THE DELAGOA BAY COMPANY

Dezembro 14, 2011

NELSON SERRA E MÁRIO ALBUQUERQUE, GRANDES DO BASQUET DE MOÇAMBIQUE, ANOS 70

 

 

Nelson Serra e Mário Albuquerque.

ATLETAS DO BASQUET E DO ATLETISMO DO SPORTING DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 1960

Foto de Francisco Freitas.

 

Atletas do basquet e do atletismo do Sporting de Lourenço Marques, anos 1960. De pé, da esquerda: P1, P2, P3 e P4. De joelhos: J1, J2 e J3. Se o exmo. Leitor conhecer as pessoas, por favor envie para aqui uma nota.

BANDEIRA DO BASQUET DO SPORTING DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Filed under: 1960 anos, BASQUET, Equipa Sporting de LM — ABM @ 4:03 am

Foto do Francisco Freitas.

 

Bandeirola do basquet do Sporting de Lourenço Marques, creio que dos anos 1960.

Dezembro 4, 2011

ALEXANDRE FRANCO E O RACISMO NO DESPORTO EM MOÇAMBIQUE NO TEMPO COLONIAL

Alexandre Franco, um dos alicerces do basquet em Moçambique pré-Independência.

As declarações de Eusébio na entrevista concedida à revista Única iniciaram algum debate em torno da questão do racismo em Moçambique e no desporto de Moçambique antes da Independência. De alguma forma, tento recolher esses testemunhos, que poderão ser do interesse dos exmos. Leitores e para futura referência.

Em baixo, na primeira pessoa, o comentário de Alexandre Franco, um dos grandes do desporto moçambicano pré-independência, na modalidade de basquet.

Alexandre Franco hoje reside na grande cidade de Toronto, no Canadá, onde gere o Millennium-Post, uma publicação em língua portuguesa.

Mas nunca esqueceu Moçambique, tendo estado em Maputo recentemente de visita.

O seu comentário:

Conheço bem o Alberto Rodrigues e sei que ele também me conhece. Respeito as suas palavras e a verdade é que ele é um bom bocado mais velho do que eu. Diria mesmo que cerca de 10 anos.

Contudo, tudo quanto ele diz, e eu nasci em Moçambique e sou de raça branca, nem no Desportivo, nem no Sporting, nem no “seu” (do Alberto) Ferroviário, pois ele sempre foi mais conhecido como jogador de basquetebol do Ferroviário e de futebol, do Indo-Português, do que como treinador, que também foi, do Desportivo e do Malhangalene, condiz com a minha vivência, desde os meus cinco anos de idade, primeiro no Ferroviário, nos tempos do Lenine, do Luís Pina, do Adão “Linda”, do Desportivo do Frederico Morais, do Becas, do Carlos Alemão do Chico Martins, do Sporting do Octávio Bagueiro, do Branquinho, do Bebé, do Hélder Silva e com estes nomes ele bem sabe que estou a referir-me aos meus tempos de miúdo, ou seja dos meus cinco anos. Mas vivi em Moçambique até aos meus 31 anos altura em que saí como treinador da equipa principal de basquetebol do Sporting de Lourenço Marques e adjunto do Alberto Correia Mendes na Seleção Nacional de Moçambique que disputou os Jogos da Independência de Moçambique, para já não falar no Mário, no Nelson, no Vítor Morgado, no Sérgio Carvalho, no Luís Almeida, no Simango, sem esquecer os putos que levei à primeira categoria, casos do Artur Meirim, do Manuel Santiago, do Hélder Silva (filho), do Mário Martins, do Marques, do Mário Lopes e de tantos outros, numa variedade enorme de raças, desde os 5 até aos 31 anos de idade… nunca, mas mesmo nunca, deixámos de privar com pessoas de todas as cores e de todos os credos. O Alberto, indo-português, poderá ter passado por uma ou outra situação menos agradável, mas não julgo que isso lhe dê o direito de sair em defesa de uma série de asneiras que o Eusébio está farto de dizer, rejeitando reconhecer tudo quanto por ele foi feito. O que ele ficou a dever ao Vigorosa (que também não era branco), ao Sr. José Mateus, que era branco (e que tantas notas encarnadas – na altura eram notas de cem escudos, que metia no bolso do Eusébio – eu vi com os meus próprios olhos – por cada golo que ele marcava – a não ser que era este tipo de racismo que o Eusébio se referia, o de ser um branco a dar dinheiro a um preto?!), ao Fernando Costa, que também era branco e até alegando que o Sr. Elísio Pereira se fazia passar por branco, o que eu, que convivi com ele diariamente no Campo João da Silva Pereira, nunca percebi, porque a cor da sua pele era o que menos nos incomodava. Um puto de raça negra que nem se aproximava de nós no Continental, mas que era convidado a sentar-se connosco para comer uma torrada e beber um café com leite, que o 21 (ainda há muito gente que se lembra do 21, que era o nosso habitual empregado de mesa). Era este o racismo a que o Eusébio se referiu???

Ainda recentemente estive em Moçambique e fui maravilhosamente recebido por gente dos meus tempos de todas as cores e credos, tal como já acontecia naqueles que foram os melhores anos da minha vida, entre gentes de todas as cores e feitios.

Continuo a gritar a renegação do Eusébio ao Sporting Clube de Lourenço Marques por tudo e mais alguma coisa e até sugiro que leiam a edição do meu jornal http://www.postmilenio.com do próximo dia 16 de Dezembro, edição especial de Natal, onde vou colocar as “inverdades” de um tal “Pantera Negra” bem a claro.

E atenção, já lhe disse isto, pessoalmente. Ele (o Eusébio) aprendeu a odiar o Sporting. Até aí, tudo bem. Há muitos benfiquistas que lêem pela mesma cartilha. Agora dizer as asneiras que diz quando afirma que nem se lembra de ter jogado com a camisola do Sporting (o que me disse a mim) e de que o Sporting era um clube racista… Por Favor!!!

Aqui em Toronto, onde resido há muitos anos, encontrei um dia o Eusébio com o “seu” Presidente Luis Filipe Vieira. Ele (o Eusébio) chamou-me e disse-me que queria apresentar-me o “seu” Presidente. Muito bem. “O meu nome é Alexandre Franco, tenho muito prazer”, o que foi seguido das seguintes palavras; “Ah, você é o amigo do Eusébio que é do Sporting!”. E eu respondi, “Do mesmo Sporting que foi o Eusébio, o Sporting Clube de Lourenço Marques!” Meu Deus, o que fui dizer. “O quê? Já nem me lembro disso!” Que pena, que pena… e eu que a partir daí disse para comigo mesmo: “Eis as palavras tristes do meu Ex-amigo Eusébio da Mafalala.”

Não posso omitir aqui os nomes de alguns dos meus melhores jogadores, como também foram os casos de Luís Dionísio, do Eustácio Dias, João Donato, do Tam Ling, e na Seleção de Moçambique, do Sing, do Costa, do Araújo, do João Domingues, e ainda do Vítor Agostinho, do Orlando Noronha, do Carlos Rocha, do Mahlon Sanders, do João Silva, do João Ferreira, que foram meus jogadores no Benfica de Lourenço Marques (secção de Basquetebol que foi formada por mim, a pedido dos meus amigos Luís Branco – da Wagons Lits e Francisco Machado; e ainda de nomes como os do Beto Correia Mendes, Carlos Neves, Luis Neves, José Joia e Carlos Joia, Rendas Pereira, e tantos outros que de momento não me lembro.

Dezembro 3, 2011

O GRANDE ALBERTO DIAS FALA SOBRE O RACISMO NO DESPORTO EM MOÇAMBIQUE NO SEU TEMPO

Alberto Rodrigues, 2º da esquerda com a enorme estrela na t-shirt, com a equipa de basquet séniores do Desportivo LM, que treinou na época 1974-1975.

Muito grato ao Rogério Carreira, que enviou a nota com o comentário de Alberto Dias e ainda mais as fotos, rapinadas do seu grande sítio Roger Tutinegra.

A propósito ainda da entrevista que Eusébio deu à revista Única, e que já mereceu um comentário de Braga Borges (ambos reproduzidos na totalidade nesta casa), em baixo o precioso testemunho de Alberto Dias, de quem me lembro quando treinador no Desportivo.

Para encaixar” aqui, fiz uma edição menor, sem tocar no que de substantivo é dito:

Na segunda-feira passada ao […] ouvir o Dr. Dias Ferreira afirmar que “os racistas são aqueles que dizem que os outros é que são racista” é uma forma pedante de tornar as vítimas em réus, manifestou uma completa ignorância da vivência nas ex-colónias portuguesas.

Tenho 75 anos de idade, poucos anos mais que o Eusébio.

Joguei contra ele nos primeiros jogos que fez pelo Sporting Clube de L.M. em seniores.

Eu jogava modestamente o futebol no também modesto Grupo Desportivo Indo-Português, pois sou de ascendência do antigo Estado da Índia, onde também inicialmente havia um certo separatismo que com o tempo se foi esfumando.

Em 1951, o Indo-Português acabou com a secção de basquetebol, e o clube para onde eu gostaria de ter ido jogar seria para o Sporting de L.M. mas era como Eusébio disse, o Sporting nessa época era efectivamente um clube que só aceitava brancos nas suas hostes, havia uma excepção que era um misto que passava por branco de nome Elísio Pereira. Era efectivamente conhecido também pelo clube dos polícias e só podia ir para a polícia quem tinha feito o serviço militar – que estava vedado aos não brancos, salvo alguns que passavam como tal. Eu fui à inspecção militar e fui dispensado por excesso de contingente, claro que tudo isto antes de ter começado a guerra colonial.

Os da minha geração lembram-se bem que era efectivamente assim.

Com o aparecimento do Eusébio e outros as coisas começaram a modificar-se bastante e as mentalidades a alterar-se um bocado.

A título de curiosidade, informo também que havia um outro clube que tinha o mesmo procedimento que era o Malhangalene, clube do bairro de mesmo nome que era administrado por indivíduos idos de Portugal, claro que depois modificaram os procedimentos.

O grande rival do Sporting era o Grupo Desportivo de L.M. que foi filial do Benfica, e os curiosos que vejam as fotos antigas destes dois clubes e onde militavam os não brancos numa amálgama de cores.

Estou a escrever esta mensagem, porque me disseram que um familiar do Dr. Mário Soares, parece que de nome Barroso, que decerto também não conheceu as realidade das ex-colónias, que disse num jornal que não é verdade o que o Eusébio disse.

Atenciosamente,

Alberto Carmo Rodrigues

(fim)

O cartão de Sócio de Mérito da Associação Distrital de basquet de Lourenço Marques de Alberto Rodrigues, 1967.

 

Alberto Rodrigues à direita. Quem souber quem é o senhor à esquerda, por favor mande uma nota.

 

Alberto Rodrigues com...

 

A equipa de basquet séniores do Sporting Clube de Lourenço Marques, época 1957-1958. A quem souber os nomes, por favor envie uma nota. De pé, da esquerda: P1, P2, P3, P4, P5 e P6. De joelhos: J1, Alberto Dias, J2 e J3.

 

Outubro 22, 2011

JOGO DE BASQUET ENTRE O SPORTING E O DESPORTIVO LOURENÇO MARQUES, ANOS 70

Foto gentilmente enviada por Luis Oliveira, que, entre outros, jogou basquet na Académica e no Desportivo LM.

 

Aspecto de um jogo entre o Sporting e o Desportivo LM. Acho que o do Desportivo que está a "voar" é o Luis.

LUIS OLIVEIRA NA ACADÉMICA LM, ANOS 70

Foto gentilmente enviada por Luis Oliveira, que, entre outros, jogou basquet na Académica e no Desportivo LM.

 

O Luis parece que num jogo entre a Académica e o Sporting LM.

Julho 14, 2011

O GRANDE DAVE ADKINS – UM AMERICANO NO BASQUET MOÇAMBICANO, ANOS 70 – EM 2011

Muito agradecido a Dave Adkins e ao Rogério Carreira pelas fotografias que aqui seguem.

 

Dave Adkins como muitos dos exmos leitores se recordarão dele, nos anos 70.

No seu excelente repositório de informação, o Rogério Carreira caracteriza numa linha a passagem do Norte-Americano Dave Adkins por Moçambique no princípio dos anos 70: “o Norte Americano Dave Adkins foi o treinador do Sporting no tempo de Mário Albuquerque, Nelson Serra, Rui Pinheiro, que ajudou a vencer em Luanda o Campeonato Nacional em 1973, com uma exibição de luxo frente ao Sport Lisboa e Benfica. Treinou também o Benfica , a Académica e o Desportivo.”

Mas há muito mais a dizer, e tive a sorte de a semana, após o Dave ter enviado uma sentida mensagem de condolências pelo falecimento de Adão Ribeiro, essa outra grande figura do basquet moçambicano e que conhecera bem, de estabelecer contacto com ele e pedir mais umas informações.

Dave Adkins jogou basquet desde jovem. logo na universidade (Cornell), cuja equipa de basquet integrou.

Em 1971 vai para a então Lourenço Marques, onde esteve no centro da evolução do basquet moçambicano até meados de 1974.

Nas suas palavras, traduzidas por mim (se bem que o Dave entenda bem e escreva razoavelmente português):

Eu treinei a Académica (Baganha, Gui, Quim Neves, Inc.) em 1972. Nesse ano ainda joguei algumas vezes como treinador-jogador, mas na altura não já estava na melhor forma física. Perdemos o campeonato provincial por um ponto contra o Sporting.

Em 1973 tive o privilégio de treinar a equipa veterana do Sporting de Lourenço Marques (Mário, Nelson, Luis A., Terry J., Ramão, Rui, Vitor, Simango, Tomané) e de os levar à final do campenato nacional de basquet, que vencemos ao derrotar o Benfica de Lisboa em Luanda por 102-77.

Em 1974 treinei a equipa de basquet do Desportivo (Lima e Cia.)

 Mais tarde treinei a equipa de basquet Hobart Devils, na liga profissionbal de basquet australiana, entre 1985-1989, a NBL durante três anos onde se fez um bom progresso com uma equipa que tradicionalmente tinha sido relativamente fraca. 

Em seguida, trabalhei durante dez anos como agente de atletas profissionais de basquet no estrangeiro, tendo colocado atletas na Austrália, Nova Zelândia, Japão e Europa.

Neste momento estou reformado e em vias de mudar-me, com a minha mulher Geneva, que conheci em Lourenço Marques onde ela trabalhava no consulado americano local, da cidade de Des Moines, no Estado de Iowa, para a cidade de Corpus Christi, no Texas.

Gostava de referir que os três anos que passei em Lourenço Marques e os contactos que tenho vindo a manter com a malta (sic) constituem pontos altos da minha vida pessoal e profissional. É sempre um enorme prazer contactar com antigos jogadores e treinadores do basquet de Lourenço Marques.

Quem quiser escrever uma nota ao Dave que escreva uma mensagem para aqui ou mande uma nota pedir o seu endereço de correio electrónico

1961. Dave em baixo à direita, na selecção de basquet do Midwest da NCAA, a liga americana de basquet universitário.

 

Dave Adkins em 1962 dá uma coça no seu adversário de Grinnell.

 

A equipa de basquet da Académica LM no tempo de Dave.

 

1972. As estrelas americanas numa digressão por Moçambique e Angola.

 

1973. O Sporting de Lourenço Marques atinge o zénite ao ganhar o campeonato nacional.

 

1973. Durante a primeira ronda do Campeonato Nacional de basquet em Luanda.

 

Luanda, 1973. Em apoteose, Dave é levado aos ombros da sua equipa - campeões nacionais.

 

Dave e Geneva passeiam em Joanesburgo, África do Sul, no dia...24 de Abril de 1974. No dia seguinte, um golpe militar em Lisboa prenunciou o fim da presença colonial portuguesa em África.

 

1979. Dave na Austrália.

 

1980. Dave, à direita, com dois craques do basquet australiano.

 

1987. Ainda na Austrália, Dave, à direita, com os Hobbart Devils, que pela primeira vez ganharam mais jogos do que os que perderam.

 

1996. Dave Adkins como agente de estrelas do basquet, aqui com alguns dos basquetebolistas que representou.

 

Em 1999, Dave Adkins publicou um livro sobre a sua carreira associada ao basquet. O livro pode ser comprado na Amazon, bastando ir ao sítio da Amazon na internet e colocar o nome dele ou o nome do livro.

 

Um comentário de Dave Adkins sobre a colocação de uma estrela do basquet americano.

 

Dave em 2005

 

Dave com a sua mulher Geneva em casa no Estado de Iowa, 2010. Em breve vão-se mudar para o Texas, onde o clima é mais....africano. Dave e Geneva copnheceram-se em Lourenço Marques, onde Geneva trabalhava no Consulado norte-americano local.

 

 

Abril 18, 2011

ODETE PICCOLO, JOGADORA DE BASQUET DO SPORTING LM, CAMPEÕES DISTRITAIS, 1954

Filed under: 1950 anos, BASQUET, Equipa Sporting de LM, Odete Piccolo — ABM @ 1:02 am

Foto gentilmente cedida por Izabel Piccolo.


Odete Piccolo, do Sporting Clube de Lourenço Marques, campeões distritais, Fevereiro de 1954.

O Odete trabalhou durante anos num cartório notarial em Albufeira, Algarve, Portugal. Já faleceu mas a sua memória fica aqui connosco.

Janeiro 25, 2011

JOGO DE BASQUET, SPORTING-MALHANGALENE, ANOS 70

Filed under: 1970 anos, BASQUET, Equipa Malhangalene, Equipa Sporting de LM — ABM @ 1:03 am

Faltam os nomes dos jogadores na imagem.

Aspecto de um jogo entre o Sporting LM e o Malhangalene, que é capa de uma revista Tempo. Aqui recuperada por mim.

Janeiro 23, 2011

A EQUIPA DE BASQUET MASCULINOS DO SPORTING LM, ANOS 70

Filed under: 1970 anos, BASQUET, Equipa Sporting de LM — ABM @ 9:49 pm

 

A equipa de basquet masculinos do Sporting Clube de Lourenço Marques, anos 70. Carlos Pratas é um dos jogadores, mas não sei qual é e faltam os nomes dos restantes jogadores.

Janeiro 19, 2011

A EQUIPA DE BASQUET SÉNIORES DO SPORTING LM, ANOS 70

Filed under: 1970 anos, BASQUET, Equipa Sporting de LM — ABM @ 12:41 am

Da incomparável colecção de Rogério Carreira, via o Sr. Jorge Cortez.

 

A magnífica equipa de basquet séniores masculinos do Sporting de Lourenço Marques.

Janeiro 8, 2011

JOÃO DONATO, BASQUETEBOLISTA DE LM

Fotos de João Donato

João Donato jogou e treinou basquet em Moçambique e mais tarde em Portugal. Ele hoje vive em Portugal.

Cartão do Desportivo de um jovem João Donato. A secretaria do clube aqui enganou-se no seu apelido.

Cartão de livre-trânsito de João Donato quando jogava pelo Sporting de LM.

João Donato a jogar pela Associação Académica LM, num jogo contra o Malhangalene, em 1973

A EQUIPA DE BASQUET DO SPORTING LOURENÇO MARQUES, 1975

Foto de João Donato

 

A equipa de séniores do Sporting de Lourenço Marques em 1975. De pé, da esquerda: Fernando, Hélder Silva, Tam Ling, Eustácio Dias, Luis Almeida, Belmiro Simango, Alexandre Franco. De Joelhos; J1, Mário Martins, Luis Dionísio, João Donato, Santiago e Nélson Serra. (Nota: ver nos comentários sobre quem é o primeiro de joelhos à esquerda…o nome que estava lá era Rendas Pereira mas…pelos vistos não é)

Dezembro 28, 2010

EDMUNDO CARREIRA – UM CAMPEÃO DO BASQUET DE MOÇAMBIQUE

Fotos pouco discretamente bifadas do magnífico Rogertutinegra.

Há mais uma grande reportagem mesmo atrás desta.

Bebé Carreira dá uma grande exibição - e mais dois pontos para o Sporting LM.

Uma selecção de Lourenço Marques.

Mais uma selecção de Lourenço Marques.

A equipa do Sporting Clube de LM

Os vencedores da Taça Gabriel Teixeira (que foi um governador-geral nos tempos).

Um jornal de Lourenço Marques regista a chegada apoteótica do campeões à cidade.

Os campeões recebidos à sua chegada a casa.

Um recorte de jornal contendo um agradecimento aos atletas de Moçambique.

Mais um momento de glória de Bebé Carreira.

Recorte com reportagem da sentida despedida de Bebé Carreira.

A imprensa pondera Bebé Carreira.

Mais um recorte da despedida de Bebé Carreira da competição.

A família Carreira na actualidade. Bebé está ali atrás, com os filhos e os netos.

Bebé Carreira com o Rogério Tutinagra e amigos.

Bebé Carreira numa foto de 2006.

EDMUNDO CARREIRA, GRANDE DO BASQUET DE MOÇAMBIQUE

Fotos surripadas desavergonhadamente de Rogertutinegra.

Bebé Carreira no topo da montanha do basquet moçambicano.

Bebé Carreira e Becas: dois gigantes do básquet em Moçambique que inspiraram as gerações seguintes.

Durante um jogo, Bebé ganha mais dois pontos para a sua equipa

Bebé Carreira é homenageado após mais uma vitória.

Recorte de jornal salientando o desempenho de Bebé Carreira.

A equipa do Sporting LM - os donos do basquet na altura de Bebé Carreira.

A equipa do Sporting de LM em traje formal.

Jogadores do Sporting de LM no dia da inaufuração do parque desportivo dos Irmãos Maristas

No início da final do Benfica - Sporting LM, 1952.

Os Leões de LM em 1957-58.

Artigo de jornal com o percurso de Bebé Carreira.

A embaixada do básquet sportinguista no aeroporto.

A equipa do Sporting posa para uma fotografia.

Aspecto de um jantar de despedida dos jogadores de basquet do Sporting LM.

O Sporting de LM no Brasil, num jogo com o Vasco da Gama.

A equipa no aeroporto, de partida para mais uma competição.

Os vencedores da Taça de Portugal em 1962.

O Sporting de LM no Pavilhão dos Desportos, 1952.

O que a imprensa dizia de Bebé Carreira.

Bebé Carreira o melhor do Campeonato.

Mais um recorte de jornal que menciona Bebé Carreira.

FERNANDO SOARES E MEIRIM, ANOS 70

Fotografia de Fernando Soares.

Jogando no campo de básquet do Desportivo, Fernando Soares e Meirim (juvenis da Académica e do Sporting) em duelo.

Dezembro 26, 2010

PAULO DE CARVALHO E MÁRIO ALBUQUERQUE

O Paulo de Carvalho finta o Mário Albuquerque.

O Mário Albuquerque finta o Paulo de Carvalho.

Sobre estas fotos, o Paulo de Carvalho escreveu: “o Mário,foi o melhor basquetista da minha geração!Tinha uma intuição para o Desporto, fora do comum…!No Andebol e, no Volei,era também o melhor que havia em Moçambique.A par disso,era de uma correcção e,simplicidade enormes!Um verdadeiro simbolo realmente!”

Alberto Rosa escreveu: “Ainda hoje me lembro de cada Sporting-Desportivo…eram verdadeiras finais, com os pavilhões cheios, o público ao rubro…e nesses jogos haviam 2 grandes jogadores,,acima da média,símbolos dos seus clubes,Mário Albuquerque no Sporting e Paulo de Carvalho no Desportivo…!!!”

Carlos Sousa referiu: “Os símbolos, nos respectivos clubes! Eles foram o exemplo vivo da sã rivalidade desportiva! E só quem assistiu a estes duelos sabe do que estou a falar!!”

SPORTING CLUBE DA BEIRA VS. SPORTING DE LOURENÇO MARQUES, 1966

Foto e legenda de Luis Almeida.

Troca de galhardetes entre capitães (Luis Almeida pelo SCB e o Rui Carvalho pelo SCLM) no jogo da final do Campeonato de Moçambique, época 1966/1967, no Pavilhão do Ferroviário da Beira. Não me lembro do nome do árbitro. Os outros jogadores, do SCB o nº 8 é o Hernâni e o nº 10 o Carlos Neves, já falecido, o nº 5 do SCLM é o Pedro Barjona de Freitas. O jogo foi ganho pelo Sporting da Beira, que nesse ano ficou campeão de Moçambique.

Dezembro 23, 2010

BASQUET DO SPORTING DE LOURENÇO MARQUES, 1974

Foto de Jorge Cortez.

Grato ao Tomané Alves e ao Carlos Gil que elencaram a equipa do Sporting LM em duas penadas. Assim já consegui indexar esta fotografia.

A lendária equipa de basquet do Sporting Clube de Lourenço Marques.

O grande elenco:

P1- Abílio Monteiro (Seccionista)
P2- Nelson Serra
P3- Vítor Morgado
P4- Terry Johnson – o “Voador”
P5- Luis Almeida
P6- Rui Pinheiro
P7- Mário Albuquerque
P8- Prof. Hermínio Barreto
P9- Mariano (Massagista)

J1- Carlos Santiago
J2- Luis Dionísio
J3- Artur Meirim
J4- Tomané Alves
J5- Mário Lopes

Tomané Alves, escreveu em baixo, referindo: “Esta foto é posterior ao 25 de Abril e também tirada após o último Campeonato Nacional (apelidado de “inter-territorial” pelos “revolucionários” de então). Neste último Campeonato Nacional, lembro-me dos atletas do Futebol Clube de Luanda (representante de Angola) questionarem do seguinte modo: nós (eles) somos de Angola, o Benfica é de Portugal Continental, o Malhangalene é de Moçambique e vocês (S.C.L.M.) donde são? Mas o curioso é que nem nos jogos com o Benfica tivémos apoio (a não ser os da nossa fiel claque “carinhosamente” apelidada de “Gorongosa”), mesmo naquele que discutia o último lugar dos últimos! Sintomático …. ENORME SPORTING CLUBE DE LOURENÇO MARQUES. ”

Muito obrigado Tomané pela nota e pelas grandes recordações.

Dezembro 21, 2010

JOGO DE BASQUET MALHANGALENE-SPORTING LM

Faltam os nomes. Se por acaso conhece, os jogadores, escreva para aqui e diga-nos.

Momento de mais um memorável Malhangalene-Sporting.

O Alberto Rodrigues em baixo refere: “reconheço, o 11 Carlos Serra (Cató) irmão do Nelson Serra, o Mário Albuquerque, (c/a bola), o 5 julgo o Nelson Serra, o 9 do Malhangalene não me recordo o nome…o 5 é o Nelson Serra, o 9 do Malhangalene não me recordo o nome e o 15 julgo o Tomané?..

Janeiro 7, 2010

BASKET: MALHANGALENE-SPORTING

Filed under: 1960 anos, BASQUET, Equipa Malhangalene, Equipa Sporting de LM — ABM @ 7:08 pm

Foto da internet. Preciso de ajuda para os nomes e datas.

Foto de jogo de básket entre o Malhangalene e o Sporting

Site no WordPress.com.