THE DELAGOA BAY COMPANY

Setembro 12, 2010

BASQUET DO SPORTING, CAMPEÃO DE 1976

Graças ao António Encarnação, junta-se aqui uma fotografia da equipa de basquet do Sporting Clube de Portugal, campeã em 1976.

Os campeões de Portugal em 1976. Em Cima: Rui Pinheiro, Hélder, Quim Neves, António Encarnação, Mário Albuquerque Em Baixo: Tomané, Nelson Serra, Manuel Sobreiro, Carlos Sousa e um Carlos Lisboa ainda mufana

Esta foto foi obtida em (http://armazemleonino.blogspot.com/2010/04/basket-sporting-campeoes-nacionais- ) onde há algum debate sobre quem era o Encarnação. Talvez ele ajude a precisar. A maioria dos jogadores vieram da equipa de basquet do Sporting de Lourenço Marques, se bem que uns andaram noutros clubes também.

Os “retornados”, para quem ainda se lembrar…

Anúncios

Dezembro 28, 2009

CARLOS LISBOA

Filed under: Carlos Lisboa — ABM @ 12:22 am

Jaime Jorge, Henrique Vieira, x, Marco, Amadeu Rocha, Carlos Lisboa, Carlos Freire e Emanuel Madaleno

Copiado com reverência do site Porta 10-A, que é de adeptos do Sporting :

Carlos Humberto Lehmann de Almeida Benholiel Lisboa Santos nasceu em 23 de Junho de 1958 na Cidade da Praia, Cabo Verde [tendo ido mais tarde para Lourenço Marques].

Considerado o melhor basquetebolista português de todos os tempos, desde muito novo que demonstrou uma enorme paixão pela modalidade. Dormia com uma bola de basquetebol debaixo da cama e a primeira coisa que fazia, quando acordava, era bater com a bola no chão. Iniciou-se no Basquetebol no Sporting de Lourenço Marques em Moçambique, onde jogou nos iniciados e nos juvenis.

Chegou a Portugal em Novembro de 1974, para os juvenis do Benfica, mas visto que foi pouco utilizado, decidiu abandonar o clube. Na época 1975/76 assinou pelo Sporting e em 1976/77, ainda com idade de júnior, já jogava pela equipa sénior, onde conquistou três Campeonatos e duas Taças de Portugal.

Segundo Rui Pinheiro, extremo que alinhou no Sporting de Lourenço Marques, Sporting Clube de Portugal, Queluz e Estoril:

“A grande força do Carlos, em termos técnicos, era a sua velocidade de execução, que o tornava distinto de todos os outros basquetebolistas. É uma pessoa muito competitiva, que não joga para perder nem a brincar. Sobressaía por natureza nos jogos, devido ao seu grande talento”

Com o encerramento da secção de Basquetebol do Sporting, em 1982, passou para o Queluz e mais tarde para o Benfica, sempre a ganhar, concluindo a sua brilhante carreira com 103 internacionalizações (43 pela Selecção Nacional de Seniores).

Finda a carreira de jogador, iniciou-se na de técnico ao serviço de clubes como Benfica, Aveiro Basket e Estoril.

Carlos Lisboa na actualidade

Site no WordPress.com.