THE DELAGOA BAY COMPANY

Junho 6, 2011

ARMANDO NUNES, NADADOR DA BEIRA, ANOS 70

Fotos gentilmente cedidas pelo Armando Nunes, que nadou e praticou vela na Beira e mais tarde no actual Zimbabué, onde ele viveu durante alguns anos.

Aqui são colocados materiais da natação, os da vela serão colocados noutra inserção, para ver esse procurar o nome do Armando sob o desporto “Vela”.

Armando nos seus tempos da Beira.

O cartão de nadador federado do Armando.

Armando em acção na piscina.

Armando a nadar uma prova de mariposa.

"Recuerdo" de um torneio de natação. O treinador do Armando na Beira foi José Sacadura, um dos grandes treinadores de Moçambique e de Portugal (ver neste blogue o nome dele).

Armando treina na piscina do Grande Hotel da Beira.

Recorte de jornal da Beira, creio que de Abril de 1974, indicando a comitiva que foi a Lourenço Marques participar nos Campeonatos Provinciais de natação.

A equipa de natação do Clube Náutico da Beira cerca de 1973. De pé, da esquerda: Miguel Durão, Jorge Mesquita, José Barreto (dirigente), José Sacadura (treinador), Xuga Azevedo e Mira Carvalho. Sentados à frente: Luis (Zito) Durão, Armando Nunes, Carlos Morgado e João Luis Vieira.

Aspecto da festa de despedida do Prof. José Sacadura no Clube Náutico da Beira, dia 27 de Março de 1974. José Sacadura foi viver para a cidade de Coimbra, em Portugal. Noutra inserção colocarei os nomes identificados pelo Armando.

Outro aspecto da festa de despedida do Prof. José Sacadura no dia 27 de Março de 1974.

Abril 7, 2011

AS NADADORAS DE MOÇAMBIQUE E OS NADADORES DO ALGÉS, 1958

Colecção Sertório Silveira.

Peças alusivas aos campeonatos nacionais de Portugal séniores, realizados na piscina do Luso, em Portugal, em 1958.

OS MOÇAMBICANOS NOS NACIONAIS DE SÉNIORES: FERNANDA CAMPOS E REGINA VELOSO RECORDISTAS 1958

Colecção Sertório Silveira.

A peça tem também uma nota interessante sobre saltos para a água.

Texto do jornal Record.

Abril 3, 2011

NATAÇÃO EM QUELIMANE, ANOS 70

Fotos de José Sacadura.

Fotos de uma formação de natação dada em Quelimane nos anos 70.

Foto 1.

Foto 2.

Foto 3.

Foto 4.

Foto 5.

Abril 2, 2011

OS CRAQUES DO SPORT ALGÉS E DAFUNDO, ANOS 50

Foto e comentário de José Sacadura

Foto bem significativa, obtida nos anos 50 no Sport Algés e Dafundo: os calções de banho, a assistência às provas, a maturidade física dos nadadores e….a equipa de estafetas de 10×33 metros livres que encerrava o programa de provas, no “dual-meet”, como se chama agora, antes de se passar aos saltos e no fim ao encontro de pólo-aquático.

A equipa dos craques do Algés e Dafundo. Da esqª: Alfredo Rodrigues, Eduardo Barbeiro, Ezequiel Gameiro das Neves, Amilcar Nabais da Cruz, Oscar Cabral, João Franco do Vale, Eurico Perdigão, Fernando Madeira, José Inácio Borja e Eurico Surgey.

JOSÉ SACADURA E AMIGOS, ANOS 50 E 80

Fotos de José Sacadura.

Nos cerca de seis anos em que viveu na Beira, em Moçambique, José Sacadura foi professor de ginástica, treinador de natação e Seleccionador de Moçambique. O seu currículo em Portugal é extenso.

No corredor da piscina grande do Algés e Dafundo, anos 50: Justino Garrido, José Sacadura, Artur Gil, Avelino Pereira e (?).

Nos campeonatos nacionais de natação em Aveiro, 1957. José Sacadura no pódio para receber o 1º lugar nos 1500 metros livres. Não sei os nomes dos jovens que ficaram em 2º e 3º lugar.

Hermano Patrone e José Sacadura.

José Sacadura em 1987, com o Sr. Rodrigues, árbitiro, na cidade do Porto.

NADADORES NA TRAVESSIA DA BAÍA DE SESIMBRA, 1958

Foto de José Sacadura.


Na travessia da Baía de Sesimbra, mais ou menos em 1958. Na imagem, de pé da esquerda: Eurico Perdigão, Felga Ribeiro, Luiz Vaz Jorge, Sérgio Sarabando Martins. Em baixo, Carlos Filipe da Fonseca, José Sacadura e Avelino Pereira, que venceu a prova. Sacadura ficou em 4º lugar.

JOSÉ SACADURA, VENCEDOR ABSOLUTO DA TRAVESSIA DO TEJO, 1956

Foto de José Sacadura.

 

José Sacadura. A legenda da fotografia diz: "Travessia do Tejo. Vencedor absoluto, 1956".

A EQUIPA DO SPORT ALGÉS E DAFUNDO, ANOS 50

Foto de José Sacadura.

O Sport Algés e Dafundo foi uma força seminal na natação portuguesa e, através de José Sacadura e Eurico Perdigão, a sua influência estendeu-se a Moçambique de forma expressiva.

De entre os campeões retratados em baixo, temos ainda Gameiro das Neves e Eduardo Barbeiro, o primeiro durante anos um importante membro da FPN e o segundo Presidente da FPN.

Fernando Sacadura, pai de José Sacadura, foi uma figura do Clube e a piscina do Algés tem o seu nome.

Em baixo, uma foto que retrata valores conhecidos do clube, creio que nos anos 50. A legenda é do Prof. Sacadura.

A equipa do Sport Algés e Dafundo num Festival Internacional de aniversário do Clube. De pé da esquerda para a direita : Fernando Sacadura, Franco do Vale, Fernando Madeira, Eurico Perdigão, José Manuel Correia, Rodrigo Bessone Basto, Dino Mendonça, Alfredo rodrigues, A.Lince, Guilherme Patrone, Amílcar Nabais e Zeca Rosa. No meio: Licas Sebastião, Leodoro Patrício e João Bichinho. Em baixo : Eurico Surgey, Zéca Borja, Eduardo Candeias, Adriano Cabral Rodrigues, Zé Cabral, Gameiro das Neves, Eduardo Barbeiro, J.Cordeiro e Óscar Cabral.

LUIS ANTERO CAVALEIRO MADEIRA E JOSÉ SACADURA, ANOS 70

Foto de José Sacadura.

Luis Cavaleiro Madeira foi Presidente da Federação Portuguesa de Natação entre 1973-1978 e 1980-1981.

Os seus filhos Luis e Luísa nadaram e foram campeões.

Luis Cavaleiro Madeira e José Sacadura, parece que junto a Acrópole de Atenas.

VISITA MOÇAMBICANA A RIO MAIOR, JAN. 2011

Fotos de José Sacadura.

Fotos tiradas durante a visita de uma comitiva desportiva moçambicana de alto nível a Portugal. Aqui, na cidade ribatejana de Rio Maior, a cerca de 60 kms de Lisboa, onde opera um grande complexo desportivo.

Carlos Coutinho da Desmor, Marques da Silva do Comité Olímpico Português, José Cossa do Comité Organizador dos Jogos Africanos 2011, o Ministro Pedrito Caetano, Inácio Bernardo, Director Nacional dos Desportos de Moçambique, Arsénio Sarmento, Chefe da Cooperação Internacional, Assane Saíde da Embaixada de Moçambique em Lisboa e Joel Libombo, Assessor do COJA.

No complexo desportivo de Rio Maior, o Prof. José Sacadura com Marcelino Macome, Presidente do Comité Olímpico de Moçambique.

À esquerda, José Cossa, Presidente do Comité Organizador dos Jogos Africanos 2011, e Joel Libombo, ex-ministro e creio que consultor da organização dos jogos.

Março 31, 2011

DELEGAÇÃO PORTUGUESA NOS JOGOS OLÍMPICOS

Foto gentilmente enviada por José Branco.

 

Uma pequena foto de jornal da delegação que representou Portugal nos Jogos Olímpicos de Moscovo em 1980. Apesar de não se ver bem (se alguém tiver melhor por favor envie para aqui) aqui estão alguns nomes conhecidos de Moçambique: José Branco, Rui Abreu, Eurico Perdigão, José Sacadura. E o grande nadador Paulo Frishknecht.

 

Março 3, 2011

EQUIPA DE NATAÇÃO DO CLUBE NÁUTICO DA BEIRA, ANOS 70

Filed under: 1970 anos, Equipa da Beira, José Sacadura (treinador) — ABM @ 2:05 am

Foto de José Sacadura.

A equipa de natação do Clube Naútico da Beira. Faltam os nomes, sendo que José Sacadura é o terceiro a contar da direita no topo.

Janeiro 8, 2011

MARIA DA LUZ MENDES EM 1973 E EM 2010

Esta fotografia foi enviada pela Maria da Luz Mendes (Jacobs).

Maria da Luz Mendes (Jacobs) nadou na Beira e em Coimbra.

Um domingo na praia na Beira, 1973. Maria da Luz é a jovem de biquini com uma risca no calção. Na foto à sua direita estão Luísa Sacadura e a sua filha Cecília, respectivamente mulher e filha do Professor José Sacadura. Do lado esquerdo da Maria da Luz vê-se a sua mãe, Domitília.

Maria da Luz Mendes Jacobs (à direita) em 2010, na África do Sul. Aqui com a sua filha Candice, que não fala uma palavra de português, para variar.

Dezembro 2, 2010

ALMOÇO EM HONRA DE SUZANA ABREU BARROS, NOV. 2010

Mais algumas imagens do almoço promovido em Novembro de 2010, na ocasião da visita de Suzana Abreu Barros a Portugal, estas tiradas pelo Prof. José Sacadura.

Suzana Abreu Barros.

Suzana Abreu Barros e ABM.

Eurico Perdigão, Dulce Gouveia, Suzana Abreu Barros, ABM, Victor Cerqueira, Amélia Sampaio Cerqueira e Carlos Oliveira.

Eurico Perdigão, Dulce Gouveia, Suzana Abreu Barros, ABM, Victor Cerqueira, Amélia Sampaio Cerqueira e José Sacadura.

Dulce Gouveia e Suzana Abreu Barros.

Dulce Gouveia, Suzana Abreu Barros e ABM.

JOSÉ SACADURA, EURICO PERDIGÃO E LEONEL GOMES, 2010

Esta fotografia da colecção do Prof. José Sacadura.

Verão de 2010 no Ribatejo: José Sacadura, Eurico Perdigão e Leonel Gomes. Os três foram treinadores e seleccionadores de Moçambique e tiveram carreiras brilhantes na natação portuguesa após 1974. Leonel Gomes é actualmente 3º no mundo numa competição de Masters de natação.

JOSÉ SACADURA, HERMANO PATRONE E EURICO PERDIGÃO

Esta foto da colecção do Prof. José Sacadura.

José Sacadura, Hermano Patrone e Eurico Perdigão. Treinadores de referência em Moçambique e em Portugal. José Sacadura foi ainda um dirigente na FPN, definindo o seu percurso durante décadas.

JOSÉ SACADURA NO CLUBE NÁUTICO DA BEIRA

Esta foto do espólio do Prof. José Sacadura.

No Clube Náutico da Beira, anos 70.

Um convívio do Clube Náutico da Beira.

Novembro 11, 2010

PERDIGÃO, SACADURA, SUZANA, DULCE, VICTOR, AMÉLIA, CARLOS E ABM, 2010

Na ocasião da visita de Suzana Abreu Barros a Portugal, imagens de um almoço que excepcionalmente reuniu Grandes da natação de Moçambique antes da Independência e alguns de Portugal após 1974.

Uma foto para a Posteridade: Eurico Perdigão, Dulce Gouveia, Victor Cerqueira, Suzana Abreu Barros e José Sacadura.

Da esqª: Eurico Perdigão, Dulce Gouveia, Susana Abreu Barros, Victor Cerqueira, Amélia Sampaio, José Sacadura e Carlos Oliveira

José Sacadura, Suzana Abreu Barros e Carlos Oliveira.

Suzana Abreu Barros, Eurico Perdigão e Dulce Gouveia.

O professor José Sacadura, que viveu na Beira entre 1968 e 1974, deu aulas no Liceu Pêro de Anaia e foi treinador no Clube Náutico da Beira, foi também Seleccionador de Moçambique. Marcou como poucos a natação portuguesa nos últimos quarenta anos. Agora goza da reforma mais activa que se viu.

Suzana Abreu Barros e ABM, duas gerações de nadadores do Desportivo do tempo de Eurico Perdigão.

O Dr. Victor Cerqueira e a sua mulher Amélia Sampaio: um casamento Desportivo-Velhos Colonos.

Eurico Perdigão e Dulce Gouveia. O treinador e a nadadora que marcaram uma geração da natação em Moçambique e em Portugal.

O Dr. Carlos Oliveira: dos melhores nadadores portugueses nos anos 70. Mais tarde, como dirigente na FPN, um dos principais responsáveis pelo arranque da natação de Masters em Portugal.

Eurico Perdigão. Sucessor de Margaride Fernandes, elevou a natação do Desportivo e de Moçambique a um novo nível. Continuou a sua obra depois de 1974 no Sport Algés e Dafundo.

Novembro 7, 2010

UM NADADOR DE FÉRIAS, 31 DE DEZEMBRO DE 1974

Cozinhando uma sopa instantânea na tenda junto à praia na Ilha da Inhaca.

Uns dias de férias e calor infernal na última semana de Dezembro de 1974, acampado numa praia da Ilha da Inhaca com amigos. Tinha 14 anos de idade e levou horas à chata (tipo de barco) que cruzou a baía para chegar à ilha.

Nessa noite de 31 de Dezembro de 1974, à meia-noite, lá longe no horizonte, sentado na praia escurecida, iluminada apenas por uma fogueira, assisti ao espectáculo mágico do fogo de artifício, brilhante e avermelhado, a oscilar silenciosamente à distância, sobre os límpidos céus de Lourenço Marques, celebrando a entrada do ano de 1975: o ano da Independência de Moçambique.

1974 e 1975 foram anos verdadeiramente alucinantes, uma curiosa mistura do sublime e do infame.

Mas, políticas aparte, os meus focos eram só dois: estudar e nadar competitivamente.

No dia 19 de Fevereiro de 1975 saí de Lourenço Marques (fazia sol e 27 graus de temperatura nesse dia) num Boeing 747 da Tap com destino a Lisboa, onde cheguei na manhã seguinte. Na capital portuguesa a temperatura era de 11 graus, estava escuro e caía chuva miudinha. Toda a gente parecia estar vestida de preto, as ruas sujas, cartazes por toda a parte a apregoar frases revolucionárias.

Ao princípio da tarde desse dia, fui levado pelo Prof. José Sacadura e pela Dulce Gouveia, que viviam em Coimbra, através da indescritível confusão e perigo da Estrada Nacional 1, para Coimbra. Cheguei à cidade cerca das 5 da tarde e a primeira coisa que fiz foi ir à piscina municipal coberta nadar. No dia seguinte fui para o liceu, onde levou algum tempo primeiro que as senhoras da secretaria processassem a papelada para me encaixarem lá.

Em Fevereiro de 1975 a Coimbra que encontrei era uma cidadezinha fria, molhada, escura e sisuda, que participava contida e distanciadamente na então Revolução das Flores, cuja dinâmica se desenrolava essencialmente em Lisboa, e a que se assistia de Coimbra diariamente pela televisão através duma RTP instrumentalizada e governamentalizada, medíocre, a preto e branco. Nos intervalos dos debates e da peixarada política, assistíamos aos escaldantes episódios de Gabriela, Cravo e Canela e ao inenarrável A Vaca da Cornélia.

Definitivamente, já não estava em Moçambique.

O mais que se assistia de “revolucionário” em Coimbra passava-se creio que na universidade, um mundo relativamente estanque da cidade, onde se contavam espadas, saneavam-se professores e se contestava tudo e mais alguma coisa. No Liceu Infanta Maria tive professores que eram professores da universidade mas que para lá foram pois já não estavam para aturar aquilo.

Eu já conhecia Coimbra desde 1972, quando ali estive umas semanas, regiamente instalado no Hotel Avenida, para participar em competições de natação. Estive lá no ano seguinte. Sempre em Julho e Agosto, quando a cidade era quente, seca e solarenta. Agora conheci-a – e a Portugal – no inverno, sombria, quase sorumbática.

Coimbra entre 1972 e 1975 era uma vila comparada com o que é hoje. Junto ao Calhabé ainda havia quintas e ovelhas a pastar. A Sólum era quase um transplante no meio do mato, que rodeava o bairro. Era uma cidade pacatíssima, de província, com alguma mania de que ali residia uma elite e uma cultura aparte. Mas na prática era uma cidade normal. Como em toda a parte, encontrei lá muito boa gente e alguma que não prestava para nada.

Em Coimbra, fui estudar para o Liceu Infanta Dona Maria e nadar nas piscinas municipais da cidade. Vivi primeiro na Sólum e depois no Calhabé, o resto da família – os meus pais e sete irmãos – espalhados por todo o mundo.

Cedo se reuniu ali uma pequena comunidade de gente de Moçambique que nadava comigo. Cada um à sua maneira, procurava ajustar-se às circunstâncias loucas em que quase repentinamente nos encontrámos, todos longe das famílias, sem dinheiro, sem ousar pensar no dia seguinte, vivendo o dia a dia. Coimbra passou a ser a nossa casa e os nossos amigos a nossa família.

Vivi em Coimbra dois anos e sete meses, exactamente.

Em 20 de Setembro de 1977 saí de Coimbra num comboio da estação B, com destino a Lisboa. Depois de um mês de espera na ilha açoriana de São Miguel, onde estavam os meus pais, fui viver para os Estados Unidos da América, onde permaneceria nos 14 anos seguintes.

Após sair de Moçambique, não voltaria durante quase mais dez anos, até viajar até lá em 1984, por sugestão de Valeriano Ferrão, o primeiro embaixador moçambicano nos Estados Unidos da América.

Que me facultou um visto de entrada.

Para estrangeiro.

Novembro 3, 2010

JOSÉ SACADURA, MIRANDELA DA COSTA E VICENTE DE MOURA

Parte importante do percurso do Prof. José Sacadura foi em Moçambique, onde foi treinador e seleccionador de natação.

Arcelino Mirandela da Costa desempenhou funções no Conselho Provincial de Educação Física em Moçambique e estava a operar uma autêntica revolução no desporto quando ocorreu o golpe de estado em Portugal em 1974. Em Portugal, foi, entre outras funções, Director Geral dos Desportos durante vários anos.

O Comandante Vicente de Moura foi presidente da Federação Portuguesa de Natação e actualmente é o Presidente do Comité Olímpico Português.

Três grandes do desporto português: José Sacadura, Arcelino Mirandela da Costa e Comandante Vicente de Moura.

Novembro 2, 2010

DULCE GOUVEIA, JOSÉ SACADURA E MANUELA MENDES SILVA, 1975

Todos do Clube Académico de Coimbra, onde José Sacadura treinou.

Coimbra, 1975: Dulce Gouveia, José Sacadura e Manuela Mendes Silva.

JOSÉ SACADURA, 1976

Filed under: 1970 anos, José Sacadura (treinador) — ABM @ 1:41 pm

José Sacadura treinou o Clube Náutico da Beira, foi seleccionador de Moçambique, treinou o Clube Académico de Coimbra e desempenhou variadas funções na Federação Portuguesa de Natação.

Aqui, na partida para os jogos olímpicos de Montréàl, em 1976, onde foi como o treinador da equipa olímpica.

José António Mayer Cabral Sacadura, em 1976.

NADADORES DA BEIRA, ANOS 70

Filed under: 1970 anos, Equipa da Beira, José Sacadura (treinador) — ABM @ 2:25 am

Com o treinador, José Sacadura.

Faltam os nomes dos nadadores.

Outubro 17, 2010

BEIRA, ESTÁGIO DE NATAÇÃO, 1972

Imagens tiradas durante o estágio da selecção de natação de Moçambique de dois meses feito na cidade da Beira em Junho e Julho de 1972. Os treinos eram feitos na piscina do Grande Hotel da Beira. O hotel em si estava fechado há anos mas era mantido.

José Sacadura, que vivia na Beira, era aqui o seleccionador de Moçambique.

Na piscina do Grande Hotel da Beira à hora do treino. À frente o Jaime Santos.

José Rodrigues, Jaime Santos, João Rodrigues.

José Rodrigues, ?, Olímpia Ótão, António Botelho de Melo, e João Rodrigues. Atrás, Graça Simão, Carlos Oliveira, Jaime Santos, Clotilde Botelho de Melo e Cristina Tavares

Numa praia da Beira. Da esqª, João Rodrigues, Jaime Santos, José Sacadura, José Rodrigues e Clotilde Botelho de Melo com André Sacadura ao lado.

Older Posts »

Create a free website or blog at WordPress.com.