THE DELAGOA BAY COMPANY

Dezembro 28, 2011

RUI BAPTISTA DESTACA PAPEL DE SERTÓRIO SILVEIRA NA IMPRENSA DESPORTIVA DE MOÇAMBIQUE

Este texto é da autoria do Sr. Professor Rui Baptista.

Recorte de um jornal de Lourenço Marques, 1961, da autoria de Sertório da Silveira.

Tem o nosso bom amigo Tomané desenvolvido, no “Delagoabay”, uma obra digna do maior louvor na divulgação do desporto moçambicano que dá razão plena ao dizer popular de que “recordar é viver duas vezes”.

Ora, no relicário das nossas recordações, ou seja daqueles que vivemos essas páginas gloriosas como destacados ou simples praticantes das muitas suas modalidades desportivas, ou apenas como seus espectadores devotados, julgo (ou melhor, tenho a certeza!) que cumpre dar o devido destaque ao papel de uma certa imprensa moçambicana na sua divulgação.

Assim, em nome de uma necessária, ainda que mesmo tardia, justiça, seja-me permitido dar realce ao papel desempenhado pelo jornalista Viriato da Silveira em notícias sobre modalidades fora do âmbito do chamado desporto-rei. Reporto-me, essencialmente, aos artigos sobre a natação que são um reportório histórico valioso sobre os feitos de atletas moçambicanos que pulverizaram recordes nacionais da modalidade perante o olhar atónito de quem dizia que os recordes obtidos em águas moçambicanas se ficavam a dever a fugir dos tubarões que as infestavam! E isto para já não falar das suas participações nos Jogos Olímpicos (mas desse facto, melhor nos elucidará o técnico Eurico Perdigão e o nadador Tomané que neles participaram). Eu apenas posso testemunhar o êxito alcançado nos Campeonatos Nacionais de Natação (Metrópole, 1958) por ter sido o responsável pela respectiva preparação física (com pesos e halteres, um verdadeiro escândalo para a época!) e chefe da respectiva embaixada em representação do Conselho Provincial de Educação Física moçambicano.

Mas, para além do Desporto, foi, também, Viriato da Silveira um espírito sempre atento aos aspectos doutrinários da Educação Física e do seu importantes papel no desenvolvimento integral dos jovens escolares. A prová-lo, a longa entrevista que me fez, passado que é meio século e quatro anos depois de eu ter chegado a Lourenço Marques. Pela sua extensão, que ocupou três páginas de jornal, reproduzo acima, apenas, a fotografia da 1ª página (do Diário de Lourenço Marques, 22/02/1961).

Site no WordPress.com.