THE DELAGOA BAY COMPANY

Maio 26, 2017

A INAUGURAÇÃO DA PISCINA DE GONDOLA, 1964

Texto e fotografias de Eduardo Horta. O texto foi adaptado. As fotografias foram retocadas.

EH1

A equipa dos Velhos Colonos de Moçambique cumprimenta os atletas rodesianos que participaram na inauguração da piscina de Gondola, então a melhor piscina de Moçambique.

Memórias da inauguração da Piscina do Ferroviário de Gondola, em Manica, em 26 e 27 de Setembro de 1964, na época a melhor piscina de Moçambique, de dimensão olímpica, com 50 metros de comprime to por 20 metros de largura e 10 pistas. Nem na capital moçambicana existia então algo semelhante.

EH2
Participaram na inauguração as equipas de Lourenço Marques (Grupo Desportivo e Associação dos Velhos Colonos), uma equipa da Rodésia e alguns jovens do Colégio Luis de Camões, da Beira. Magnifica piscina desenhada pelos Arquitectos Naya Marques e Julião de Azevedo, da Beira, com cálculos dos Engenheiros Nogueira Leite e Mota de Oliveira, tendo sido o construtor António Joaquim Lopes, de Vila Pery.

EH3

A equipa da Associação dos Velhos Colonos.

As reportagens, filmadas e fotografadas, estiveram a cargo de Manuel Pereira, João Terramoto e de Carlos Alberto Vieira, os dois primeiros para a Actualidades de Moçambique e TV Portuguesa e o último, um dos reportéres fotográficos de maior renome em Moçambique. Ainda houve um programa de variedades, com artistas e cantores do Rádio Clube de Moçambique, como a Maria Adalgisa, a Marinela, o Aníbal Coelho etc., além do Conjunto Oliveira Muge, de Vila Pery, mal sabendo eu que, poucos anos depois, o vocalista (Policarpo) viria a ser meu colega de tropa.

EH4

A equipa dos Velhos Colonos, numa pose mais informal.

O edificio junto à piscina exibia nas paredes uns murais alusivos aos Caminhos de Ferro, de autoria do Júlio de Albuquerque, que, não sendo um artista plástico, mas sim um operário e pintor profissional, não deixavam de ter um grande valor estético.

 

Março 5, 2017

O CAMPO DE HÓQUEI EM PATINS DO VARIETÁ EM LOURENÇO MARQUES, 1911

Filed under: Francisco Velasco, Skating Ring Varietá 1911 — ABM @ 12:37 am

Esta é uma raríssima fotografia (a única que vi até hoje) do interior do Skating Ring e Cinematógrafo Varietá em Lourenço Marques, local onde se terão realizado os primeiros jogos de hóquei em patins em todo o território português.

Na realidade o espaço, na Rua Araújo em Lourenço Marques, era multi-usos. Quando não havia jogos de hóquei, as pessoas podiam dar voltas com os seus patins, havia festas, jantares, projectavam-se filmes e fazia-se teatro.

Dois anos depois desta foto ter sido tirada, o empresário italiano Pietro Buffa Buccellato edificou no mesmo local o Teatro Varietá.

Fico eternamente ao Paulo Azevedo, como eu um aficionado das pesquisas de Moçambique e que gentilmente a captou e a cedeu para colocação neste blogue.

E dedico esta imagem ao Campeoníssimo Francisco Velasco, mago do hóquei em patins que elevou tão alto a fasquia da excelência para gerações de atletas em todos os desportos em Moçambique.

20130816_174015

Anúncio colocado creio que no Lourenço Marques Guardian, 1911. Noticia a projecção de um filme (a coroação do Rei Jorge V da Grã-Bretanha), no dia seguinte uma misteriosa Ladies’ Night, seguida no dia seguinte por um jogo de hóquei em patins, homens contra senhoras.

No seu magnífico blogue, daqui, transcrevo uma nota preparada pelo Grande Francisco Velasco:

Velasco on Varietá Players

Os primeiros jogadores de hóquei em Lourenço Marques.

No que se refere a Inglaterra:

Da obra de Roger Pout, The early Years of English Roller Hockey, um magnífico estudo sobre os primeiros anos da modalidade, na Inglaterra, infere-se que o primeiro desafio de hóquei em patins de rodas, ocorreu em 1885 e que, no anos seguinte, um grupo de entusiastas elaborou um conjunto de “regras de jogo” que seriam aplicadas nas partidas que pretendiam organizar. Assim, o Hóquei em Patins foi jogado pela primeira vez de forma organizada, em 1886 e estes entusiastas podem ser considerados como os pioneiros da actual Associação Amadora de Rink Hockey, formada em 1904.

No que se refere a Moçambique, transcrevo do Boletim do SNECI, de Junho de 1955, o seguinte texto:

«Causaria certamente surpresa a muitos aqui em Moçambique residentes e certamente a todos que nos lerem na Metrópole, o conhecimento de que data de há cerca de 43 anos a prática do hóquei patinado nesta Província.

Na realidade a 5 de Outubro de 1912 – vai para 43 anos – inaugurou-se na Rua do Major Araújo o Teatro Varietá que ainda ali existe em funcionamento, agora como cinema.

Decorrido pouco tempo foi ali mandado construir um rinque para a prática do hóquei, rinque que foi o primeiro a ser construído em Lourenço Marques.

Era então de “bom tom” ir passar-se a noite no rinque do “Varietá” para assistir à prática do hóquei patinado.

Foram primeiros praticantes Germâno de Magalhães o grande internacional português há pouco falecido na Metrópole, G. B. Buccellato, o conhecido comerciante e industrial felizmente ainda entre nós, seu irmão já falecido, Francisco Barreto, já falecido e um outro antigo inspector dos CTT, Piedade Barreto, António Valente, actualmente administrador aposentado residindo na Metrópole, Luís de Aguiar Barbosa, ainda entre nós como funcionário dos SMAE, H. Edwards, A. Daintree, H. Scoones e Garcia de Carvalho.

Todos estes hoquistas de há mais de quatro décadas se podem ver nesta fotografia que nos foi gentilmente cedida pelo velho colono José Correia da Veiga, um moço de espírito com quem sempre encanta falar sobre os seus temas predilectos: “Era assim antigamente” ou “Lourenço Marques há 50 anos”.

Fevereiro 2, 2017

EDUARDO HORTA RECEBE UMA MEDALHA NOS VELHOS COLONOS EM LOURENÇO MARQUES, 1953

Filed under: Eduardo Horta, Uncategorized — ABM @ 4:37 pm

Foto gentilmente cedida pelo grande Eduardo Horta.

 

fb-rd-horta-p

O jovem nadador Eduardo Horta, à direita, recebe uma medalha, durante a cerimónia de entrega de prémios de competições das Escolas de Natação do Sporting Clube de Lourenço Marques, dia 3 de Maio de 1953. A fotografia foi tirada no recinto da piscina da Associação dos Velhos Colonos de Moçambique na Maxaquene, em Lourenço Marques, que havia sido inaugurada em Fevereiro de 1950, cerca de seis meses depois de inaugurada a piscina do Grupo Desportivo Lourenço Marques, em 24 de Julho de 1949.

Fevereiro 1, 2017

O CAMPEONATO DO MUNDO DE VELA VAURIEN EM LOURENÇO MARQUES, 1973

Foto generosamente cedida pelo Diogo Cabrita. Os demais documentos cortesia do grande atleta de Moçambique, Eduardo Horta.

fb-ed-horta-vaurien

A organização de um campeonato mundial de vela em Moçambique (15 a 20 de Agosto de 1973) foi um sucesso e uma demonstração do talento e a capacidade de mobilização das pessoas que trabalhavam na área do desporto moçambicano antes da Independência, aliás confirmado quando muitas destas pessoas continuaram as suas carreiras mais tarde em Portugal e noutros países onde se radicaram.

campeonato-do-mundo-em-vaurien-lm-73

Algumas embarcações Flying Dutchman a sairem da doca do Clube Naval de Lourenço Marques, durante o Campeonato do Mundo de Vaurien, que foi disputado em Moçambique em 1973. Fotografia de Diogo Cabrita.

selos-c-m-vaurien-73

Três sêlos alusivos ao Campeonato do Mundo de Vela – Vauriens, 1973.

fb-ed-horta-vaurien-2

Carta de agradecimento a Eduardo Horta, enviado por Arcelino Mirandela da Costa, então Presidente da Comissão Organizadora do evento, pelo seu contributo para o seu sucesso.

fb-ed-horta-vaurien-3

Carta do Comodoro Frederico Marques Mano, então Presidente do Clube Naval de Lourenço Marques, a solicitar o apoio de Eduardo Horta na logística do Campeonato do Mundo em Vauriens e no Campeonato Nacional (de Portugal) de Snipes.

Janeiro 12, 2017

A EQUIPA DE BASQUET DO BANCO COMERCIAL DE ANGOLA EM LOURENÇO MARQUES, 1974

Filed under: Equipa Banco Comercial Angola 1974, Uncategorized — ABM @ 12:00 am

Fotografia cortesia do Luciano Rodrigues.

Disse o Jorge: “Éramos todos empregados do Banco. Jogávamos naqueles torneios da J.A.S.T. (Junta da Acção Social do Trabalho), ou seja torneios inter-empresas.”

Referiu o Luciano: ” Isto era uma equipa de curiosos do basquetebol, pois só eu e  José Santos jogávamos no Sporting LM. O treinador o Sr. Seixas era meu treinador no Sporting.”

fb-luciano-rodrigues-teste-a

A equipa de basquet do BCA em Lourenço Marques,, 1974. Ver os nomes em baixo.

fb-luciano-rodrigues

1- Sr Seixas, Treinador, 2-? ,3-? ,4- Hélder Russo, 5-Jorge Arcanjo , 6-José Manuel Santos (Zema), 7- Africano da Costa, 8-Luciano Rodrigues , 9-José Luis Melhorado, 10-?

Janeiro 7, 2017

O Delagoa Bay Company em 2017

Depois de um intervalo, e de um curto periodo em que esteve “fechado”, o The Delagoa Bay Company volta em 2017, de novo acessível a todos os que se derem à maçada de o ler. Aqui quase nada de novo, tudo mais ou menos na mesma, desde a sua abertura em 2010. Mais umas fotos, mais umas conversas ao desafio. À meia dúzia de apreciadores, saudações. Este ano há mais.

fbppt-10-jun-71-est-salazar-festival-da-juv-em-lm

Jovens sentadas na pista de atletismo do Estádio Salazar em Lourenço Marques, durante o Festival da Juventude, que assinala o encerramento do ano escolar em Moçambique, Junho de 1971. Foto gentilmente cedida pelo PPT.

Maio 24, 2016

CADEIRA DA PISCINA DA ASSOCIAÇÃO DOS VELHOS COLONOS DE MOÇAMBIQUE, 2015

Encontrei-a nos arredores de Maputo.

 

Cadeira dos Velhos Colonos.  A precisar de uma pintura.

Cadeira dos Velhos Colonos. A precisar de uma pintura.

LEONG SIU PUN NA ILHA DE MOÇAMBIQUE, 1964

Filed under: 1960 anos, Leong Siu Pun, PESCA SUBMARINA, Uncategorized — ABM @ 8:04 pm
10433134_835548876514255_2120476276414715825_n

O Grande Leong com uma garoupa de 18 quilos, apanhada ao largo da Ilha de Moçambique a 3 de Maio de 1964.

Fevereiro 29, 2016

FALECEU MANUEL DA MATA, TREINADOR DO DESPORTIVO E FERROVIÁRIO DE LOURENÇO MARQUES

Faleceu hoje, 29 de Fevereiro de 2016,  em Portugal, o Sr. Manuel da Mata, que foi treinador de natação no Grupo Desportivo Lourenço Marques e o primeiro treinador do Clube Ferroviário de Moçambique, tendo inaugurado a piscina daquele clube na Baixa junto ao campo de futebol do Ferroviário em 1968.

Manuel da Mata deixa dois filhos, Victor e Guida. A sua mulher, Odete, faleceu em Novembro de 2011.

Manuel da Mata foi durante alguns anos treinador de Escolas no Grupo Desportivo Lourenço Marques, na actual Maputo. Sendo funcionário da grande família ferroviária de Moçambique, foi a escolha natural para liderar a natação do Ferroviário quando o Clube decidiu construir uma piscina e competir na natação. Das suas mãos saíram grandes nadadores de Moçambique. Após a Independência de Moçambique, Manuel da Mata juntou-se a Eurico Perdigão, treinador do Desportivo, tendo ambos continuado o trabalho na natação no Sport Algés e Dafundo, um histórico clube de de natação situado junto à margem norte da Cidade de Lisboa, no subúrbio de Algés, e por quem passaram também grandes gerações de nadadores portugueses.

 

Manuel da Mata ao Centro, com jovens nadadores do Desportivo LM, anos 60.

Manuel da Mata ao centro, com jovens nadadores do Desportivo LM, anos 60.

À Família Mata, apresento as mais sinceras condolências. Manuel da Mata foi o meu primeiro treinador de natação. Também.

Abril 17, 2014

A EQUIPA DE BASQUET INFANTIS DO MALHANGALENE EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Fotografia de João de Sousa, restaurada.

João de Sousa é um jornalista moçambicano, cujo início de carreira passou pela cobertura de muito do desporto em Moçambique, ainda antes da Independência. Actualmente, reside em Maputo.

xxxx

Segundo o Leonel Sousa, “Esta é a equipa de basquetebol Infantis do Malhangalene após a vitória no campenato. Esta equipa, com ligeiras alterações, ganhou os 2 campeonatos de Infantis que disputou e os dois campeonatos Provinciais de Juniores. Ganhou tudo até chegarem a Séniores. Equipa Maravilha!”. Aqui vai uma grelha para quem souber os nomes: do lado esquerdo, para o fundo, P1, P2, P3, P4, P5, P6, e P7. Ao fundo da mesa, P8. Do lado direito, na direcção do fundo:  P9, P10, P11, P12, João de Sousa, P14, P15 e P16. Também não sei o ano exacto. A fotografia foi tirada no Restaurante Oceânia, que ficava junto do Clube Naval de Lourenço Marques, anos 60.

O TOUREIRO RICARDO CHIBANGA, ANOS 1960

Filed under: 1960 anos, Ricardo Chibanga, TOURADAS — ABM @ 11:39 am

 

O toureiro Ricardo Chibanga, em traje solene, anos 60.

O toureiro Ricardo Chibanga, em traje solene, anos 60.

Janeiro 5, 2014

EUSÉBIO E RUTE MALOSSO EM LOURENÇO MARQUES, 1960: UMA EVOCAÇÃO

Filed under: 1960 anos, 2010 anos, Eusébio da Silva Ferreira — ABM @ 5:29 pm
A jovem estrela no arranque do seu percurso.

A jovem estrela no arranque do seu percurso.

Já se contaram inúmeras histórias e episódios em redor do Grande Eusébio, que faleceu hoje em Lisboa, cerca de três semanas antes de completar 72 anos de idade.

Mas não esta pequena história, que aqui elenco, em singela homenagem ao superlativo atleta de Moçambique, que inspirou e maravilhou gerações de amantes do futebol em todo o mundo, entre eles o meu Pai, que, vindo dos Açores e de Macau, decidiu ir viver para Lourenço Marques em 1958, e que assistiu ao vivo a todo o percurso de Eusébio, que em nossa casa sempre foi visto como um grande valor moçambicano.

Como é conhecido, o nome de código de Eusébio usado nas negociações que culminaram quando ele viajou de Lourenço Marques para ingressar no Benfica em Lisboa, onde chegou na noite de 16 de Dezembro de 1960, era Rute (ou Ruth) Malosso.

Mas Rute Malosso não era apenas um nome de código.

Havia de facto uma Rute Malosso em Lourenço Marques em 1960.

Rute Malosso era na altura uma jovem filha de Conceição Malosso, casada com Albertino do Vale Malosso, único irmão de Arlindo do Vale Malosso, que vivia em Moçambique desde os anos 20.

O irmão de Albertino, Arlindo do Vale Malosso, era um português mas que tinha cidadania norte-americana. Trabalhava como comissário de bordo de um navio que fazia carreira entre Cuba e os Estados Unidos. O seu pai era italiano (o apelido Malosso origina no Norte da península italiana) e foi chefe dos rebitadores que trabalharam na construção da Torre Eiffel em Paris, inaugurada aquando da realização da Exposição Universal naquela cidade em 1889 (e em que o use dos rebites foi uma inovação tecnológica importante). Mais tarde trabalhou na Ponte Dom Luiz na Cidade do Porto.

Em Portugal, o Pai de Arlindo casou com uma senhora portuguesa, de Tomar, de apelido Vale.

Anos mais tarde, numa viagem em redor de África, no início dos anos 1920, o navio onde Arlindo se encontrava a trabalhar teve uma avaria grave e teve que parar em Lourenço Marques para reparações durante algum tempo. Arlindo era cortador de carnes e arranjou logo emprego num talho de Manuel Cretikos, pai de Jorge Cretikos, uma família de origem grega que tinha vários negócios em Lourenço Marques. Eventualmente, Malosso radicou-se em Moçambique e envolveu-se em vários negócios, entre eles uma rede de talhos em Lourenço Marques.

Pouco depois da sua chegada a Moçambique, Arlindo mandou vir a sua mulher de Portugal e também convidou o seu irmão Albertino (pai de Rute Malosso) que vivia em Portugal, para se juntar a ele em Lourenço Marques, como talhante.

Qual a ligação entre Rute Malosso e a saga do mais famoso desportista moçambicano de todos os tempos?

Quem usou o nome de Rute Malosso aquando da transferência de Eusébio do Sporting de Lourenço Marques para o Benfica em Lisboa foi Mário Tavares de Melo, que conhecia Rute e era amigo de Albertino Malosso, pois ambos eram talhantes (cortavam carne num talho em Lourenço Marques, situado no Bazar de Lourenço Marques) e eram adeptos ferrenhos do Benfica na capital da então província portuguesa, onde o jovem Eusébio nascera, filho de um angolano branco de Lubango, Angola, e de uma bonita jovem moçambicana de Xipamanine, Elisa. O pai morreu antes de Eusébio completar sete anos de idade.

No final dos anos 50, o talento do jovem moçambicano, que vinha na senda de enormes talentos futebolísticos já surgidos do futebol moçambicano (Mário Coluna era o pilar do Benfica na altura, por exemplo) já despontara o interesse e pouco antes do seu ingresso no Benfica Bella Gutman, o lendário e mercurial treinador do clube português, voou até Lourenço Marques para observar o jovem talento. Gutman ficou impressionado.

Mário Tavares de Melo foi um dos elementos chave no complexo processo negocial em que Eusébio, que na altura era jogador do Sporting de Lourenço Marques, e que era menor (logo não tinha capacidade jurídica para assinar contratos), acaba, essencialmente por decisão da sua Mãe Elisa, por assinar um compromisso com o Benfica, compromisso esse consubstanciado com o seu registo, dias mais tarde, na Federação Portuguesa de Futebol, como jogador desse clube.

Nas negociações, que envolveram telegramas e telefonemas entre a capital moçambicana e a capital portuguesa, feitos em “aberto” (ou seja, podiam ser escutados e lidos pelos operadores da companhia telefónica em Lourenço Marques e em Lisboa) Mário usava o nome de Rute Malosso para se referir a Eusébio.

Rute Malosso ainda é viva (e saudável), está reformada e hoje reside em Queluz de Baixo, Portugal. Tem dois filhos e uma filha. Apesar de, como era costume na altura, as mulheres tipicamente adoptarem os nomes dos maridos quando se casavam, Rute, que casou com Joaquim Oliveira, manteve até hoje o seu apelido de nascimento – Malosso. Durante muitos anos, trabalhou para o Grupo Pestana.

Não tenho registo de alguma vez Rute Malosso e Eusébio se terem conhecido.

EUSÉBIO DA SILVA FERREIRA, EXPOENTE DO FUTEBOL, NATURAL DE MOÇAMBIQUE, FALECEU HOJE, 5 DE JANEIRO DE 2014

Filed under: 2010 anos, Eusébio da Silva Ferreira, FUTEBOL MOÇAMBIQUE — ABM @ 3:26 pm

Profundas condolências a sua Família e aos seus admiradores em todo o Mundo.

 

Eusebio faleceu esta manhã, domingo, 5 de Janeiro de 2014, com 71 anos de idade.

Eusebio faleceu esta manhã, domingo, 5 de Janeiro de 2014, com 71 anos de idade.

Outubro 19, 2013

CARLOS WILSON, FERNANDO MATOS, MANUEL BRAGA, NEVES E TAFOY, BOXISTAS DE MOÇAMBIQUE, 1945

Muito grato a Raquel Braga, filha de Manuel Braga, que se deu à chatice de digitalizar e enviar cópias dos documentos em baixo, que foram recuperados.

Recorte de um jornal português não identificado, de 1945, dando notícias da chegada a Lisboa dos pugilistas moçambicanos.

Recorte de um jornal português não identificado, de 1945, dando notícias da chegada a Lisboa dos pugilistas moçambicanos Fernando Matos e Carlos Wilson, Júlio Neves, Manuel Braga e Jorge Tafoy. Aguardavam-nos Carlos Gomes, Xangai Justino Rodrigues e Jorge Larzen.

Segundo a Raquel Braga, filha de Manuel Braga, este fotografia foi tirada no ringue do Campo Pequeno, Portugal, em 1945.

Segundo a Raquel Braga, filha de Manuel Braga, esta fotografia foi tirada no ringue do Campo Pequeno, Portugal, em 1945. Supostamente são os boxistas de Moçambique mas não sei onde pus a legenda. Deixo aqui uma grelha e quem puder ajudar, por favor escreva para aqui com detalhes. Da esquerda: B1, B2, B3, B4, B5, B6 e B7. Ah já encontrei. A Raquel escreveu: “contando da esquerda para a direita: Jorge Táfoi, Fernando Matos, Xangai, a pessoa a seguir ou é o manager Palma Moura ou Carlos Gomes estou em duvida de seguida Carlos Wilson, Manuel Carvalho Braga e Júlio Neves, a foto foi tirada no ringue do Campo Pequeno em Lisboa”.

Outubro 16, 2013

PÁRA-QUEDISTAS NO AERÓDROMO DA COSTA DO SOL, ABRIL DE 1974

Fotografia e textos de António Campos.

A foto, sem legendas, dos nossos heróis dentro dum Douglas C-47.

A foto, sem legendas, dos nossos heróis dentro dum Douglas C-47.

Avião: Douglas C-47 (versão militar do Dakota DC3); Local: Costa do Sol, a Norte de Lourenço Marques; Data: Mar/Abr 1974. 1º fila: 1- Carlos Boto, 2- Carlos Pacheco, 3- Raúl Curado, 4-?, 5-?, 6-?. 2ª Fila: 7- Carlos Abrantes, 8- Claudemiro Anjos, 9- Jorge Ribeiro, 10- António Jardino, 11- Victor Pacheco, 12- Fernando Manguinhas, 13 - ? 3ª Fila: 14 - ?, 15- Guerra, 16- ?, 17- Mike, 18- Gominho, 19- António Campos, 20-Ramos, 21- Vicotr Laranjeira?, 22- ?, 23- Roberto Velloza?

Avião: Douglas C-47 (versão militar do Dakota DC3); Local: Costa do Sol, a Norte de Lourenço Marques; Data: Março/Abril de 1974. 1º fila: 1- Carlos Boto, 2- Carlos Pacheco, 3- Raúl Curado, 4-?, 5- Manuel Martins, 6-?. 2ª Fila: 7- Carlos Abrantes, 8- Claudemiro Anjos, 9- Jorge Ribeiro, 10- António Jardino, 11- Victor Pacheco, 12- Fernando Manguinhas, 13 – ? 3ª Fila: 14 – ?, 15- Guerra, 16- ?, 17- Mike, 18- Gominho, 19- António Campos, 20-Ramos, 21- Victor Laranjeira?, 22- ?, 23- Roberto Velloza?

OS VENCEDORES DO TORNEIO INDEPENDÊNCIA EM PÁRA-QUEDISMO, JUNHO DE 1975

Filed under: 1970 anos, António Campos, Flávio Carmelo, Mário Secca + — ABM @ 5:34 pm

Fotografias e texto de António Campos.

Torneio Independência Inhambane 29 Jun 1975 Avião: Cessna 206 Skywagon CR7-AKD (familiarmente tratado por Kilo Delta) Piloto: Carlos Costa (Betuka) Equipa vencedora -da esquerda para a direita: Flávio Carmelo, António Campos e Mário Secca, Camilo. Mário Secca faleceu no Brasil.

Torneio Independência, disputado em Inhambane a 29 de Junho de 1975 Avião: Cessna 206 Skywagon CR7-AKD (familiarmente tratado por Kilo Delta) Piloto: Carlos Costa (Betuka) Equipa vencedora -da esquerda para a direita: Flávio Carmelo, António Campos, Mário Secca e Camilo. Mário Secca já faleceu, no Brasil.

PÁRA-QUEDISTAS DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 1970

Fotografias e texto de António Campos.

 

xxxxx

De pé, da esquerda; António Campos e Claudemiro Anjos e Matos. Sentados: Jorge Ribeiro e Álvaro Gil. Atrás a equipar-se: Raúl Curado. À espera do Douglas C 47 para mais um salto na Costa do Sol. A regra era sempre, com disciplina militar: 6:30 rodas no ar. O voo que durava pouco mais de 5 minutos até ao início da largada, dependendo da direcção do vento e da pista utilizada, permitia-nos ainda assim assistir a um espectáculo vedado à maioria dos mortais. Apreciar do ar uma vista maravilhosa da nossa bela cidade ao raiar da aurora. Que aliás como outras, estiveram sempre associadas à nossa actividade e que nos ficaram para sempre gravadas no coração. As mulheres já tinham partido com os carros para a zona de saltos atrás das salinas, para trazer a malta de volta ao Aero Clube para arrumar o material e também dar boleia àqueles que trabalhavam como era o meu caso e que entrava às 7.30. Quem entrava às 8 tinha mais tempo mas mesmo assim apertado e que só o trânsito da praia para a baixa àquelas horas permitia.

 

 

Outubro 9, 2013

COSTA PEREIRA, JOGADOR DE FUTEBOL, ANOS 1950

Filed under: 1950 anos, Costa Pereira — ABM @ 1:37 am

Fotografia de Carla Botelho Pinhal, restaurada.

 

Costa Pereira. Com dedicatória à Família Botelho.

Costa Pereira. Com dedicatória à Família Botelho.

 

 

Outubro 6, 2013

FALECEU ARNALDO CONSTANTINO, ANTIGO CAMPEÃO DE AUTOMOBILISMO DE MOÇAMBIQUE

Foto de Bebé Amaro Morais

 

Faleceu este fim de semana em Maputo o antigo campeão de automobilismo de Moçambique, Arnaldo Constantino. À sua Família dirigimos as nossas condolências.

Faleceu este fim de semana em Maputo o antigo campeão de automobilismo de Moçambique, Arnaldo Constantino. À sua Família dirigimos as nossas condolências.

Setembro 29, 2013

32º ENCONTRO DOS ANTIGOS NADADORES DE MOÇAMBIQUE EM 26 DE OUTUBRO DE 2013

 

zzz

Convite e detalhes

Mapa de localização do local do Encontro.

Mapa de localização do local do Encontro.

Junho 13, 2013

HOMENAGEM DO SPORTING DE LOURENÇO MARQUES A BOTELHO DE MELO, 1968

Grato à Guida e Sérgio Vilarinho, que tinham este recorte guardado em casa e se deram ao incómodo de o digitalizarem e enviarem.

 

O recorte noticiando o jantar de homenagem a Manuel Inácio Botelho de Melo

O recorte noticiando o jantar de homenagem a Manuel Inácio Botelho de Melo, que durante uma época treinou o Sporting de Lourenço Marques, no que foi sucedido por Mário Ramalho.

Março 24, 2013

ANTÓNIO TRINDADE, GRANDE TENISTA DE MOÇAMBIQUE, VENCE COPA IBÉRICA HOJE

Filed under: 2010 anos, António Trindade, TÉNIS DE MOÇAMBIQUE — ABM @ 11:21 pm

Parabéns ao nosso Campeão.

António Trindade no momento em que recebe o prémio de vencedor da Copa Ibérica, por parciais de  6-4, 7-5.

António Trindade no momento em que recebe o prémio de vencedor da Copa Ibérica, por parciais de 6-4, 7-5.

António Trindade, figura lendário do ténis de Moçambique antes da Independência, soma mais uma vitória.

António Trindade, figura lendária do ténis de Moçambique antes da Independência, soma mais uma vitória.

Março 18, 2013

CAIXA DE FÓSFOROS DO GRUPO DESPORTIVO LOURENÇO MARQUES

Filed under: 1940 anos, Caixa de fósforos do GDLM — ABM @ 7:47 pm
Face de caixa de fósforos do Grupo Desportivo Lourenço Marques, creio que produzidos em Macau.

Face de caixa de fósforos do Grupo Desportivo Lourenço Marques, creio que produzidos em Macau.

CAIXA DE FÓSFOROS DO GRUPO DESPORTIVO 1º DE MAIO DE LOURENÇO MARQUES

Filed under: 1940 anos, Caixa de fósforos do 1º de Maio — ABM @ 7:41 pm
Face de caixa de fósforos do Grupo Desportivo 1º de Maio, um clube histórico de Lourenço Marques.

Face de caixa de fósforos do Grupo Desportivo 1º de Maio, um clube histórico de Lourenço Marques.

Março 17, 2013

FALECEU O PROFESSOR JOSÉ PINTASSILGO, TREINADOR DE ANGOLA

A natação portuguesa e de Angola pré-independência perdeu uma das suas grandes referências. O Professor José Manuel Pintassilgo faleceu no dia 15 de Março de 2013. Os nadadores e treinadores de Moçambique apresentam sinceras condolências à sua Família.

O Professor Pintassilgo, aqui no encontro dos antigos nadadores de Angola em 2011.

O Professor Pintassilgo, aqui no encontro dos antigos nadadores de Angola em 2011.

Older Posts »

Site no WordPress.com.