputo)
1986 Maxaquene (Maputo)
1987 Matchedje (Maputo)
1988 Grupo Desportivo (Maputo)
1989 Ferroviário (Maputo)
1990 Matchedje (Maputo)
1991 Costa do Sol (Maputo)
1992 Costa do Sol (Maputo)
1993 Costa do Sol (Maputo)
1994 Costa do Sol (Maputo)
1995 Grupo Desportivo (Maputo)
1996 Ferroviário (Maputo)
1997 Ferroviário (Maputo)
1998 não houve [*]
1998/99 Ferroviário (Maputo)
1999/00 Costa do Sol (Maputo)
2000/01 Costa do Sol (Maputo)
2002 Ferroviário (Maputo)
2003 Maxaquene (Maputo)
2004 Ferroviário (Nampula)
2005 Ferroviário (Maputo)
2006 Grupo Desportivo (Maputo)
2007 Costa do Sol (Maputo)
2008 Ferroviário (Maputo)
2009 Ferroviário (Maputo)
2010 Liga Muçulmana (Maputo)

[*] em 1998 disputou-se uma mini~liga, cujo vencedor foi o Costa do Sol (Maputo) que não contou como campeonato.

Janeiro 18, 2011

“A” VOZ: ANTÓNIO LUIS RAFAEL

António Luis Rafael: para mim "a" voz do Rádio Clube de Moçambique

Ontem à noite, quando estava a escrevinhar um desejo de parabéns a um contacto meu no Feicebúke, vi a cara em cima, e parei a olhar. Era o grande António Luis Rafael.

Em toda a minha vida, tirando apenas a voz de Larry King, que só conheci nos anos 80 nos Estados Unidos, e claro a do Frank Sinatra, a voz e a maneira de estar na rádio de António Luis Rafael foi e é o padrão pelo qual comparei tudo o resto.

E acho que escolhi bem.

E assim, e porque ele também fez algum desporto na rádio, gostava de o assinalar aqui: o grande homem, o profissional – e a inigualável voz.

Creio que o Sr. Rafael vive para os lados do Alentejo. Longa vida, assim lhe desejo.

Em baixo, alguma comemoração, a começar pela fantástica entrevista que ele concedeu há uns tempos.  Pode ser procurada no sítio da RTP, premindo AQUI e procurando o nome de António Luis Rafael. Aí desacrrega um ficheiro no formato MP3 que é a entrevista. Em que, entre outros temas, ele fala por telefone com a Srª D. Manuela Arraiano, que vive há muitos anos na Bélgica e que também trabalhou no RCM e que é a senhora na gravação de fecho da Estação A do Rádio Clube de Moçambique.

Durante uma visita do (creio ) ministro português da defesa a Moçambique em 1972. Nesta imagem, retirada do excelente blogue "A minha rádio". pode-se ver o António Luis Rafael, atrás do General Kaúlza de Arriaga. de óculos escuros.

Lourenço Marques, 1951. Na inauguração dos novos estúdios do Rádio Clube de Moçambique que foram a casa de António Luis Rafael até Outubro de 1975. Na imagem, que foi obtida no blogue "A minha Rádio", do Dr. Nogueira (e que me matei a limpar) podem-se ver na fila de cima, da esquerda para a direita, Virgílio Rodrigues, Capitão Pinheiro, Gonçalves, Capitão Figueiredo, Meirim e Ayrens Teixeira. Na fila de baixo: Alexandre Quintão, Marques da Fonseca, Borges Delgado, Isaque Faria, Jorge Gouveia, Carlos Albuquerque e Rui de Almeida. Algumas notas da Suzette, filha do Jorge Manuel Vara, que foi músico nas orquestras do Rádio Clube, depois de ver esta fotografia: 1) o Big Boss do RCM era o Sr. Gonçalves acima o 3º da esquerda de pé; 2) o Alexandre Quintão faleceu num famoso acidente aéreo em que os seus restos mortais nunca foram encontrados, presumivelmente foram devorados pelos animais; 3) o Jorge Gouveia era um intelectual e poeta e amigo do Reinaldo Ferreira, passavam horas no Scala a discutir tudo e nada.

Artigo na Crónica Feminina sobre António Luis Rafael, já depois de ter vindo viver novamente para Portugal.

A parte final da peça da Crónica Feminina.

Janeiro 17, 2011

SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO HÓQUEI EM MOÇAMBIQUE APÓS A INDEPENDÊNCIA

A selecção de hóquei de Moçambique em 1978: Da esq. de pé: Tomé dos Santos, Carlos Alberto Pinto, Américo Dias Tavares, Neutel Simões de Abreu, António Augusto Simões, Sel. Fernando Adrião e massagista João de Brito Mangue; De joelhos: Alfredo Ananíades, Miguel Azevedo Paulo, Arsénio Cristo Esculudes, José Mauro José Carlos Lopes Pereira e João de Deus Boavida. (Foto de Francisco Velasco)

No magnífico sítio de Francisco Velasco, há um canto que contém o que se segue, que este Grande do hóquei publicou no dia 16 de Janeiro de 2011  e que revela dados interessantes sobre a história do hóquei de Moçambique depois da Independência.

A história é verdadeiramente fascinante.

Contém ainda um comentário pelo Zé Carlos Lopes Pereira, que estava lá na altura, e cuja leitura é igualmente obrigatória.

Para ler, prima AQUI.

Janeiro 16, 2011

JOSÉ BRANCO, OLÍMPICO E CAMPEÃO DE JUDO E DE TIRO

Estes dados foram muito gentilmente enviados por José Branco.

José Branco nadou brevemente no Desportivo LM. Mas o que muita gente de lá se calhar não sabe é que em seguida praticou judo, modalidade em que foi Atleta Olímpico por Portugal em 1980. Hoje, é campeão nacional de tiro. Um atleta feito em Moçambique.

Um jovem José Branco com o seu casaco do Desportivo.

O cartão da atleta de judo da Federação Portuguesa de Judo.

A capa do cartão de identidade do Clube de Judo de LM de José Branco.

O cartão de identidade do José, mapeando a sua evolução no judo.

A sede do Clube de Judo de LM, que se situava ao pé do Ginásio Clube de Lourenço Marques, ao pé do Restaurante Zambi.

A entrada do Clube de Judo de LM.

FOTO DE GRUPO NO ANTIGO DOJO NAS INSTALAÇÕES DO 1º DE MAIO EM LOURENÇO MARQUES. EM CIMA PODE-SE LÊR : “NÃO TE ASSUSTES À FRENTE DE UM COLOSSO, NEM MENOSPREZES UM ADVERSÁRIO DE PEQUENO TAMANHO”.

Foto B: uma equipa de judo.

Foto C : uma equipa de judo.

José Branco em acção.

José Branco de frente, do lado esquerdo.

Judocas de Lourenço Marques. José Branco à esquerda, assinalado com um "x".

Mais um recorte de jornal, com uma imagem em que o José está assinalado com um "x".

EQUIPA DE JUVENIS DO JUDO CLUBE DE PORTUGAL EM 1975. AO LADO DE JOSÉ BRANCO, UM AMIGO MUITO ESPECIAL , MESTRE KOBAYASCHI . REFERE O JOSÉ: "NO PERÍODO MAIS DIFÍCIL DA MINHA VIDA, ENTÃO COM 22 ANOS, QUANDO ME ENCONTRAVA COMPLETAMENTE ATOLADO, FOI O ÚNICO QUE ME LANÇOU A MÃO. NO ÚLTIMO SEGUNDO DA MINHA VIDA, ELE FARÁ PARTE DOS MEUS PENSAMENTOS".

COMBATE DA FINAL DO TORNEIO INTERNACIONAL XX ANIVERSÁRIO DO J.C.PORTUGAL NO PAVILHÃO DOS DESPORTOS, EM 1977. JOSÉ BRANCO VENCEU A PROVA.

Mais uma imagem de um combate de judo.

José Branco premiado.

JOSÉ BRANCO DE JOELHOS À DIREITA: "ESTÁGIO NO JAPÃO EM TOKAY UNIVERSITY (CAMPEÕES DO JAPÃO NA ALTURA), ONDE PERMANECEMOS DURANTE 7 SEMANAS A TREINAR DAS 7:00H ÀS 10:00H E DAS 15:00H ÀS 18:00H TODOS OS DIAS. SÓ AO FIM DE DUAS SEMANAS É QUE NOS DERAM 1 TARDE DE FOLGA. QUANDO CHEGÁMOS EM FEVEREIRO DE 1980, AINDA HAVIA NEVE E DENTRO DA SALA DE JUDO (DOJO) ESTAVAM -5 GRAUS DE TEMPERATURA E NÓS APENAS COM O QUIMONO NO PÊLO. ESTE ESTÁGIO SÓ FOI POSSÍVEL GRAÇAS AO ENGENHO E INTELIGÊNCIA DO ENTÃO PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE JUDO, ENG. HUGO D’ASSUNÇÃO, QUE, AO LHE SER SOLICITADO PELOS JAPONESES O VOTO DA F.P.JUDO PARA ELEGER UM JAPONÊS PARA PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO INTERNACIONAL, CONTRAPÔS QUE SIM SENHOR DESDE QUE ASSUMISSEM OS CUSTOS DE UM ESTÁGIO NO JAPÃO PARA A EQUIPA OLÍMPICA PORTUGUESA. CONSTA QUE OS JAPONESES NEM PESTANEJARAM. FOI UM GOLPE DE MESTRE."

Mais uma fotografia na Ásia.

IMAGEM DO COMBATE NOS JOGOS OLÍMPICOS DE MOSCOVO, QUE JOSÉ BRANCOVENCEU POR IMOBILIZAÇÃO EM KAMI-SHIHO-GATAME .

Recorte de jornal sobre a Taça dos Clubes Campeões da Europa.

Maio de 1979: José Branco destaca-se.

Nos Jogos Olímpicos de Moscovo: José Branco é o do meio.

Em Moscovo: José Branco tem uma vitória e uma derrota.

Mais um recorte sobre o desempenho do José Branco nos Jogos de Moscovo em 1980.

A primeira de três páginas do currículo desportivo do José Branco.

A segunda página do CV desportivo de José Branco.

A terceira e última página do CV desportivo de José Branco.

Janeiro 14, 2011

DR. RUI NOGUEIRA, ATIRADOR DE MOÇAMBIQUE

Filed under: 1980 anos, 1990 anos, Rui Nogueira, TIRO DE MOÇAMBIQUE — ABM @ 1:28 am

Fotos gentilmente enviadas por Rui Nogueira, Jr.

Para além de atirador, o Dr. Rui Nogueira era um conhecido médico urologista em Lourenço Marques.

O Dr. Nogueira faleceu em Outubro de 1997.

O Dr. Rui Nogueira, atirador de Moçambique, nos anos 90.

O Dr. Rui Nogueira em 1991 com o filho Rui, na Ilha da Madeira, onde este último vive.

O Dr. Rui Nogueira com os seus filhos Xana e Rui, no Clube de Tiro em Lourenço Marques, 1971.

Dezembro 23, 2010

MARGARIDA ABRANTES, A DESPORTISTA E PROFESSORA QUE OUVI NA RÁDIO MOÇAMBIQUE EM 1983

Há uns dias, a propósito de um programa de ginástica na rádio que o Prof. Rui Baptista fez nos anos 60, mencionei um memorável episódio em 1983 em que, arredado de Moçambique mais do que dez mil quilómetros, de onde saíra no início de 1975, escutei pela primeira vez uma emissão em onda curta da Rádio Moçambique na zona de Boston, nos Estados Unidos. Era uma senhora a dar uma aula de ginástica. Um caríssimo visitante, com o nome de guerra de Gungunhana, mandou uma nota a explicar que a voz que eu escutara fora a de Margarida Abrantes, hoje professora na Escola Portuguesa de Maputo. Simplesmente inacreditável. Pedi-lhe se era possível mencionar à Prof. Margarida Abrantes esta memória e se era possível obter mais alguns dados. E, para grande e tão agradável surpresa, recebi os dados que se seguem: a maravilhosa história da senhora por detrás da voz que ouvi naquela madrugada nos Estados Unidos em 1983:

Margarida Abrantes em 1962, numa exibição de ginástica no Coliseu dos Recreios em Lisboa.

1964 - a então pequena Margarida na cidade de Inhambane, numa exibição de ginástica no cinema local.

1969 – em Lourenço Marques, no Pavilhão do Malhangalene – Torneio de iniciação – a equipa do Ginásio, orientada pelo Mestre Rolando Costa.

1970 – Lourenço Marques – Pavilhão do Ferroviário - Campeonato Distrital - Ana Catarina Patrício, João Alexandre Mesquita e Margarida Abrantes, todos atletas do Ginásio de Lourenço Marques.

1970 – Lourenço Marques, Ginásio – dirigentes e atletas por ocasião do aniversário de Margarida Abrantes.

Margarida no Ginásio de Lourenço Marques, 1970.

1970 – uma competição realizada no então Pavilhão do Sporting em Lourenço Marques.

1972 – Margarida patina na cidade de Nampula.

1973 – Nampula – Margarida frequenta o curso de pára-quedismo, orientado pelo major Boavida Pinheiro.

1973 – Nampula - Pára-quedistas no activo, com a tripulação do “Dakota”.

1977 – Maputo – Margarida faz queda livre nos céus por cima da Costa do Sol. Se olharem bem lá para baixo, vê-se o Restaurante da Costa do Sol.

1980 – Maputo - Após a conclusão do curso, Margarida Abrantes recebendo das mãos do orientador do curso, um técnico da então RDA, o diploma de treinadora de natação.

1984 – Maputo, Liceu Josina Machel - A professora Margarida dando uma aula de ginástica especial para crianças asmáticas.

2010 - Escola Portuguesa de Maputo – os alunos da Prof. margarida Abrantes durante uma aula de natação.

Dezembro 18, 2010

A EQUIPA DE HÓQUEI DE MOÇAMBIQUE INDEPENDENTE NO MUNDIAL DA CORUNHA, 1988

Filed under: 1980 anos, Equipa Moçambique, HÓQUEI MOÇAMBIQUE — ABM @ 4:34 am

Foto de Ivan Esculudes

A equipa de hóquei de Moçambique. Em cima , da esquerda: Belito, Gamito, Américo, Jaimito, Zé Carlos, Julinho, Arsénio e Nogueira; em baixo, esq.p/ dir: Telinho, Tivane, Horácio, Antoninho e Senito. Na opinião do Ivan, Senito era a estrela do desporto na altura.

Dezembro 2, 2010

JOSÉ SACADURA, HERMANO PATRONE E EURICO PERDIGÃO

Esta foto da colecção do Prof. José Sacadura.

José Sacadura, Hermano Patrone e Eurico Perdigão. Treinadores de referência em Moçambique e em Portugal. José Sacadura foi ainda um dirigente na FPN, definindo o seu percurso durante décadas.

Older Posts »

Create a free website or blog at WordPress.com.