THE DELAGOA BAY COMPANY

Junho 22, 2011

A EQUIPA DE BASQUET DO DESPORTIVO VENCE TORNEIO DE ABERTURA, 1970

Foto muito generosamente enviada por Zé Rodrigues.

 

A equipa de basquet do Desportivo em 1970. De pé, da esquerda: Paulo de Carvalho, Carlos Koo, José Lopes, White e José Rodrigues. De joelhos: José Arruda, Carlos Alemão e António Medeiros.

Novembro 2, 2010

CONVÍVIO NA PISCINA DO DESPORTIVO, ANOS 70

Na piscina do Desportivo: de pé, Paulo de Carvalho, (?), (?), (?), Carlos Alemão. Sentados, João Meireles, (?), Clotilde Botelho de Melo, Manuela Botelho de Melo

Setembro 18, 2010

FALECEU EDUARDO BRANCO – BECAS

Becas, numa foto recente

Sábado, 18 de Setembro de 2010 – Faleceu esta manhã Eduardo Branco (ver foto), também conhecido como Becas, e que foi jogador e treinador de basquet no Grupo Desportivo LM.

Era casado com Graça Paiva, que também foi nadadora do Desportivo LM.

Mais velho que a geração dourada que se seguiu (Carlos Alemão, Lima, Mário Albuquerque, Quim Neves, etc) ainda jogou e privou com eles.

Foi também treinador de basquet no Desportivo LM.

Depois da Independência de Moçambique, veio viver para Portugal.

O seu corpo estará na capela de Oeiras (junto dos CTT) depois das 17 horas de amanhã, domingo. O funeral será na segunda-feira no cemitério de Mem Martins.

Becas deixa muitos amigos e muitas e grandes recordações.

Uma história que se passou de boca para boca aconteceu perto do fim da sua carreira como jogador, em Lourenço Marques. Becas era um veterano consagrado e, num jogo de basquet, um então jovem “maçarico”, Rui Rodrigues (que jogou basquet antes de ter jogado futebol para o Benfica), faz um dribble e passa com a bola por Becas, causando reacção na audiência, que aplaudiu, este reagindo com uma atitude um tanto marialva, com aquele ar de “eu sou o maior”. Com toda a serenidade, Becas aproximou-se então do jovem jogador e cumprimentou-o pelo sua jogada, o que terá deixado o Rui meio embaraçado.

À sua família, apresentamos os sentidos pêsames. Este é um dia de luto para quem o conhecia e para a família do Desportivo.

Num recente encontro. De pé, da esq. - Fernando Dionísio (ex-piloto da DETA), Jean Fabre (cunhado do Carlos Alemão), Mário Silva, Zé Pedro Flores Cardoso, João Silva, Becas, Carlos Alemão e Alberto Rodrigues. Sentados, da esqª - Mário Albuquerque, Quim Neves, Nelson Serra

Eis alguns testemunhos, enviados hoje por Mário Silva (Márito):

Era enorme o carinho o respeito e a admiração que todos nós nutríamos pelo Becas…..ontem, depois de ter recebido a noticia do Quim, “passeia” pela internet para o pessoal amigo…..as reacções não se fizeram esperar…

Vejam como o Becas era grande, e morava um pouco no coração de todos nós….não são muitas as pessoas que conseguem gerar consensos tão profundos e deixar uma saudade tão grande:

Do Romão Félix, em Lisboa

JÁ HÀ MUITO QUE ESTAVA PARA IR AO ALMOÇO DOS KOKUANAS MAS POR ISTO OU POR AQUILO NUNCA FOI POSSIVEL,HOJE APARECEU A POSSIBILIDADE DE ESTAR PRESENTE…QUE ALEGRIA…QUE PRAZER..EU ESTAVA SENTADO À MESA COM AS GRANDES ESTRELAS DO DESPORTO MOÇAMBICANO E PORQUE NÃO DIZER,DO DESPORTO NACIONAL
O QUIM NEVES…O ALBERO RODRIGUES…..O MÁRIO ALBUQUERQUE …….O NELSON SERRA. O PAULO….O ALEXAMDRE FRANCO…O FLORES CARDOSO……ENTRE OUTROS,FALAMOS DE TANTAS COISAS… LEMBRAMOS TANTAS HISTÓRIA……..ALGUNS PERGUNTAVAM COMO ESTARIA A SAÚDE DO BECAS………AO CHEGAR A CASA RECEBO DO MÁRIO SILVA,QUE TAMBÉM ESTEVE NO ALMOÇO,A TRISTE NOTICIA”FALECEU O BECAS” DIFICIL DE ACEITAR…MAS INFELIZMENTE
A VIDA É ISTO AMIGOS,PERDEMOS UM BOM AMIGO,PERDEMOS UM AMIGO BOM.DASCANSA EM PAZ AMIGO BECAS. OBRIGADO AMIGOS PELO PRAZER DA VOSSA COMPANHIA,VAMOS MANTER POR TODA A VIDA
ESTA AMIZADE TÃO BONITA KANIMAMBO DO ROMÃO FÉLIX, “PARAFUSO”PARA OS AMIGOS

Do João Melo, em Inglaterra:

FA Inglaterra vão os meus sentimentos após a noticia da morte do Becas. Um homem com valor e cultura que eu e os meus colegas da equipe de Infantis do Desportivo sempre consideramos como o melhor exemplo. Gostaria de saber que e família dele soube-se como nos o consideravam.

Grande homem! Grande desportista! Grande Becas!

Eu sei que o meu falecido Tio Telémaco Lopes gostaria de fazer o maior elogio possível ao Becas.

Desculpa Mário, se eu não sei dizer bem em Português o que sinto de saber da morte desse ídolo da nossa juventude.

Abraços,
João Melo

Do Zé Faria, na China:

Caro Mário,

Que o Becas esteja em Paz. Foi um óptimo jogador e talvez, ainda, melhor pessoa. Lembro-me bem de o ver jogar no “nosso” campo, sempre extremamente correcto, bom saltador, óptimo lançador.

Enfim, estamos todos nos aproximando. E por isso que acho extraordinário os almoços e encontros frequentes. A Família e os Amigos são tudo o que levamos desta vida.

Os meus sentimentos a Família do Becas. Por favor entrega-os.

Abraço, Zé Faria

Do Manuel Braga, em Moçambique:

Maputo, 2010.09.19

Márito,

Como vale a amizade nestes momentos…

Partiu um de nós mas, sinto que pela sua conduta pela forma de estar na vida estará sempre connosco.

Lembro, com saudade como me acompanhou quando me meteram a ferros num Torneio da Pascoa.

O Sr Becas e o Humberto foram os maiores para mim, e não só. Que saudade dos dois.

Lembro, que da ultima vez que o vi que me disse para acabar com o Sr. Becas.

Não consegui. Foi, sendo o Sr Becas e, de facto era um Senhor

Até sempre Sr Becas.

Manuel Braga

Da Lena Chaves, em Guimarães:

Olá Marito,

Li com carinho e saudade o que escreveste. Lamento sinceramente o triste acontecimento. Também me recordo bem do Becas e da Gracinha Paiva (filha do Dr Paiva), todos grandes alvi-negros e qualquer deles exemplo de uma ímpar educação e trato.

Que o Becas descanse em paz.

Lena

Do Alexandre Franco:

….Logo depois do almoço recebemos a notícia do falecimento do Eduardo “Becas” Branco. Não só um dos melhores basquetebolistas portugueses de todos os tempos, como um atleta por eleição e um homem de quem todos gostávamos. Eu tenho que confessar que o Becas foi o meu primeiro ídolo no basquetebol moçambicano (provavelmente de braços dados com o Octávio Bagueiro). Todos nós gostávamos da sua elegância na execução, dos seus passes mortíferos e das suas “suspensões” executadas com perfeição. Era um basquetebolista de selecção, mas acima de tudo era um homem que todos respeitavam, pelo seu comportamento, pela sua educação, pela sua forma de estar na vida. Foi um choque, depois de uma alegria tão grande como foi aquele magnífico almoço.
Eu venho de longe e lá longe acompanho os passos que são dados pelos meus amigos de raiz como considero todos aqueles que estavam sentados naquela enorme mesa da Tasca do Gordo (eu que até já perdi uns quilitos, tinha que ir almoçar à Tasca do Gordo. Mas, tudo bem).
Só me resta agradecer a todos, mais uma vez, e deixar uma palavra de grande carinho para os familiares do Becas, a família mais directa, claro, pois também reconheço que a sua segunda família, a dos amigos moçambicanos, dos amigos de raiz, do Becas, esteja sempre com ele, agora e para sempre, pois o Becas é daquelas pessoas que viverá eternamente nas nossas memórias e nos nossos corações.
Um abração a todos, incluindo o Becas!

Do Zé Borrego:

Os meus sentidos sentimentos para toda a sua família,conheci e lidei eu menino e ele já homem a abandonar o basquete como jogador e é dos poucos velhos que tenho recordações fui disputar o ultimo campeonato provincial dele na cidade da Beira tive sempre do Becas um apoio e conselhos que por norma só aceito dos grandes homens dado ao meu feitio não é qualquer homem que me dá conselhos. Falei uma hora com ele e a esposa em Fevereiro ou Março uma conversa interessante a recordar a minha meninice PAZ A SUA ALMA faleceu um senhor

Do Costinha

EM PRIMEIRO , LUGAR QUERO DESDE JÁ ENDEREÇAR O MEU PESAR A TODA A FAMÍLIA ALVINEGRA E A TODOS DESPORTISTAS MOÇAMBICANOS, E NEM SÓ. SEM QUERER PENSO QUE OMITI UM GRANDE ERRO EM NÃO FALAR EM PRIMEIRO LUGAR DOS FAMILIARES MAIS PRÓXIMOS DO “NOSSO” BECAS. MAS NESTAS ALTURAS NEM TUDO QUE NOS VAI NA ALMA CONSEGUE-SE TRANSPOR PARA ESTA CAIXA MÁGIGA. AMIGÃO MÁRIO NÃO SEI O QUE DIZER MAIS. UM ABRAÇÃO DESTE SEMPRE, SEMPRE, COSTINHA

Create a free website or blog at WordPress.com.