THE DELAGOA BAY COMPANY

Maio 26, 2017

A INAUGURAÇÃO DA PISCINA DE GONDOLA, 1964

Texto e fotografias de Eduardo Horta. O texto foi adaptado. As fotografias foram retocadas.

EH1

A equipa dos Velhos Colonos de Moçambique cumprimenta os atletas rodesianos que participaram na inauguração da piscina de Gondola, então a melhor piscina de Moçambique.

Memórias da inauguração da Piscina do Ferroviário de Gondola, em Manica, em 26 e 27 de Setembro de 1964, na época a melhor piscina de Moçambique, de dimensão olímpica, com 50 metros de comprime to por 20 metros de largura e 10 pistas. Nem na capital moçambicana existia então algo semelhante.

EH2
Participaram na inauguração as equipas de Lourenço Marques (Grupo Desportivo e Associação dos Velhos Colonos), uma equipa da Rodésia e alguns jovens do Colégio Luis de Camões, da Beira. Magnifica piscina desenhada pelos Arquitectos Naya Marques e Julião de Azevedo, da Beira, com cálculos dos Engenheiros Nogueira Leite e Mota de Oliveira, tendo sido o construtor António Joaquim Lopes, de Vila Pery.

EH3

A equipa da Associação dos Velhos Colonos.

As reportagens, filmadas e fotografadas, estiveram a cargo de Manuel Pereira, João Terramoto e de Carlos Alberto Vieira, os dois primeiros para a Actualidades de Moçambique e TV Portuguesa e o último, um dos reportéres fotográficos de maior renome em Moçambique. Ainda houve um programa de variedades, com artistas e cantores do Rádio Clube de Moçambique, como a Maria Adalgisa, a Marinela, o Aníbal Coelho etc., além do Conjunto Oliveira Muge, de Vila Pery, mal sabendo eu que, poucos anos depois, o vocalista (Policarpo) viria a ser meu colega de tropa.

EH4

A equipa dos Velhos Colonos, numa pose mais informal.

O edificio junto à piscina exibia nas paredes uns murais alusivos aos Caminhos de Ferro, de autoria do Júlio de Albuquerque, que, não sendo um artista plástico, mas sim um operário e pintor profissional, não deixavam de ter um grande valor estético.

 

Fevereiro 2, 2017

EDUARDO HORTA RECEBE UMA MEDALHA NOS VELHOS COLONOS EM LOURENÇO MARQUES, 1953

Filed under: Eduardo Horta, Uncategorized — ABM @ 4:37 pm

Foto gentilmente cedida pelo grande Eduardo Horta.

 

fb-rd-horta-p

O jovem nadador Eduardo Horta, à direita, recebe uma medalha, durante a cerimónia de entrega de prémios de competições das Escolas de Natação do Sporting Clube de Lourenço Marques, dia 3 de Maio de 1953. A fotografia foi tirada no recinto da piscina da Associação dos Velhos Colonos de Moçambique na Maxaquene, em Lourenço Marques, que havia sido inaugurada em Fevereiro de 1950, cerca de seis meses depois de inaugurada a piscina do Grupo Desportivo Lourenço Marques, em 24 de Julho de 1949.

Fevereiro 1, 2017

O CAMPEONATO DO MUNDO DE VELA VAURIEN EM LOURENÇO MARQUES, 1973

Foto generosamente cedida pelo Diogo Cabrita. Os demais documentos cortesia do grande atleta de Moçambique, Eduardo Horta.

fb-ed-horta-vaurien

A organização de um campeonato mundial de vela em Moçambique (15 a 20 de Agosto de 1973) foi um sucesso e uma demonstração do talento e a capacidade de mobilização das pessoas que trabalhavam na área do desporto moçambicano antes da Independência, aliás confirmado quando muitas destas pessoas continuaram as suas carreiras mais tarde em Portugal e noutros países onde se radicaram.

campeonato-do-mundo-em-vaurien-lm-73

Algumas embarcações Flying Dutchman a sairem da doca do Clube Naval de Lourenço Marques, durante o Campeonato do Mundo de Vaurien, que foi disputado em Moçambique em 1973. Fotografia de Diogo Cabrita.

selos-c-m-vaurien-73

Três sêlos alusivos ao Campeonato do Mundo de Vela – Vauriens, 1973.

fb-ed-horta-vaurien-2

Carta de agradecimento a Eduardo Horta, enviado por Arcelino Mirandela da Costa, então Presidente da Comissão Organizadora do evento, pelo seu contributo para o seu sucesso.

fb-ed-horta-vaurien-3

Carta do Comodoro Frederico Marques Mano, então Presidente do Clube Naval de Lourenço Marques, a solicitar o apoio de Eduardo Horta na logística do Campeonato do Mundo em Vauriens e no Campeonato Nacional (de Portugal) de Snipes.

Janeiro 7, 2017

O Delagoa Bay Company em 2017

Depois de um intervalo, e de um curto periodo em que esteve “fechado”, o The Delagoa Bay Company volta em 2017, de novo acessível a todos os que se derem à maçada de o ler. Aqui quase nada de novo, tudo mais ou menos na mesma, desde a sua abertura em 2010. Mais umas fotos, mais umas conversas ao desafio. À meia dúzia de apreciadores, saudações. Este ano há mais.

fbppt-10-jun-71-est-salazar-festival-da-juv-em-lm

Jovens sentadas na pista de atletismo do Estádio Salazar em Lourenço Marques, durante o Festival da Juventude, que assinala o encerramento do ano escolar em Moçambique, Junho de 1971. Foto gentilmente cedida pelo PPT.

Maio 24, 2016

CADEIRA DA PISCINA DA ASSOCIAÇÃO DOS VELHOS COLONOS DE MOÇAMBIQUE, 2015

Encontrei-a nos arredores de Maputo.

 

Cadeira dos Velhos Colonos.  A precisar de uma pintura.

Cadeira dos Velhos Colonos. A precisar de uma pintura.

Fevereiro 29, 2016

FALECEU MANUEL DA MATA, TREINADOR DO DESPORTIVO E FERROVIÁRIO DE LOURENÇO MARQUES

Faleceu hoje, 29 de Fevereiro de 2016,  em Portugal, o Sr. Manuel da Mata, que foi treinador de natação no Grupo Desportivo Lourenço Marques e o primeiro treinador do Clube Ferroviário de Moçambique, tendo inaugurado a piscina daquele clube na Baixa junto ao campo de futebol do Ferroviário em 1968.

Manuel da Mata deixa dois filhos, Victor e Guida. A sua mulher, Odete, faleceu em Novembro de 2011.

Manuel da Mata foi durante alguns anos treinador de Escolas no Grupo Desportivo Lourenço Marques, na actual Maputo. Sendo funcionário da grande família ferroviária de Moçambique, foi a escolha natural para liderar a natação do Ferroviário quando o Clube decidiu construir uma piscina e competir na natação. Das suas mãos saíram grandes nadadores de Moçambique. Após a Independência de Moçambique, Manuel da Mata juntou-se a Eurico Perdigão, treinador do Desportivo, tendo ambos continuado o trabalho na natação no Sport Algés e Dafundo, um histórico clube de de natação situado junto à margem norte da Cidade de Lisboa, no subúrbio de Algés, e por quem passaram também grandes gerações de nadadores portugueses.

 

Manuel da Mata ao Centro, com jovens nadadores do Desportivo LM, anos 60.

Manuel da Mata ao centro, com jovens nadadores do Desportivo LM, anos 60.

À Família Mata, apresento as mais sinceras condolências. Manuel da Mata foi o meu primeiro treinador de natação. Também.

Julho 9, 2012

RESULTADOS DE PROVAS DE NATAÇÃO E SALTO EM PRANCHA EM LOURENÇO MARQUES, 1954

Recorte gentilmente cedido pela Rosa Freitas, filha do grande nadador Carlos Freitas, e cuidadosamente restaurado.

De notar que o Carlos aqui nadou na equipa dos Naturais de Moçambique.

Recorte 1 de 2.

Recorte 2 de 2.

Julho 7, 2012

OS NADADORES DE MOÇAMBIQUE, ANOS 1950

Fotografia gentilmente enviada por Rosa Freitas, filha de Carlos Freitas, um grande nadador de Moçambique.

Os nadadores de Moçambique. De pé, da esquerda: António Brás (Necas), Rui Rud Ferreira, Regina Veloso, Carlos Freitas, Graça Paiva, Carlos Magalhães, Eduardo Lopes, Carlos Ótão e Margaride Fernandes. De joelhos: Elsa Ferreira, Humberto Rodrigues e Bernardete Brito.

CARLOS ÓTÃO, CARLOS FREITAS, JUCA CARVALHO E JOÃO GODINHO EM LISBOA, SETEMBRO DE 1958

Fotografia gentilmente enviada por Rosa Freitas, filha de Carlos Freitas, um grande nadador de Moçambique.

Quem souber os nomes que faltam, por favor envie uma nota para aqui.

Os nadadores de Moçambique na piscina do Clube Nacional da Natação em Lisboa, Setembro de 1958. De pé, da esquerda: P1. P2, P3 e P4. De joelhos: Carlos Ótão, Carlos Freitas, João Godinho e Juca Carvalho.

OS NADADORES DE MOÇAMBIQUE NA PISCINA DO LUSO, SETEMBRO DE 1958

Fotografia gentilmente enviada por Rosa Freitas, filha de Carlos Freitas, um grande nadador de Moçambique.

Os nadadores de Moçambique na piscina do Luso, na então Metrópole, dia 7 de Setembro de 1958. De pé, da esquerda, Fernanda Campos, João Godinho, Regina Veloso, Carlos Freitas, Graça Paiva e Humberto Rodrigues. De joelhos: Elsa Ferreira e Juca Carvalho.

O NADADOR CARLOS FREITAS NO PÓDIO DO DESPORTIVO, ANOS 1950

Filed under: 1950 anos, Carlos Freitas, Viriato da Silveira — ABM @ 10:43 pm

Fotografia gentilmente enviada por Rosa Freitas, filha de Carlos Freitas, um grande nadador de Moçambique.

No pódio junto da piscina do Desportivo em Lourenço Marques, em 1º lugar Carlos Freitas, em 2º Lugar P1 e em 3º Lugar o Viriato da Silveira.

REGINA VELOSO, MARGARIDE FERNANDES E CARLOS FREITAS NO DESPORTIVO EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1950

Fotografia gentilmente enviada por Rosa Freitas, filha de Carlos Freitas, um grande nadador de Moçambique.

 

Junto da piscina do Desportivo em Lourenço Marques, segunda metade dos anos 1950. Em cima, da esquerda, Regina Veloso, o treinador Margaride Fernandes e P3. De joelhos, Carlos Freitas e J2. Peço ajuda aos nossos especialistas com os nomes que faltam.

Junho 28, 2012

GRAÇA PAIVA, ELSA FERREIRA, REGINA VELOSO E BERNARDETE BRITO, NADADORAS DE MOÇAMBIQUE

Fotografia de José Godinho, da colecção do seu pai, o campeão de natação João Godinho (Quelimane e Lourenço Marques). Restaurada por mim.

Segunda metade dos anos 1950, creio que em Quelimane. De pé, da esquerda: Graça Paiva, Elsa Ferreira e Regina Veloso. De joelhos: Bernardete Brito.

Junho 22, 2012

REGINA VELOSO, CAMPEONÍSSIMA DE NATAÇÃO DE MOÇAMBIQUE E NADADORA OLÍMPICA

Filed under: 1950 anos, Regina Veloso — ABM @ 3:38 am

Fotografia da colecção de Regina Veloso e José Reis, gentilmente cedida e restaurada.

Regina Veloso mostrou o caminho para a natação em Moçambique e fez parte da geração que pela primeira vez colocou a natação moçambicana no mapa no então enquadramento português.

Regina Veloso (Reis).

JOÃO GODINHO, CAMPEÃO DE NATAÇÃO DE MOÇAMBIQUE, ANOS 1950

Filed under: 1950 anos, João Godinho — ABM @ 3:29 am

Fotografia da colecção de Regina Veloso e José Reis, gentilmente cedida e restaurada.

Para ver esta fotografia em tamanho (muito) maior, prima na imagem duas vezes com o rato do seu computador.

João Godinho, que viveu em Quelimane e Lourenço Marques e que foi um grande campeão de natação de Moçambique.

Junho 18, 2012

JOSÉ CRAVEIRINHA SOBRE REGINA VELOSO N’O BRADO AFRICANO, 1959

Filed under: 1950 anos, José Craveirinha - crónica, Regina Veloso — ABM @ 10:25 pm

Fotografia da colecção de Regina Veloso e José Reis, gentilmente cedida e restaurada.

 

Texto de José Craveirinha publicado em “O Brado Africano”. domingo, dia 18 de Julho de 1959.

REGINA VELOSO, NADADORA DE MOÇAMBIQUE, ANOS 1950

Filed under: 1950 anos, NATAÇÃO DE MOÇAMBIQUE, Regina Veloso — ABM @ 10:15 pm

Fotografia da colecção de Regina Veloso e José Reis, gentilmente cedida e restaurada.

Creio que a Regina Veloso aqui tem uns 15 anos de idade. Está junto da piscina do Grupo Desportivo Lourenço Marques, que representou. Atrás dela vê-se uma casa de apoio a um dos campos de hóquei, junto ao então Sporting de Lourenço Marques.

Março 23, 2012

SERTÓRIO SILVEIRA: UMA NOTA SOBRE O PROFESSOR RUI BAPTISTA

Sertório Silveira reflecte sobre o Prof. Rui Baptista, em baixo.

A propósito de uma longa entrevista que fiz ao Dr. Rui Baptista (RB), que o Tomané transcreveu aqui no blogue “The Delagoa Bay”, cumpre-me tecer alguns considerandos a respeito da si por poderem não ser do conhecimento da generalidade dos leitores.

Tive o privilégio de o conhecer e tornar-me seu amigo ao longo dos anos.

Em minha opinião, RB foi uma das figuras mais carismáticas do Desporto moçambicano, quer como professor, quer como dirigente desportivo, quer, ainda, como comunicador dos ideais que sempre defendeu com marcante empenho e superior conhecimento de causa, seja através de escritos jornalísticos, de conferências, seja, ainda, como praticante de pesos e halteres (Culturismo) em que se sagrou campeão de Moçambique, na categoria de médios.

Por esse facto, ter eu ficado chocado e até revoltado com a sua não nomeação para presidente do Conselho Provincial de Educação Física (CPEF) depois de ter a sua nomeação sido assinada pelo ministro do Ultramar Silva Cunha (faltando apenas ter o visto do Tribunal de Contas, aliás uma questão de escassos dias).

Acresce que a sua nomeação chegou a ser noticiada pelo jornal publicado na cidade da Beira: “Vai ser nomeado presidente do Conselho Provincial de Educação Física de Moçambique Rui ‘Vares’ Baptista”. Assim, tal e qual com a troca de Vasco, seu segundo nome próprio, por “Vares”. Em seu lugar foi nomeado Noronha Feio, vindo da então Metrópole, a quem o Desporto de Moçambique nada de nada devia. Sendo RB à data Inspector de Educação Física Escolar da Mocidade Portuguesa pediu a sua exoneração, tendo recebido um louvor no Boletim Oficial de Moçambique.

Chegou RB a Lourenço Marques em 1957 – depois de formado pelo INEF e ter cumprido o serviço militar como aspirante, alferes e tenente miliciano em Tomar – contratado como professor de Educação Física da “Escola Industrial Mouzinho de Albuquerque”, tendo desenvolvido, para além dessa docência, um notável acção no desporto local e uma intensa actividade no campo da Ginástica Correctiva com pacientes de Lourenço Marques, alguns deles deslocando-se à África do Sul, a fim de serem consultados pelo mais famoso cirurgião ortopedista, o Dr. David Roux, que indicava o seu nome para os serviços de reabilitação necessários.

No ano a seguir à sua chegada à cidade do Índico (1958) foi convidado para preparador físico dos nadadores laurentinos que se deslocariam à Metrópole para disputarem os Campeonatos Nacionais da modalidade. Em representação do CPEF, foi nomeado chefe da respectiva Embaixada, embora não pertencesse aos quadros do CPEF, mas sim o seu colega Igeménio Tadeu.

Desde sempre, apaixonado pela sua dama, a Educação Física, foi dirigente desportivo e preparador físico de várias modalidades desportivas (basquete, futebol, hóquei em patins, etc.) tendo desenvolvido paralelamente uma acção constante na preparação de várias classes de ginástica do Clube Ferroviário.

Entretanto, teve, também, uma acção importante no campo literário, através da publicação de vários livros no âmbito, por exemplo, dos Pesos e Halteres e da Educação Física como ciência ao serviço da saúde pública. Desempenhou a função de presidente da Secção de Ciências da Sociedade de Estudos de Moçambique, onde proferiu duas conferências no âmbito da Educação Física, tendo entrado, assim, o Desporto e a Educação Física pela porta grande dessa notável instituição cultural e científica.

Em 1975 fez parte do grande contingente de Portugueses que se viram coagidos a deixar Moçambique, onde tinha fixado residência. Foi colocado em Coimbra, como professor efectivo de Educação Física do Liceu D. João III (anos depois, Escola Secundária José Falcão). Foi também docente do ISEF da Universidade do Porto e docente da Faculdade de Educação Física e Ciências do Desporto da Universidade de Coimbra. Na cidade das margens do Mondego continuou a desenvolver uma intensa actividade com artigos de revistas da especialidade, a efectuar conferências e palestras, por exemplo, nos Rotários e na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, a escrever livros e a publicar artigos de opinião nos jornais “Diário de Coimbra”, “Correio da Manhã”, “O Primeiro de Janeiro” e o “Público”. É co-autor do blogue De Rerum Natura, de há tempos para cá. Também em Coimbra desenvolveu uma intensa actividade no campo da Reabilitação Física (de que fora professor no ISEF do Porto) tendo assinado convenções com diversos organismos públicos.

Quase a terminar, e volvendo a um saudoso passado das margens do Índico, como escrevi no início, conheci este Professor, em Lourenço Marques, tendo tido o grato prazer de entrevistá-lo para o jornal “Diário de Lourenço Marques”, a propósito de uma série de entrevistas, “O desporto nas Escolas”, com a participação de uma dúzia de personalidades ligada ao desporto, na sua maioria professores de Educação Física. Desde essa altura, ficámos amigos para todo o sempre, merecendo-me o maior respeito e consideração pela sua humildade, cultura e simpatia, para além do seu incontestado valor profissional, muito lamentando, como tal, a gritante injustiça de não ter sido nomeado, à última hora, presidente do CPEF (quando tudo estava encaminhado nesse sentido) por ele ter sido a personalidade mais bem posicionada para o desempenho desse elevado cargo, sobejamente demonstrado através da sua extrema dedicação ao Desporto Moçambicano.

Sertório da Silveira

Março 12, 2012

A EQUIPA DE NATAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE WITSWATERSRAND NA INAUGURAÇÃO DA PISCINA DO DESPORTIVO EM LOURENÇO MARQUES, 1949

Fotografia muito gentilmente enviada da África do Sul pelo meu colega da natação Pierre Jeanrenaud, que lhe foi enviada pela sua mãe, Maria de Lourdes Correa de Sousa Neves, filha do Dr. António de Sousa Correa Neves, que foi Presidente do Grupo Desportivo Lourenço Marques.

A equipa de nadadores sul-africanos, estudantes da Universidade de Witswatersrand em Joanesburgo, que se deslocaram a Lourenço Marques para a inauguração da piscina do Desportivo (então com dimensões olímpicas - 33.3 metros), no dia 24 de Julho de 1949.

A EQUIPA DE NATAÇÃO DO DESPORTIVO DESFILA EM LOURENÇO MARQUES, 1948

Fotografia muito gentilmente enviada da África do Sul pelo meu colega da natação Pierre Jeanrenaud, que lhe foi enviada pela sua mãe, Maria de Lourdes Correa de Sousa Neves, filha do Dr. António de Sousa Correa Neves, que foi Presidente do Grupo Desportivo Lourenço Marques.

A equipa de natação do Grupo Desportivo Lourenço Marques (hoje Grupo Desportivo de Maputo) à direita, durante um festivel no Estádio Paulino dos Santos Gil em Lourenço Marques, 1948. De notar o atleta cheio de medalhas à esquerda, a falar no microfone. Parece que é o José Bento mas não tenho a certeza, se alguém souber por favor envie uma nota para aqui. A mãe do Pierre, cujo pai, o Dr. Sousa Neves, na altura era o Presidente do Desportivo, é a bonita jovem de branco, segunda a contar da direita na fila da frente.

Fevereiro 19, 2012

OS NADADORES DE MOÇAMBIQUE NUM ALMOÇO, ANOS 1960

Fotografia da Lucília Vieira, restaurada.

 

As tropas aquáticas nos anos 1960. Da esquerda: Júlio Ribeiro, Anabela Gouveia, Ana Paula Pinto, Cló Botelho de Melo, Carlos Oliveira, Dulce Gouveia, Victor Cerqueira, Lucília Vieira, João Rocha, Susana Abreu, António Sacadura, Lídia Gouveia, José Cabanelas e Alice Aleixo.

Janeiro 31, 2012

PEDRO FONSECA, ADVOGADO E EX-NADADOR DO DESPORTIVO NOS ANOS 1960, FALECEU

Filed under: 1960 anos, NATAÇÃO DE MOÇAMBIQUE, Pedro Fonseca + — ABM @ 1:38 pm

Num recente convívio. Da esquerda: Pedro Fonseca, Maria de Lurdes Costa Dias, São Mestre Passos Mealha, Luis Viegas Nunes, Luis Bulha e Maria João Couceiro.

Foto de Carlos Sousa (na foto, à direita) tirada no Café Galito em Lourenço Marques já nos anos 70, com um grupo de amigos em que algures está o Pedro Fonseca (não consegui identificar).

Recebemos notícia do falecimento hoje de Pedro Fonseca, que foi nadador no Grupo Desportivo Lourenço Marques no início dos anos 1960.

Pedro Fonseca era advogado e residia na área de Lisboa.

À sua família, apresentamos as nossas condolências.

O FUNERAL REALIZA-SE  EM LISBOA NA QUINTA-FEIRA, DIA 2 DE FEVEREIRO DE 2012,  COM MISSA A REALIZAR NA IGREJA DE SÃO JOÃO DE BRITO ÀS 16 HORAS E IDA ÀS 16:30 HORAS PARA O CEMITÉRIO DO ALTO DE SÃO JOÃO EM LISBOA.

Janeiro 7, 2012

ANTÓNIO SALDANHA DE SOUSA NEVES, ATLETA DO DESPORTIVO, 1949

Fotografia gentilmente cedida por António Saldanha de Sousa Neves via o seu sobrinho e meu amigo Pierre Jeanrenaud.

O seu pai foi Presidente do Desportivo LM em 1948-49, quando foi construída a piscina do Clube.

Praticou atletismo por isso esta inserção estrá indexada no atletismo.

A piscina do Desportivo foi inaugurada no dia 34 de Julho de 1949. Foi paga com contribuições dos sócios do Clube e pela sua Rifa.

 

António de Sousa Neves.

 

O Cartão de Sócio-Atleta do Desportivo de António Saldanha de Sousa Neves, 1949.

Janeiro 3, 2012

JÚLIO NUNES, PAI DE ARMANDO NUNES, TIRA O BREVET NA BEIRA, ANOS 1940

Foto de Armando Nunes, que nadou e fez vela na Beira.

 

Júlio Nunes junto to teco-teco.

VASCO ABREU (PAI) ATLETA, SÓCIO E DECANO DA FAMÍLIA ABREU DO DESPORTIVO

…. e piloto da DETA e da LAM até 1980.

Com D. Rute Abreu, pais de José, Rui, Vasco e Suzana Abreu, todos atletas do Desportivo.

E amigos para uma vida.

Foto e recorte restaurados por mim. Para ver as mesmas em tamanho máximo, prima na imagem que quiser ver duas vezes com o rato do seu computador.

Para mais dados sobre ele e a aviação em Moçambique, visite o excelente blogue Voando em Moçambique, gerido por Luisa Hinga e o Sr. Comdte José Vilhena.

Vasco Abreu, piloto da DETA/LAM e patriarca da Família Abreu no Desportivo. Aqui nos anos 1960.

Recorte do jornal Diário de Lourenço Marques, 10 de Novembro de 1973, dando notícia da chegada à cidade de mais um Boeing 737 para as então já denominadas Linhas Aéreas de Moçambique.

Older Posts »

Create a free website or blog at WordPress.com.