THE DELAGOA BAY COMPANY

Janeiro 14, 2011

GENTIL DOS SANTOS E KAREL POTT, OS PRIMEIROS ATLETAS OLÍMPICOS DE MOÇAMBIQUE, ANOS 40 E 60

Fotos de ABM e de Joana Lopes

Quem tiver fotos dos Srs. Gentil dos Santos e Karel Pott, agradecia que me enviasse cópias digitalizadas para colocar neste álbum.

Cartaz dos Jogos de Verão da VIII Olimpíada, Paris, 1924.

Ao centro da foto, Gentil dos Santos, legendário atleta de Moçambique e o primeiro atleta originário de Moçambique a participar, por Portugal, nuns jogos olímpicos, juntamente com Karel Pott. Correu os 100 e os 200 metros, tendo em ambos casos ficado em 3º lugar na sua eliminatória. Aqui brindando com a atiradora Suzette Malosso. À sua esquerda um dos seus filhos, José Carlos Almeida Santos.

Karel Pott está ao meio com a pequena Joana Lopes (sua afilhada e autora da crónica cuja ligação é dada acima) ao colo, a outra criança é a sua filha, Suzy Pott. A mulher, Elvira, está em primeiro plano, à esquerda. Na ponte sobre o rio Matola, a caminho da Namaacha. Para além de atelta olímpico (5º na sua eliminatória dos 100 m) Karel foi o primeiro advogado não branco em Moçambique e na opinião de alguns (exemplo - José Craveirinha) um dos precursores do nacionalismo moçambicano.

Sobre Gentil dos Santos, o seu filho Paulo escreveu o seguinte:

“Gentil dos Santos nasceu a 19 de Maio de 1899 em Bolama, filho de mãe guineense e pai português.

Por volta de 1917, vai para Lisboa prosseguir os estudos. Matricula-se em veterinária, curso que frequentou até ao segundo ano. Nos finais dos anos 20, vai para São Tomé, onde trabalha numa roça do seu Padrinho. Não fica no entanto lá muito tempo, pois arranja uma colocação na então Fazenda em Angola, no Lobito.

É aí que conhece minha mãe, natural de Benguela, com quem se casou em 1933. Trabalhou posteriormente em Luanda, onde nasceu a minha irmã mais velha (Aurora) e na actual Saurimo (anteriormente Vila Henrique de Carvalho) onde nasceram os outros dois irmãos (Zé Carlos, que se vê na foto acima, e Carmem).

O meu pai representou o CIF (Club International Football) que, segundo a imprensa da época, detinha a hegemonia do atletismo a nível de Lisboa. Transcrevo extractos retirados de artigos que encontrei recentemente ao pesquisar a história do atletismo português:

” O ATLETISMO E A HEGEMONIA DO CIF”

‘No campeonato do S.L.B. de 1922, o CIF continuava a afirmar-se como a equipa mais poderosa do atletismo nacional, com vários recordistas nacionais. Destaques especiais para Gentil Santos nas provas de velocidade (100m e 200m)’;

‘….nessa mesma competição de 100 metros, realizada no campo do Cojo (e socorrendo-nos ainda do apreciado jornalista João Sarabando), o Dr. Luís Regala, ilustre aveirense de renome, terá dado bastante luta a Gentil dos Santos. Mas terá sido o único, porque dos restantes não reza a história.’

‘Julga-se que estas provas terão tido lugar no dia 11 de Novembro de 1923, conforme relata o jornal “O Democrata”, que refere “todas as outras provas sportivas realizadas nesse dia foram muito apreciadas e aplaudidas”. A principal prova era “um jogo de football entre o Galitos e o Atlético C.A., que foi arbitrado por Gentil dos Santos, do CIF (Lisboa)”, que também seria categorizado árbitro de futebol. E terá sido nesse dia, aproveitando a sua presença para a arbitragem, que o recordista nacional de então fez a sua prova de 100 metros contra “desconhecidos” aveirenses.’

‘…… celebrou o primeiro encontro internacional em Madrid 1º Espanha – Portugal em 1925, sendo chefe da equipa nacional o Sr. Gentil dos Santos.’ ”

Anúncios

Site no WordPress.com.